A GOLPES DE TERÇADO
Homem tenta matar travesti alegando ter sido roubado
Gostei (1) Não gostei (0)
Por João Barros
Em 16/04/2018 às 01:23
Ensanguentada, a vítima garante não ter roubado e estar pagando pelo crime de outro

Uma travesti, de origem venezuelana, de 21 anos, foi golpeada com terçado e só não foi morta porque a Polícia Militar interceptou o veículo em que ela estava com o suposto cliente. A vítima disse que fazia programa na Avenida dos Imigrantes, nas proximidades da Feira do Passarão, bairro Caimbé, zona Oeste, quando foi convidada a entrar no carro do indivíduo que se afastou do local e tentou matá-la a golpes de terçado.

Segundo a polícia, o indivíduo alega que foi roubado pela travesti e depois do crime foi até a sua residência, se armou com dois terçados e uma faca e retornou para matá-la. Após entrar no automóvel, a travesti disse que percebeu que seria morta e pediu ajuda de um taxista que ligou para a Polícia Militar (PM) e seguiu o veículo do suspeito.

A vítima disse em espanhol que chegou ao Brasil há duas semanas. Que é natural da cidade de Barcelona (VE) e está abrigada numa Igreja e, que, todas as noites sai para trabalhar com programas sexuais, tendo em vista, que ainda não conseguiu emprego como cabeleireira no Brasil.

Ela destacou que foi confundida com qualquer outra colega de profissão, porque garante não ter roubado nada do homem, que não o conhece e nunca tinha visto seu agressor em qualquer outro lugar.

Com os dedos da mão esquerda cortados e a roupa totalmente ensanguentada, ela afirma que só não recebeu os golpes de facão na cabeça porque colocava a mão na frente. “Em determinado momento eu pensei que iria morrer. Ele me xingava e dizia que iria me matar e me furar toda. Eu só consegui me livrar porque pedi muito a Deus para me guardar. Agradeço ao taxista que seguiu o carro do agressor e chamou a polícia”, detalhou enquanto chorava.

A travesti ressaltou que quando estava prestes a receber outro golpe, abriu a porta e se lançou para fora do veículo, caindo no chão. A viatura se aproximou e obrigou o indivíduo a sair de dentro do veículo. Ambas as partes foram conduzidas à Central de Flagrantes do 5o DP, para que a autoridade policial tomasse conhecimento do caso e adotasse as medidas necessárias.

Ao fim dos depoimentos, o elemento acabou sendo flagranteado e ficou detido numa das celas da Unidade Policial para ser levado à audiência de custódia. A vítima foi ouvida e liberada, mas seria encaminhada ao hospital para receber atendimento médico.
Um dos policiais que atendeu a ocorrência disse que quando um cliente se sente lesado, deve procurar a polícia para registrar o fato. “Se ele tenta fazer justiça com as próprias mãos, deixa de ser vítima e passa a ser o autor do crime, portanto, se o travesti roubou, quem tem que agir é a polícia”, enfatizou.

 

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!