OPERAÇÃO PAPAI NOEL
Instituto de Pesos e Medidas apreende mais de 250 produtos durante fiscalização
Gostei (0) Não gostei (0)
Fiscais do Ipem vão intensificar visitas às lojas até o final desta semana
Por Folha Web
Em 13/12/2017 às 01:14
Até ontem, dez lojas foram visitadas pelos fiscais do Ipem (Foto: Divulgação/Ipem)

Até o dia 15 deste mês, o Instituto de Pesos e Medidas de Roraima (Ipem-RR) vai visitar 17 lojas de Boa Vista para fiscalizar se os produtos estão dentro dos padrões exigidos pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). A “Operação Papai Noel” percorre os estabelecimentos comerciais observando a qualidade e procedência do que é vendido.

De acordo com o agente técnico do Instituto de Pesos e Medidas de Roraima, Wiston Márcio, o objetivo da operação é a intensificação do trabalho de fiscalização. “Nós estamos intensificando a fiscalização dos produtos mais vendidos no período de final de ano, como lâmpadas, luminárias, brinquedos e pisca-pisca. Por exemplo, o pisca-pisca tem que estar com o plugue dentro dos padrões e ter o selo do Inmetro”, disse.

Márcio ainda afirmou que o foco da operação são produtos que estão irregulares. Falta de informações como Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) do fabricante, da faixa etária indicada e do selo do Inmetro leva à apreensão do produto. Mesmo ao término da operação, a fiscalização do Ipem é contínua. Quem quiser colaborar com o Instituto, pode ligar para (095) 3621-3583 e denunciar sem precisar ser identificado.

“O que queremos é que o consumidor compre um produto de qualidade. Para isto, estamos atentos a toda e qualquer irregularidade. Até agora foram aprendidos 250 produtos, acreditamos que até sexta-feira, dia 15, teremos mais produtos apreendidos. Mesmo com o fim da intensificação dos trabalhos de fiscalização, continuaremos a fiscalizar e a população pode denunciar através do nosso canal de comunicação”, afirmou.

DESTINO – O comerciante terá, segundo o Ipem, dez dias para apresentar a defesa quanto aos produtos apreendidos, juntamente com a nota fiscal dos itens. Caso isso não ocorra, ele poderá ser multado de R$ 100 a R$ 2.500. Entretanto, se ficar provado que o fabricante forneceu indevidamente o produto, a multa será direcionada ao fornecedor. "O comerciante terá que apresentar a documentação necessária para não ser multado. Os produtos sem selo do Inmetro, que não foram testados, serão destruídos. Para a comercialização dos produtos, é necessário o selo do Inmetro na embalagem do produto e no próprio produto”, explicou Márcio. (E.S)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!