ANO NOVO, CARDÁPIO NOVO
Invista na reeducação alimentar e dê adeus ao eterno regime
Mudanças progressivas na alimentação ajudam a conquistar a boa forma sem grandes sacrifícios
Por Folha Web
Em 29/12/2016 às 00:02
A promessa de emagrecer está entre as principais resoluções do ano novo (Fotos Internet)

Todo ano a cena se repete: com a proximidade do verão e das festas de fim de ano, muitos fecham a boca e buscam maneiras de eliminar rapidamente os quilos adquiridos ao longo do ano. Fatidicamente, a promessa de emagrecer está entre as principais resoluções deste período, e o primeiro mês do ano quase sempre é marcado pela tentativa de adotar hábitos mais saudáveis, como frequentar a academia e fugir das tentações do cardápio.

Contudo, nem sempre esse propósito se mantém com o passar dos meses e vez ou outra precisamos recorrer novamente à alimentação mais restritiva. Porém, isso é saudável? Não existe uma forma menos radical e mais sustentável de manter hábitos saudáveis sem abrir mão daquilo que se gosta? Se você deseja mudar sua dieta e fazer as pazes com a balança, saiba quais as atitudes mais adequadas para reeducar sua alimentação e dar adeus ao regime!

Entenda seu corpo!

Emagrecer rapidamente é um desejo cada vez mais latente naqueles que enfrentam a luta contra a balança. Contudo, antes de jogar-se de cabeça numa dieta, é importante refletir no quanto tempo você levou para adquirir estes quilinhos a mais. Certamente não foi do dia para a noite, portanto, porque seus hábitos alimentares e o seu próprio peso devem seguir essa métrica? De acordo com a nutricionista Sinara Menezes, uma das primeiras coisas que aqueles que desejam emagrecer devem ter em mente é a paciência. “Obviamente é importante começar a mudar os hábitos alimentares, dar o primeiro passo. Porém deve-se respeitar o corpo, conhecendo suas necessidades energéticas e buscando, progressivamente um ponto de equilíbrio”.

Mandamentos da reeducação alimentar

Quando o assunto é emagrecer, muito se fala em regimes, porém, a maneira mais efetiva de manter o peso saudável em longo prazo é apostar em mudanças gradativas, reeducando o hábito alimentar. Dessa forma, é possível manter um padrão alimentar sem grandes alterações na balança. Entretanto, a linha que separa um regime de uma dieta é bastante tênue, pois muitas pessoas acabam desistindo das mudanças no meio do caminho ou voltando aos velhos hábitos quando atingem o peso desejado. Sendo assim, veja algumas dicas de como ter sucesso neste projeto e conseguir, de fato, estabelecer uma alimentação mais saudável:

Devagar e sempre

Diante disso, o que fazer para começar uma reeducação alimentar? As palavras de ordem são: Devagar e sempre. Evite estabelecer um dia de início da dieta quando normalmente se vai ao supermercado e enche-se o carrinho de alimentos “fit”. O mais adequado é fazer substituições aos poucos. “Por exemplo! Se a pessoa costuma comer um biscoito recheado pela manhã ou no lanche da tarde, substitua-o por uma fruta! Se não tem o hábito de comer vegetais, passe a investir em saladas antes da refeição principal e insira mais legumes no prato”. De acordo com a nutricionista, uma pequena mudança a cada dia ajuda o indivíduo a acostumar-se com uma alimentação mais saudável sem que isso se torne um martírio. Buscar um ponto de equilíbrio entre uma alimentação desregrada e a dieta ideal deve ser o desafio constante daqueles que desejam reeducar sua alimentação.

Fome ou vontade de comer?

É muito comum ter uma sensação constante de fome durante a dieta, mesmo durante as primeiras horas do regime. Isso porque comer não é apenas alimentar-se, mas também uma maneira de conseguir conforto, prazer e alívio da ansiedade. “É muito comum que durante uma dieta o indivíduo mal acabe de comer e já esteja pensando na próxima refeição. Contudo, essa fome é mais emocional do que física. Antes de buscar o alimento, é preciso analisar se o apetite é de fato uma necessidade fisiológica ou apenas um estímulo de compensação do organismo”. E como distinguir essas sensações? “A fome emocional é aquela ligada a fatores psicológicos, como, por exemplo, a vontade de repetir um prato de macarronada mesmo depois de satisfeito ou saborear um brigadeiro depois do almoço. Esse desejo está muito mais ligado ao prazer do que à necessidade de suprir a energia do organismo”. Saber diferenciar a fome da vontade de comer e buscar maneiras de reduzir o apetite é outro exercício diário de quem deseja reduzir a ingestão calórica.

Fonte: Nature Center

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!