PREVENÇÃO
Jovens formam Comitê Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil
Gostei (1) Não gostei (1)
Roraima é o sexto estado a implantar Comitê, composto por lideranças juvenis de escolas de vários municípios
Por Folha Web
Em 12/06/2018 às 01:29
A representante de Roraima no Comitê Nacional e Jovem Embaixadora do Brasil, Juliana Caroline da Silva Lima, chamou a atenção para a explosão de casos de trabalho infantil após a crise migratória (Foto: Wenderson de Jesus)

Roraima é o sexto Estado a integrar a rede de prevenção e erradicação do trabalho infantil com a formação do Comitê estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, composto por lideranças juvenis das escolas estaduais de vários municípios. A estratégia principal é a mobilização de adolescentes e jovens na liderança das discussões estabelecendo esta rede de proteção em todos os municípios.

A implantação da rede estadual ocorreu na manhã de ontem, 11, durante o 1º Encontro Estadual de Crianças e Adolescente promovido pela Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes), em conjunto com o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil em Roraima (Peti/RR) e o Fórum Roraimense de Prevenção e Erradicação ao Trabalho Infantil (Forpeti).

Além da participação de estudantes de vários municípios, o encontro para a implantação do comitê estadual contou ainda com a presença do mobilizador nacional e Procurador do Ministério Público do Trabalho no Estado do Ceará, Antonio de Oliveira Lima, e do idealizador da criação do Comitê Estadual do Ceará, Felipe Caetano.

A coordenadora estadual do Peti/RR, Rita Maria Lima Mello, destacou que esta é uma das atividades que integram as comemorações do dia nacional de Combate ao Trabalho Infantil, comemorado hoje, 12 de junho. Desde a semana passada estão sendo realizadas várias palestras em escolas públicas e outras ações vão acontecer durante todo este mês envolvendo os jovens e sua família.

“Estávamos esperando por este momento e desde 2017 estamos contatando os idealizadores da criação do Comitê Nacional e articular a inclusão de Roraima nesta importante rede. Estamos mais felizes que a condução deste trabalho será exclusivamente sob a liderança dos jovens e nossa participação é apenas acompanhar e dar o suporte na coordenação deste importante projeto. É uma nova articulação que se forma em todo o país e temos a grata satisfação de integrar e fortalecer estas ações”, disse.

A representante de Roraima no Comitê Nacional e Jovem Embaixadora do Brasil, Juliana Caroline da Silva Lima, enfatizou que o momento não poderia ser mais oportuno em razão da explosão da crise migratória em Roraima e, com isso, os índices de trabalho infantil se tornaram maiores e a defesa dos direitos da criança e do adolescente necessitava dessa articulação.

“Não podemos ver esta situação e nos tornamos cúmplice. O Comitê vai tornar as ações mais efetivas coordenadas pelos adolescentes que são os protagonistas a trabalharem na prevenção e redução destes números. Os jovens estão liderando com responsabilidade as grandes transformações na sociedade, e por que não contar com nossa participação neste processo?”, questionou.

Na avaliação do idealizador da criação dos comitês estaduais, Felipe Caetano, a criação do comitê em Roraima é uma das formas de trabalhar e ampliar os dados que o trabalho infantil ocasiona e os riscos que a criança está sujeita a esta situação de sobrevivência informal. “Ao disseminarmos esta ideia de que o trabalho infantil é errado, teremos com certeza uma maior abrangência no alcance desta meta e teremos uma sociedade bem melhor e mais comprometida com o fim do trabalho infantil”, frisou.

Procurador do Trabalho afirma que é necessário envolver jovens nesta luta

O procurador do Ministério Público do Trabalho no Ceará, Antonio de Oliveira Lima, destacou que as crianças precisam aproveitar esta importante fase da vida e crescerem saudáveis e felizes. A rede de proteção formada por jovens de todo o país vai ajudar a exercitar os direitos das crianças e adolescentes envolvendo toda sociedade neste importante processo.

“Os adolescentes, em sua maioria, não devem aceitar sob qualquer justificativa o ingresso no trabalho e assim abandonar os seus estudos e comprometer seu futuro. Roraima é o sexto Estado a criar seu comitê e vai possibilitar a garantia da integridade física e moral das crianças, melhorando assim sua convivência familiar e comunitária envolvendo lideranças juvenis que serão os executores desse projeto”, enfatizou. (R.G)

Castro disse: Em 12/06/2018 às 07:49:36

"Trabalhei e estudava na minha infância dei conta do recado é só tenho a agradecer ao trabalho, até porque tinha que manter minhas despesas pessoais, o que tem que combater é esse salário de fome torna os trabalhadores escravos e não empregados "

Christhian Rodolfo Torres Dominguez disse: Em 12/06/2018 às 07:28:14

"poxa devem formar ........ O Comitê Estadual de Erradicação dos Venecas.........kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk"