VENDA DA ELETROBRAS
Jucá é chamado de golpista por manifestantes após votação de MP
Por Folha Web
Em 10/05/2018 às 07:15
Romero Jucá defendeu a MP que reestrutura o setor elétrico e permite a privatização da Eletrobras (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB), foi hostilizado ontem, 9, no Congresso, por um grupo de manifestantes contrários à privatização da Eletrobras. Ao deixar a comissão mista que aprovou no período da manhã o texto principal da Medida Provisória 814/2017, que abre caminho para a venda da empresa, Jucá foi cercado por aproximadamente 15 pessoas, que, aos gritos, o chamavam de "golpista". 

Os manifestantes gravaram vídeos e divulgaram textos falando sobre a atuação do senador na venda da Eletrobras. O sindicalista Wellington Diniz, representante da Federação Nacional dos Urbanitários, que estava no local, disse que é surpreendente que um político aprove medidas contra seu próprio estado.

“Essa aprovação foi vergonhosamente conduzida pelo senador Romero Jucá, onde o governo do Michel Temer aprovou o texto da medida que coloca o sistema de Roraima em situação de colapso, pois o sistema elétrico do Estado vai continuar isolado e sujeito a apagões. Infelizmente o senador votou favorável a um texto que vai prejudicar seu próprio Estado. A população tem que execrar da vida pública quem não luta pelo lugar que representa”, disse o sindicalista.

PRIVATIZAÇÃO - A Medida Provisória (MPV) 814/2017, que reestrutura o setor elétrico e permite a privatização da Eletrobras, foi aprovada ontem pela comissão mista encarregada de examiná-la. O texto foi aprovado na forma de um projeto de lei e segue para o plenário da Câmara dos Deputados. Foram 17 votos a favor e sete contrários.

A MP excluiu da lei que trata da comercialização de energia elétrica o artigo que retirava a Eletrobras e suas controladas do Programa Nacional de Desestatização (PND). Ainda ontem o relator modificou o texto, o que levou a novo adiamento da votação. Enquanto a MP editada pelo governo tem quatro artigos, o texto sugerido pelo deputado Júlio Lopes tem 28 artigos e trata de outras mudanças no setor elétrico. O senador Romero Jucá defendeu a MP e o texto do relator, apontando para a necessidade de mais investimentos no setor elétrico.

A MP 814 destrava a licitação das seis distribuidoras da estatal, que atuam no Amazonas, Acre, Roraima, Rondônia, Alagoas e Piauí. Se não for aprovada nos plenários da Câmara e do Senado até 1º de junho, a MP perde validade. O edital de venda das empresas está em análise no Tribunal de Contas da União (TCU).

OUTRO LADO – A reportagem da Folha procurou a assessoria de imprensa do senador Romero Jucá, que informou que ele não comentaria o assunto pelo fato de serem apenas cinco manifestantes ligados à CUT que estavam na saída da Comissão. Também informou que a manifestação não foi apenas contra ele, mas contra todos os parlamentares que estavam presentes na análise do relatório.

mvs disse: Em 14/05/2018 às 11:48:18

"O próprio Senador se contradiz em seu discurso, quando ele fala que Roraima vai ficar de fora da privatização por não ser interligada, então quer dizer que quando interligar não vai ter outro jeito vai ter que privatizar. Fala sério Senador. Se está fora está fora e acabou.Espertinho esse Senador. Independente dele ganhar ou não ele vai privatizar e o povo que se lasque em pagar a tarifa de energia bem caro, mais bem caro mesmo. Bando de políticos ambiciosos, qto mais tem dinheiro mais quer, vão morrer tudo seco."

Natal Altair disse: Em 11/05/2018 às 00:31:41

"É mesmo, Romero Jucá, uma espécie de parlamentar representante típico da velha, apodrecida política brasileira, refém do neoliberalismo, o qual é responsável pelos males que prejudicam o povo brasileiro. A Inglaterra, país, europeu tem percebido que as privatizações feitas lá, representaram retrocesso, principalmente de serviços como o de água e energia. No entanto, o governo Temer e os seus aliados, mesmo com histórica reprovação popular adota, insiste em privatizar estatais brasileiras como a Eletrobras, sob argumentos parciais, atendendo aos interesses do grande capital que quer abocanhá-la visando lucros em detrimento do povo."

carlos alberto da silva oliveira disse: Em 10/05/2018 às 13:49:22

"Caju, caju, caju ,caju, caju, caju ,caju Jucá, Jucá .......kkkkk A sua hora vai chegar..... "

paulo emilio astuto disse: Em 10/05/2018 às 12:52:26

"Privatizar a Eletrobrás significa apunhalar Roraima pelas costas. Nenhuma empresa privada investir quantias vultuosas em um Estado longí­nquo com pouco mais de 500 mil habitantes. Ou ficaremos no escuro, ou pagaremos a tarifa elétrica mais cara do Brasil, quiçá do mundo..."

Rildo Lopes disse: Em 10/05/2018 às 12:02:09

"Esses políticos estão de um jeito que aquilo que incomoda eles é chama-los de honestos. E hoje esse atual cenário está de um jeito que, tirar um cara desse do poder não é garantia de tira-lo do meio político, pois todos que saem por conta das eleições, amanha volta a frente de alguma secretaria ou ministério. E outra, qual é o politico hoje que está em prol da sociedade? "

concurseiro disse: Em 10/05/2018 às 11:12:25

"Política no brasil é negócio e pouco importa a vontade e necessidade do povo. È a única conclusão racional que consigo enxergar. Não existe político bom ou ruim no Brasil: Todos são péssimos. "

mvs disse: Em 10/05/2018 às 11:06:22

"QUEREM VENDER A ELETROBRAS PARA PAGAR O ROMBO QUE ELES FIZERAM, E QUEM TEM QUE PAGAR É O POVO QUE ESTUDARAM PARA PASSAR NO CONCURSO E ESSES POLÍTICOS ACABAREM COM Á EMPRESA DA NOITE PARA O DIA, BANDO DE POLÍTICOS SAFADOS. SE JUNTAR TODOS NÃO DÁ UM QUE PRESTE."

Castro disse: Em 10/05/2018 às 09:13:32

"Esse é o Brasil que eu conheço massacrando e escravizando o trabalhador brasileiro, é dando vida boa aos criminosos."

carlos alberto oliveira dias disse: Em 10/05/2018 às 08:15:11

"Este cidadão tem que ser expulso do nosso Estado de Roraima. Faz tudo com interesse pessoal ou familiar."