ELEIÇÕES 2014
Justiça anula votos de deputado e fará novo cálculo de quociente
Gostei (74) Não gostei (363)
Ação inicial, que resultou na cassação do mandato de Masamy Eda, tratava de compra de votos
Por Folha Web
Em 10/08/2017 às 01:39
Deputado estadual Masamy Eda foi cassado em novembro do ano passado e recorreu no cargo (Foto: Platão Arantes/SupCom-ALE)

Os juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR), por unanimidade de votos, deram provimento aos embargos de declaração impetrados pela defesa do deputado estadual Masamy Eda (PMDB) e decretaram a nulidade dos votos e, ainda, o cálculo de novo quociente eleitoral a ser aplicado nas eleições de 2014, no que diz respeito às eleições para o cargo de deputado estadual do Estado de Roraima. A defesa do parlamentar pediu a nulidade de provas da ação, o que foi rejeitado pelos julgadores.

A ação de investigação judicial eleitoral foi proposta pelo Ministério Público Eleitoral. Na sentença, o relator da decisão, juiz Alexandre Magno Magalhães, destaca que ficou devidamente demonstrada a existência da captação ilícita de sufrágio e todos os votos recebidos pelo deputado Masamy na eleição de 2014, foram declarados nulos. A ação versava sobre o gasto ilícito de recursos financeiros de campanha mediante captação ilícita de sufrágio e o parlamentar teve seu mandato eletivo cassado.

Segundo a Justiça Eleitoral, teria ficado comprovado a prática de captação ilícita de sufrágio sob o estratagema pelo qual se entregava valores em cheques a pessoas com o pretexto de trabalharem para a campanha no dia das eleições, contudo, sem nunca prestarem tal serviço. Segundo o Ministério Público, foram contratados de forma fictícia mais de 1.500 pessoas utilizando-se recursos de campanha.

CASSAÇÃO – O Tribunal Regional Eleitoral de Roraima cassou o mandato do deputado estadual Masamy Eda (PMDB) em novembro de 2016. O parlamentar recorreu no cargo e agora ainda pode recorrer a instâncias superiores. Além da perda do mandato, o pleno do TRE decretou a inelegibilidade do político pelo período de oito anos.

SUPLENTES – Uma das ações foi impetrada na Justiça Eleitoral por José Reinaldo Pereira da Silva (PSDB), candidato a deputado estadual em 2014, que foi derrotado nas urnas e suplente de Masamy Eda. Com a recontagem dos votos, no entanto, outra candidata pode assumir o cargo. A substituta de Masamy seria Viviane de Morais, filha do ex-deputado Erci de Morais.

Damiao disse: Em 10/08/2017 às 17:27:34

"Dois pilantra oque pode sair é o que pode entrar no lugar dele. "

gilberto marcelino disse: Em 10/08/2017 às 12:52:18

"Não tem pressa. Esse assunto vai se esticar na Justiça Eleitoral até o fim dos tempos, mas é possível que caso o processo entre em regime de urgência urgentíssima, seja encerrado logo após 31 de janeiro do ano que vem, quando termina o mandato do deputado. Azar do Zé Reinaldo, que ficará a ver navios."

Rildo Lopes disse: Em 10/08/2017 às 11:28:23

"se essa vontade de voltar ao cargo fosse para o bem do povo, mas sabemos que é sempre para o bem próprio, e ainda vamos pagar essa conta! "