CASO FELIPE QUADROS
Justiça nega transferência de julgamento para outra comarca
O ex-policial militar Felipe Quadros é acusado de triplo homicídio qualificado e uma tentativa de homicídio.
Por Luan Guilherme Correia
Em 20/04/2017 às 10:36
Se condenado, Quadros pode pegar até 100 anos de prisão (Foto: Arquivo Folha)

O pleno do Tribunal de Justiça de Roraima negou desaforamento do júri que vai julgar o ex-policial militar Felipe Quadros. O julgamento do pedido feito pela defesa aconteceu agora na manhã desta quinta-feira.

Segundo o defensor Stelio Dener, um dos que atua no processo, a transferência do caso para outra comarca era necessário em virtude de “que já houve pré-julgamento e posicionamento de algumas autoridades condenando Felipe”

A defesa vai recorrer da decisão e o júri ainda não tem data confirmada para ocorrer.

ACUSAÇÕES - Felipe Gabriel Martins Quadros é acusado de triplo homicídio qualificado e uma tentativa de homicídio.

Diante das acusações de três homicídios consumados com três qualificadoras e um tentado, o réu poderá pegar até 110 anos de prisão, na teoria.

Na prática, pela forma que ocorreu e pela personalidade, a pena pode chegar perto de 100 anos, segundo a promotoria.

O CASO - No dia 9 de novembro de 2015, Quadros executou a tiros pai e filha, Eliézio Oliveira e Jannyele Filgueira, no bairro Pricumã, assassinatos que foram registrados por câmeras de segurança, no bairro Caimbé, ambos na zona Oeste.

O policial ainda disparou tiros contra o vizinho do empresário, Eernane Rodrigues, que tentou intervir no assassinato.

Christhian Rodolfo Torres Dominguez disse: Em 20/04/2017 às 11:49:56

"mais que safado............."