FRONTEIRA
Líder da oposição recebia propina da Odebrecht, investiga MP
Em 15 de fevereiro, a Justiça congelou contas bancárias e ativos da Odebrecht na Venezuela
Por Folha Web
Em 27/02/2017 às 09:00
Aécio recebeu seu aliado na Venezuela contra o chavismo, de forma efusiva em Brasiília, Caprilles pode ser preso por movimentar propina da Odebrecht (Foto: Pesquisa por imagem)

Um dos principais líderes da oposição na Venezuela, Henrique Capriles foi denunciado ao Ministério Público daquele país sob suspeita de ter movimentado US$ 3 milhões em propinas da empreiteira brasileira Odebrecht. Uma vez confirmada a denúncia, poderá ser preso a qualquer momento.

O suspeito foi recebido em Brasília, de forma efusiva no início deste ano, por um grupo de senadores. Entre eles o candidato derrotado em 2014 ao Palácio do Planalto Aécio Neves (PSDB-MG). O tucano também é citado nas delações premiadas do grupo empresarial, que o registrou sob o codinome ‘Mineirinho’.

— Estamos pedindo que a Procuradoria ordene uma medida cautelar para alienar e onerar os bens que sejam propriedade do sr. Capriles, provenientes do delito, e que seja declarada medida privativa de liberdade — afirmou o político chavista Luis Tellerías. Tellerías apresentou a denúncia em nome da ONG Frente Anticorrupção, da qual é presidente.

Em 15 de fevereiro, a Procuradoria informou que a Justiça venezuelana congelou as contas bancárias e os ativos da Odebrecht no país, depois do escândalo de propinas da empreiteira envolvendo funcionários do governo em vários países da América Latina.

Odebrecht na Venezuela - Capriles, que governa Miranda desde novembro de 2008, nega irregularidades. Ele tenta escapar. Assegura que as contratações com a Odebrecht foram feitas durante a gestão de Diosdado Cabello (2004-2008), hoje deputado e um dos líderes do chavismo.

Em janeiro, o Ministério Público anunciou que solicitou à Interpol uma ordem de captura contra uma pessoa, que não foi identificada.
Sem mencionar o nome de Capriles, o presidente Nicolás Maduro disse que “há um governador envolvido” que poderia ir preso.

— Já no Brasil é feita uma investigação. E foi ordenado a um banco suíço que entregue os movimentos sobre os depósitos da Odebrecht a Capriles — afirmou Tellerías.

Há duas semanas, o governo venezuelano prendeu dois jornalistas brasileiros que investigavam denúncias de propina da Odebrecht no país. Eles foram liberados um dia depois.

Com informações do Correio do Brasil

Rio Branco disse: Em 27/02/2017 às 18:03:58

"Diosdato Cabello, é narcotraficante e está envolvido em todos os meios de corrupção venezuelana. Duvido ue citam o nome dele em alguma coisa."

LOBATO disse: Em 27/02/2017 às 10:45:59

"Quem não vê que essa informação é armação, pois quem comandava o esquema de corrupção da odebrecher era o PT que é aliado do governo chavista, como que Caprilles nem estavaliação no poder pode ter envolvimento com empresa que prestava serviço ao governo Venezuelano. "

Deusdete disse: Em 27/02/2017 às 16:31:03

"Um certo delator disse 'A gente está fazendo uma bancada de 140 deputados, para um certo deputado cassado ser presidente'. Perguntar não ofende: de qual era mesmo o partido a que se refere essa frase do delator? quem ele apoiou para presidente? e qual era mesmo a empresa a que se refere o primeiro parágrafo?"