CRIMES EM RORAINÓPOLIS
Líder de facção criminosa condenado por tráfico é preso com arma e munições
Acusado de participação em homicídios em Rorainópolis, líder do PCC ainda tentou atirar contra policiais, mas foi contido
Por João Barros
Em 27/01/2017 às 01:13
Polícia suspeita que Diego Moraes Alves iria atacar presos rivais na Cadeia Pública de São Luiz do Anauá (Foto: Divulgação/Policia Civil)

Na noite desta quarta-feira, 24, policiais militares do município de Rorainópolis, no Sul do Estado, prenderam em flagrante Diego Moraes Alves, de 22 anos, por porte ilegal de arma. Ele é condenado pela Justiça por tráfico de drogas, é apontado como um dos chefes do PCC (Primeiro Comando da Capital) e suspeito de ter participação em uma série de homicídios ocorridos naquele município. A prisão aconteceu após uma perseguição no perímetro urbano da BR-174.

A ação, segundo a PM, foi iniciada durante patrulhamento de rotina, quando o indivíduo foi avistado na garupa de uma motocicleta que era conduzida por um comparsa. Suspeitando da postura dos elementos, a guarnição decidiu acompanhá-los para tentar uma abordagem. Eles seguiam pela BR-174, no trecho dentro da sede do município.

Depois de alguns minutos de perseguição, Diego saltou do veículo com uma arma na mão e tentou fugir correndo para o mato. Com a aproximação da equipe, ele tentou investir contra a guarnição, ameaçando atirar. Enquanto isso, o comparsa não identificado, abandonou a moto e fugiu a pé.

Mesmo após receber voz de prisão, o acusado fez menção de que atiraria nos PMs, que antes o  alvejaram com dois disparos de balas de borracha. Ainda assim, foi utilizado spray de pimenta para finalmente dominá-lo.

Com ele foram apreendidos uma pistola Taurus calibre 380, com numeração suprimida e nove munições intactas, a motocicleta Titan 150, de cor preta e dois capacetes.

Levado à delegacia, foi autuado em flagrante por porte de arma de fogo com a agravante de ter a numeração raspada. Também foi descoberto contra ele um mandado de prisão aguardando cumprimento de sentença condenatória de 4 anos e 2 meses de reclusão por tráfico de drogas.

As investigações apontam que Diego é um criminoso altamente perigoso e membro "batizado" em uma organização criminosa, com função de "chefia" em Rorainópolis. Contra ele, há indícios de participação em outros crimes recentes na região, como homicídios de desafetos decorrentes da disputa de locais de venda de entorpecentes, além de notícias de que ele e seu grupo planejavam promover ataques a inimigos que estão presos na Cadeia Pública de São Luiz do Anauá, também no Sul do Estado.

Levado à audiência de custódia, sua prisão em flagrante foi convertida em prisão preventiva e, ao mesmo tempo, foi dado cumprimento ao mandado de prisão. Ele foi encaminhado para Boa Vista, onde passou por exame de corpo de delito para então ser recolhido à Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc), na zona rural. (J.B)

Foto: Divulgação/Policia Civil
Arma que estava em poder do elemento quando foi preso em Rorainópolis
gilberto marcelino disse: Em 27/01/2017 às 10:54:44

"Lamentável que a PM tenha usado balas de borracha contra o malfeitor. Melhor seria o uso de munição real, privando-nos do risco de coabitar com bandidos dessa espécie. "