CRISE ENERGÉTICA
Moradores de Bonfim reclamam de constantes quedas de energia
População relata que Eletrobras demora a restabelecer fornecimento de energia elétrica
Por Paola Carvalho
Em 19/04/2017 às 00:55
O vereador Antônio Bezerra e os moradores Gilvandro Chagas e Antônio Souza procuraram a Folha para denunciar o descaso da Eletrobras (Foto: Rodrigo Otávio)

Moradores do município de Bonfim, região Norte de Roraima, há cerca de 120 quilômetros da Capital, acionaram a Folha para reclamar da qualidade da energia elétrica fornecida para a região. Conforme os habitantes do município, a situação ficou ainda pior após a Eletrobras Distribuição Roraima assumir o fornecimento de energia para o interior no início deste ano.

Segundo Antônio Bezerra, vereador do município, há queda constante de energia na sede e os moradores esperam por horas pela normalização do serviço, principalmente na Vila Esperança, São Francisco e Vilhena, além dos projetos de assentamento e comunidades indígenas, o que atinge cerca de quatro mil pessoas.

A situação atinge os comerciantes da região, que tem procurado por situações alternativas para manter o trabalho. Gilvandro Chagas, representante dos moradores da Vila Esperança, informou que os trabalhadores compraram motores para manter a energia.“Pessoal que mexe com açougue, sorveteria, essas coisas, tem que tirar o dinheiro do próprio bolso para que os alimentos não estraguem”, disse.

O comerciante Antônio Souza confirmou o problema e comunicou que o irmão, dono de uma padaria, também arca com as consequências das quedas constantes de energia. “Uns dias atrás ele começou a fazer pão, teve queda e a energia voltou só depois de quatro horas. No outro dia, já não teve pão de manhã. Isso dá prejuízo. Outra coisa é que queimou uma televisão de 50 polegadas na padaria. A gente chama a equipe, mas é a maior burocracia para repor o equipamento”, reclamou o comerciante.

Os moradores lembraram que, na época que a distribuição de energia era feita pela Companhia Energética de Roraima (Cerr), não havia problemas tão graves como agora. “Quando acionamos a Eletrobras, eles alegam que o problema é porque a energia não é suficiente o bastante para atender e, por isso, tem as quedas. Mas não é não. Porque quando era a Cerr, se [a energia] caia de manhã, meio-dia já estava ligado. É falta de contingente que eles não têm. Não tem gente para dar manutenção nas redes”, disse o vereador.

“Hoje a gente não tem acesso à empresa. Ela está simplesmente faturando e não está prestando o serviço adequado. A minha energia caiu, eu tive que vir três vezes na sede da Eletrobras em Boa Vista e eles não foram lá religar. Terminei contratando um profissional para ligar a minha energia depois de oito dias. Quando a Cerr era a distribuidora, isso jamais acontecia com a gente. No máximo passava oito horas, dez horas, quando era um problema muito sério, quando caia poste, ou acontecia algum desastre”, acrescentou Antônio Bezerra.

Gilvandro Chagas complementou a informação, dizendo que a população não tem acesso aos funcionários que realizam os serviços técnicos na região. “Os camaradas passam por lá, com o vidro do carro levantado.

Várias pessoas já vieram falar comigo que estão sendo mal atendidas pelos servidores que fazem a leitura da conta. A gente pergunta alguma coisa e eles mandam a gente vir para Boa Vista, ligar no 0800, mas não adianta nada. Nós estamos sendo humilhados pela Eletrobras, mesmo pagando pelo serviço”, disse.

SEM LUZ, SEM ÁGUA - Outra situação citada pelos moradores é a falta de água, pela Companhia de Águas e Esgotos de Roraima (Caer). “Com as quedas de energia, ficamos sem água porque as bombas também queimam. Isso gera até um problema entre os moradores e a Caer, porque as pessoas acham que a culpa é da Caer pela falta de água e não é”, disse o vereador.

A filha de Gilvandro estuda em uma escola no município e, para que as crianças não fiquem sem água, ele enche uma caixa d’água e leva para a escola. “Eu fico preocupado. Pego meu carro, ponho uma caixa d'água e coloco em cima da minha picape para levar pro colégio pras crianças beberem”, revelou.

ELETROBRAS – Em nota, a Eletrobras Distribuição Roraima informou que tem trabalhado para melhorar o serviço em todos os municípios, incluindo as comunidades indígenas mais longínquas e que, todos os dias têm equipes em campo realizam manutenções preventivas e corretivas, atendendo às necessidades emergenciais que ocorrem em diversos pontos do Estado.

Em relação à região do Bonfim, a Eletrobras afirmou que “há equipes com carros do tipo 4x4 que estão no município para atender os casos de emergência de segunda a domingo. Para isso, em situações de necessidade, os consumidores precisam acionar a empresa pelo telefone 0800 7019 120, ou diretamente no posto de atendimento no horário das 7h30 às 12h e das 14h às 16h”.

Além disso, a empresa informou que, como parte da programação de manutenção de rotina da Eletrobras, nesta quarta feira, 19, das 8h às 17horas, equipes estarão realizando troca de postes, podagem de árvores e troca de chaves seccionadoras na rede elétrica do município de Bonfim. “Durante a realização do serviço será necessário interromper o fornecimento de energia nas seguintes localidades Vilas: Nova Esperança, São Francisco, Vilhena, Comunidade Manoá, São Domingos, Jacamim e Alta Arraia. Na quinta–feira, 20, o trabalho continua nas vilas: São Domingos, Jacamim e Vilhena”, finalizou a Eletrobras. (P.C)

Comentários
Castro disse: Em 19/04/2017 às 07:25:08

"Não adianta reclamar esse povinho dá Eletrobrás não dam a mínima para as revindicações dos municípios do interior na cidade a energia já não é confiável imagina pró interior a intenção é só arrecadar estão pouco se lixando pra consumidor."