FALTA DE PAGAMENTO
Motoristas de transporte escolar paralisam e alunos deixam de ir a aula
Atraso no pagamento, segundo professores das unidades, chegaria a quatro meses; 320 alunos de Caroebe estão sendo prejudicados
Por Luan Guilherme Correia
Em 13/09/2017 às 01:08
Ao todo, 12 motoristas de transporte escolar cruzaram os braços por tempo indeterminado (Foto: Hione Nunes)

Desde a segunda-feira, 11, motoristas de veículos responsáveis pelo transporte escolar dos alunos de escolas da rede estadual de ensino no município de Caroebe, na região sul de Roraima, estão de braços cruzados. O motivo é a falta de pagamento há quatro meses pelo governo do Estado às empresas terceirizadas. Ao todo, 12 motoristas cruzaram os braços por tempo indeterminado.

A situação tem prejudicado aproximadamente 320 alunos das escolas Cláudio Nova da Costa, Dom Pedro, Tereza Teodoro e Jatapulândia, que dependem do transporte escolar para chegar às escolas e assistir às aulas. Algumas dessas unidades de ensino também suspenderam as aulas em algumas turmas e turnos por conta da falta de alunos e não há previsão para a retomada das atividades.

Além da falta de pagamento, o professor de uma das escolas, Antônio Carlos de Araújo, denunciou que os motoristas estariam trabalhando sem contrato e ordem de serviço. “Estão até sem contrato, trabalhando como voluntários, porque não tem ordem de pagamento nem nada. Por conta disso, eles [motoristas] resolveram parar o transporte, o que nos obrigou a suspender as aulas no turno vespertino”, relatou à Fo
Segundo o professor Antônio Carlos, há escolas no município em que 100% dos alunos dependem do transporte escolar. “A Escola Cláudio Nova da Costa parou totalmente, porque todos os alunos utilizam o transporte para irem às aulas. Não tem como ter aula, tem sala que tem de três a quatro alunos”, afirmou.

Conforme o denunciante, não é a primeira vez que servidores terceirizados ficam sem receber e acabam tendo que paralisar as atividades na rede estadual do município. “Como fica a situação do servidor sem a certeza de que vai receber? Já teve funcionário que trabalhou seis meses e foi mandado embora sem receber. Todos têm família e filho, mas não estão tendo dinheiro nem para se alimentar”, frisou.

No dia 27 de julho, o governo do Estado suspendeu o edital destinado à contratação de serviço de transporte escolar para atender alunos das escolas do interior e zona rural de Boa Vista. O cancelamento do processo ocorreu após reclamações de 57 pequenos e médios empresários do setor de transporte escolar que se sentiram excluídos do processo licitatório, por conta de alterações no edital.

SEED - A reportagem da Folha enviou demanda para a Secretaria Estadual de Educação e Desportos (Seed) e questionou o motivo dos atrasos no pagamento do transporte escolar em Caroebe, e também como estaria o andamento da licitação para contratação de empresa especializada para prestar o serviço. Até ás 14h de ontem, no entanto, não obteve retorno. (L.G.C)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!