HORROR NA BR-401
Mulher tem corpo dilacerado ao ser atropelada em rodovia federal
Além de dilacerado, corpo foi partido ao meio e a parte superior caiu no banco do passageiro do carro que, segundo a PRF, ainda percorreu 13 Km em fuga
Por João Barros
Em 09/08/2017 às 00:50
Situação em que ficou o carro dá a dimensão exata do forte impacto devido à alta velocidade (Foto: Divulgação)

Na manhã desta terça-feira, 08, a idosa Bárbara Williams James, com idade entre 60 e 70 anos, segundo a polícia, foi vítima de um violento atropelamento que dilacerou seu corpo. Primeiro foram encontrados a parte inferior do corpo e um dos pés. Depois foi localizada a parte superior dentro do carro. As condições em que ficaram o carro dão uma dimensão do impacto devido à alta velocidade do veículo.

O fato aconteceu na BR-401, na altura do Município de Bonfim, região leste do Estado. O condutor do carro Vectra atropelou e carregou parte do corpo no banco do passageiro, onde caiu devido ao forte impacto, por 13 quilômetros, antes de abandonar o veículo e fugir. A outra metade do corpo (membros inferiores) ficou no meio da rodovia, espedaçado.

O atropelamento ocorreu na altura do quilômetro 95 da rodovia. Conforme a PRF, o motorista deixou o veículo próximo a um bar. O veículo foi encontrado com a parte superior do corpo da vítima, que estava no banco do carona. O condutor ainda não foi identificado. Os agentes da Polícia Rodoviária Federal encontraram, no interior do carro, vários produtos contrabandeados da Guiana.

O rabecão do Instituto de Medicina Legal (IML) e a Perícia Criminalística foram acionados e chegaram ao local antes do meio-dia. Depois que os procedimentos técnicos e a análise das condições da primeira parte do corpo foram concluídos pelo perito, o IML fez a remoção, seguindo para o local onde o veículo estava para realizar o mesmo processo na outra metade do cadáver.

Somente na tarde de ontem todas as partes do corpo chegaram à sede do Instituto para que o exame cadavérico fosse realizado, mas o corpo será liberado somente nesta quarta-feira, 09, quando os familiares trarão a documentação necessária, inclusive os documentos pessoais da vítima.

DIFICULDADE – As equipes da PRF e da Polícia Civil estão trabalhando para identificar e localizar o condutor e para fazer a identificação da vítima. Devido ao impacto, o corpo ficou tão esmagado que foi difícil no primeiro momento identificar o sexo, uma vez que a outra parte só foi encontrada uma hora depois, por esta a própria polícia se equivocou quando deu as informações preliminares.

Em nota enviada à Folha, a PRF informou que após laudo pericial, foi constatado que se tratava de uma mulher, ao contrário do que foi informado anteriormente aos jornalistas. "Devido às condições em que o corpo se apresentava, ficou difícil distinguir o sexo da vítima", explicou a PRF. (J.B)

Henrique Sérgio Nobre disse: Em 09/08/2017 às 09:08:38

"Não há limites para a maldade humana. Está mais que provado!"