CRIANÇAS E ADOLESCENTES
Palestras visam alertar para abuso e exploração sexual
Gostei (0) Não gostei (0)
Evento faz parte da programação alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes
Por Ana Gabriela Gomes
Em 16/05/2018 às 07:20
Coordenadora da Divisão de Ações e Média Complexidade da Setrabes, Shyra Coelho, afirmou que Roraima é considerado um Estado de risco em relação aos crimes de abuso e exploração sexual (Foto: Wenderson de Jesus)

Uma palestra realizada na manhã de ontem, 15, aos alunos do 6º ao 9º ano da Escola Estadual Barão de Parima, no bairro Calungá, no Centro, deu início a programação alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, celebrado no dia 18 de maio. O objetivo é abordar, com uma linguagem direcionada aos jovens, a tipificação das violências, seja física, psicológica, abuso, exploração ou tráfico.

Até o final da semana, a Divisão de Ações e Média Complexidade (Damc) da Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes) vai realizar ações de panfletagem e palestras em outras escolas. O foco das ações é voltado ao público jovem, a fim de que se sinta confiante a conversar sobre qualquer possível problema, seja com os palestrantes, professores ou a própria família.

As palestras contidas na programação são realizadas continuamente, tendo em vista o papel de mobilizar a sociedade, capacitar profissionais e orientar a população, executada pela Coordenação Estadual dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e a Damc. Com a proximidade do dia nacional, no entanto, o serviço é intensificado por meio da divulgação em meios de comunicação e panfletagens.

Para a coordenadora da Damc, Shyra Coelho, Roraima sempre foi e será considerado um Estado de risco em relação aos crimes. “Os casos tendem a aumentar. Não por serem casos estrondosos, mas pelo trabalho desenvolvido pela rede de proteção. Geralmente as violências acontecem dentro de casa, então a regra do silêncio é uma realidade”, disse. Ela contou que, por meio das ações, as pessoas criam confiança para denunciar.

Além da capital, a Coordenação Estadual dos Creas tem o papel de supervisionar o que os demais municípios do Estado executam em relação ao combate ao abuso e da exploração sexual junto ao público infanto-juvenil. Atualmente, os 15 municípios possuem uma unidade do Creas, onde são oferecidos atendimentos psicossociais junto à família e à vítima, de forma individual.

Os alunos Jean Franco, de 15 anos, e Narson Senat, de 14 anos, contaram que já conheciam o assunto por meio da internet e filmes. Diferente dos meninos, a estudante Jocianny Silva, de 14 anos, desconhecia o assunto, mas considerou a palestra interessante. “Até pra abrir a mente das pessoas que podem estar numa situação de abuso ou exploração e não sabem”, apontou.

ORIENTAÇÃO – “A única orientação que a gente dá é denunciar”, destacou Shyra. No caso de qualquer suspeita em relação ao crime, a pessoa pode entrar em contato com o Conselho Tutelar, Polícia Militar do Estado de Roraima (PMRR), Defensoria Pública do Estado de Roraima (DPE), Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (NPCA) e o 5º Distrito Policial, que funciona 24 horas por dia. Além disso, ela aconselhou que os familiares prestem atenção nas atitudes e mudanças de personalidade dos filhos, como agressividade, depressão e tendência ao suicídio.

PROGRAMAÇÃO – A próxima palestra será ministrada amanhã, 17, às 10h, na Escola Estadual 13 de Setembro. Na sexta-feira, 18, a programação encerra com uma panfletagem, às 9h, em pontos da avenida Mário Homem de Melo. (A.G.G)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!