SAÚDE
Pediatra alerta para evitar mosquitos nos bebês
Por Raisa Carvalho
Em 13/02/2017 às 00:00
Foto: Divulgação

Mosquitos, baratas e besouros podem entrar em ouvidos de bebês, a entrada de insetos no ouvido é muito frequente. Matar o inseto deve ser a primeira providência, pois sua presença pode machucar o tímpano, região mais sensível do ouvido. De acordo com a pediatra Ana Carolina Brito, o melhor método de evitar o contato com os mosquitos seria o mosquiteiro.

Ela explica que a partir do sexto mês, o bebê pode utilizar o repelente. “A partir dos seis meses até dois anos, é recomendado consultar um pediatra ou dermatologista para que ele possa prescrever o repelente mais indicado a essa fase. Para crianças de dois a sete anos, observe com atenção o rótulo dos produtos para conhecer as indicações — algumas marcas oferecem versões para os pequenos, com menos concentração dos princípios ativos”, explica.

Antes dessa idade, deve ser feito o controle ambiental, telas nas janelas, e não acumular lixo em casa. “O mosquiteiro é um método antigo, mas muito eficaz. A criança fica longe dos insetos, e ainda há a proteção para o zika vírus”, conta.

No caso dos bebês, os mosquiteiros são ideais para proteção, e aí não será preciso o uso de um produto químico como o repelente. Outra dica são aqueles que vêm com tecidos de inseticida. Segundo a pediatra, é uma opção a mais para quem quer deixar a criança bem protegida.

As telas em janelas também devem ser usadas como um cuidado a mais na proteção contra o mosquito. Elas diminuem a chance da picada, mas não podem ser encaradas como medida única de prevenção, já que não são todos os locais que possuem redes.

Embora seja o principal alvo de corpos estranhos, o ouvido não é o único órgão lesado por esse tipo de acidente. As narinas comportam insetos ainda maiores que os suportados pelos ouvidos e também estão na mira das crianças.

Se entrar no ouvido um besouro ou mosquito, caroços de qualquer coisa, não se apavore, pode ser solucionado. Procure um médico para exercer o procedimento de retirada destes elementos estranhos.

Caso os pais ou responsáveis observem que há um inseto no ouvido da criança, é necessário ir ao otorrinolaringologista – único profissional que possui ferramentas e técnicas seguras para sanar o problema. Afinal, o canal auditivo é um orifício muito pequeno e qualquer tentativa de retirar o animal por conta própria (com cotonetes e outros objetos) pode ser prejudicial.

Comentários
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!