MOBILIZAÇÃO NA FRONTEIRA
Presa quadrilha de 17 venezuelanos acusada de assaltar em Pacaraima
Policiais se mobilizaram para prender o grupo de venezuelanos que vinha sendo monitorado por prática de assaltos na fronteira
Por João Barros
Em 12/01/2017 às 00:25
Com a quadrilha foi encontrada grande quantia em bolívares, dólares e reais (Foto: Divulgação)

Policiais militares que integram a 1ª Companhia Independente de Policiamento de Pacaraima, município que fica na fronteira com a Venezuela, ao Norte do Estado, prenderam, na madrugada desta quarta-feira, 11, uma quadrilha de venezuelanos. Eles são suspeitos de realizarem uma série de assaltos a lojas em Pacaraima.

O grupo tinha 17 membros, entre eles, duas mulheres. Com eles, soldados da Polícia Militar recolheram a importância de 12 milhões de bolívares, cerca de 2 mil dólares e R$ 3 mil, além de vários documentos. Conforme um dos policiais, o bando é suspeito de realizar uma série de roubos e furtos pela cidade fronteiriça.

A investigação deve continuar nos próximos dias, tendo em vista que o número de envolvidos pode ser ainda maior, chegando a quase 30 pessoas. Por meio de um monitoramento das vias públicas e de denúncias, os policiais pretendem chegar aos demais suspeitos. Vídeos de câmeras de lojas registraram momentos em que os indivíduos agiam.

Segundo a PM, foi preciso utilizar todo o efetivo em serviço para prender todos os suspeitos, que foram entregues à Delegacia da Polícia Civil do município. Estima-se que, após realização dos trâmites do flagrante delito, eles sejam encaminhados ainda hoje para as autoridades venezuelanas e deportados do Brasil.

A origem da quantidade de dinheiro encontrada com o bando não foi esclarecida à guarnição, mas deve ser explicada à autoridade policial responsável pelo caso. Durante a operação que resultou nas prisões, homens do Corpo de Bombeiros também auxiliaram. (J.B)

Comentários
Rio Branco disse: Em 12/01/2017 às 17:04:30

"Como não cometeram crime nenhum em território venezuelano, e tem guardas venezuelanos que dão cobertura a eles em troca de propina, em Santa Elena serão soltos, e logo estarão aqui novamente, praticando os mesmos delitos."

Almeida disse: Em 12/01/2017 às 06:51:36

"Tem que envia-los sistema prisional de Roraima.Para as facções dareme um corretivos neles."