DESBRAVANDO LINGUAGENS
Professor viaja de carona pelo Brasil utilizando o couchsurfing
Violão, mochila e histórias de todos os cantos do país
Por Michel Sales
Em 10/10/2017 às 15:30
Com carisma, professor absorve a experiência de brasileiros de todos os cantos do país, que o recepcionam calorosamente (Foto: Arquivo Pessoal)

Percorrer milhares de quilômetros detalhando aspectos do cotidiano regional brasileiro. Este é o sonho e projeto do professor paranaense Marcos Camargo, 42 anos, que iniciou o ‘Brasil de Carona’ no último dia 12 de junho, quando saiu de Cascavel (PR), região Sul do País.

Camargo tem graduação em Psicologia e Letras, deu um tempo no trabalho e contou com o apoio da família para encarar o desafio. Os custos desta saga épica ocorrem por meio da solidariedade de pessoas e de aulas de espanhol e português via internet.

Visitando o Norte do Brasil, o viajante chegou a Roraima na semana passada.

“Minha primeira impressão do Estado foi perceber a geografia local, o clima quente e, sobretudo, a diversidade cultural de linguagens e personalidades de todo o Brasil e de países fronteiriços”, destacou o professor.

Divididas em temporadas semestrais, que deverão ser concluídas em dois anos e meio, o ‘Brasil de Carona’ cruza o país do Chuí ao Caburaí utilizando a plataforma couchsurfing, um aplicativo da rede social criado em 2003, que atualmente conta com quatro milhões de usuários. Ele faz a ponte entre turistas que pedem hospedagem grátis durante uma viagem e pessoas que gostariam de receber esses visitantes.

“Em Boa Vista fui acolhido pelo parceiro de couchsurfing e produtor Daniel Alencar. O aplicativo sinaliza para os guias informais, deixando tudo bem definido e programado para que possamos nos conectar com pessoas que acolhem os bons aventureiros, ou seja, o couchsurfing atende a um ‘resgate de solidariedade’, intencionando você a conhecer uma cidade baseado na experiência de seu anfitrião, que deve servir como guia informal”, destacou Camargo.

“Com frequência tenho acolhido os parceiros do couchsurfing que cruzam Roraima. A experiência de conhecer culturas diversas é uma característica ímpar do aplicativo e torna simples e barato e acolhida dos amigos”, ressaltou Daniel.

Em meio ao Brasil, o professor Camargo destacou aspectos positivos e negativos do desafio.

“Apesar de perceber de perto a violência em cada região, principalmente contra as mulheres, além das diversas questões sobre o preconceito, busco registrar a positividade do cotidiano e detalhar estas diferenças. Tudo isso está sendo projetado em um site onde o ‘Brasil de Carona’ será espelhado ao público em uma plataforma digital concluídos em inglês, espanhol e português, além de um livro, ao final”, comentou.

“A matéria prima do projeto é o cotidiano, o produto são os relatos de viagem e as reflexões surgidas a partir do contato com diferentes pessoas, de qualquer classe econômica e social. O foco são elas, sua mente, coração aberto e experiências e não o extraordinário, o turístico, as belezas naturais, as atrações”, disse.

Agora, Marcos busca carona e hospedagem nos municípios de Pacaraima e Bonfim, regiões fronteiriças do Estado. Para quem possa acolhê-lo em visitação, entre em contato pelo (95) 98107-1223.

“Viajar nos reconecta com o fluxo do universo, porque nos faz sentir vivos, vibrantes, curiosos, interessados, surpresos, gratos, humildes como deveríamos ser em todos os dias de nossas vidas. Viagens são professores. É um atalho para se chegar com mais facilidade. Também agradeço aos meus queridos Joel, Olinda e Talise Camargo, Pepe Mujica, Francisco de Assis e ao filósofo Diógenes de Sinope”, finalizou.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!