ENERGIA ELÉTRICA
Remídio Monai questiona aumento da tarifa de energia
Por Folha Web
Em 11/11/2017 às 01:19
Remídio cobrou uma ação concreta do Executivo Federal na revisão do aumento na tarifa de energia (Foto: Alice Andrade)

O deputado Remídio Monai (PR-RR) usou a tribuna na sessão deliberativa da Câmara dos Deputados, para fazer um apelo ao Governo Federal sobre questões emergenciais do Estado de Roraima, que interferem na qualidade de vida da população e no desenvolvimento econômico da Região.

O parlamentar cobrou uma ação concreta do Executivo Federal na revisão do aumento na tarifa de energia, autorizada recentemente pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), após solicitação da Eletrobras Distribuição Roraima. “Em menos de um ano, esse é o segundo aumento autorizado e os roraimenses continuam sendo penalizados, não apenas pelos valores abusivos, que ultrapassam os índices previstos na inflação anual, mas também pela péssima qualidade da energia fornecida”, salientou.

Remídio Monai expôs os problemas relacionados à falta de interligação ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e sobre os recorrentes apagões. “No estado, só nesse ano, foram registrados 30 apagões e a maior parte relacionada aos problemas nas linhas de transmissão da Venezuela. É importante ressaltar que os deputados federais não estão inertes a esta questão. Estamos atuando em diversas frentes, seja no âmbito jurídico, como político, a fim de encontrar uma solução definitiva ao problema energético de Roraima”, disse o parlamentar.

PEC 199 – O deputado Remídio pediu ainda apoio à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 199, de 2016, na qual permite que servidores públicos ou cidadãos, que mantiveram relação de trabalho com os ex-Territórios, tenham o direito de integrar o quadro em extinção da administração Federal. O parlamentar falou sobre a necessidade de corrigir erros e contemplar os trabalhadores que não foram absorvidos pela Emenda nº 79 de 2014. Monai lembrou que a Proposta foi elaborada com a concordância da Advocacia Geral da União, incluindo previsão orçamentária, a fim de reduzir o impacto financeiro aos cofres da União.

Também fez referência à luta pelo reconhecimento do direito de trabalhadores que se dedicaram e se doaram para assegurar a instalação do Estado de Roraima. “Precisamos consolidar esta justa e merecida reparação e reconhecer o direito legítimo de mães e pais de família que, com sua força de trabalho, ajudaram na construção do nosso Estado”, declarou.

Adailton Silva Oliveira disse: Em 11/11/2017 às 12:31:27

"Eu vou fazer um gato pela primeira vez, não tem homem em cima dessa terra que me faça legitimar esse roubo."