TURISMO
Roraima tem várias opções para o feriado prolongado
A cachoeira Véu de Noiva, que só aparece durante o inverno é umas das atrações
Por Folha Web
Em 31/05/2018 às 07:04
Fotos: Secom RR

No Uiramutã, município com a maior proporção de população indígena no país, tem cachoeiras exuberantes, como as Corredeiras de Paiuá

O feriado de Corpus Christi deste ano é nesta quinta-feira, 31 de maio, e para muitas pessoas segue até domingo, 3 de junho, por conta do ponto facultativo decretado pelo Governo do Estado na sexta-feira, 1º. Para quem aprecia o turismo regional, Roraima tem várias opções para quem quer deixar de lado a rotina da cidade.

A Serra Grande é um lugar repleto de belezas naturais, com variedade de fauna e flora, trilhas ecológicas, além de belíssimas cachoeiras. Tudo isso próximo de Boa Vista, inclusive é possível avistar a capital do alto da Serra.

A cachoeira Véu de Noiva é a maior atração da Serra Grande, porém só é possível desfrutá-la no período chuvoso, que ocorre de abril a setembro em Roraima. O acesso também só é possível por meio do Rio Branco.

Empresas do ramo oferecem os mais variados tipos de pacotes como passeio de barco no Rio Branco com paradas para observar os animais silvestres que aparecem na mata durante o passeio, entre outros atrativos. O passeio custa cerca de R$ 140 por pessoa, alguns pacotes já incluem café da manhã (regional), almoço, e também entrada para a fazenda que dá acesso à Serra. Além disso, há a trilha que deve ser feita até chegar o topo, o que é mais um atrativo para quem gosta de aventura.

Os turistas também podem escolher pacotes que fazem o percurso em um dia ou mais. Os que preferem ir para dormir, devem se preparar com barraca resistente à água, isolante térmico e saco de dormir. De acordo com Hélio Zanona, proprietário de uma Agência de Roteiros Turísticos na capital, a segurança é imprescindível tanto para os turistas quanto para o meio ambiente.

“O roteiro para a cachoeira Véu de Noiva é indicado para pessoas com bom preparo físico, pois é uma trilha de intensidade forte. Além disso, em respeito ao meio ambiente e à segurança dos turistas, nós formamos grupos de no máximo 12 pessoas, para manter o ambiente preservado”, salientou.

TEPEQUÉM – Um pouco mais distante de Boa Vista, porém não menos procurada pelos turistas, até de outros Estados e países, está a Serra do Tepequém. Dados do Detur (Departamento Estadual de Turismo), durante todo o ano de 2014, Roraima recebeu 846 turistas internacionais, e, apenas no primeiro trimestre 2017, foram quase cinco mil.

“Nós organizamos o setor e fizemos um planejamento estratégico para quatro anos que vai se estender por mais quatro. Com isso tiramos Roraima do 26º lugar no ranking de competitividade nacional, e agora somos o 12º Estado em ações concretas de captação de novos alvos para investimento em turismo”, explicou Ricardo Peixoto, diretor do Detur.

Peixoto adiantou ainda que Roraima deve receber mais três voos para atender a demanda reprimida. “Todo o investimento do Governo fez aumentar a procura de turistas no setor aéreo necessitando de mais voos. Isso deverá ocorrer nos próximos dias, pois estamos apenas aguardando a republicação de um decreto para que as companhias possam colocar esses voos”, ressaltou.

No Tepequém, além do clima ameno da Serra e das cachoeiras que rodeiam o local, ainda é possível ir até o Platô, que fica a 1.100 metros de altitude. De lá é possível ver a Vila do Paiva e ainda prestigiar a vista deslumbrante da natureza ao redor.

UIRAMUTÃ – O município com a maior proporção de população indígena no país tem cachoeiras exuberantes. Os visitantes se deparam com a natureza quase intacta observando a paisagem deslumbrante em todo o percurso dentro do município. Os locais mais visitados são a Cachoeira do Urucá e as Corredeiras do Paiuá.

Por Rosi Martins

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!