PARALISAÇÃO DAS ATIVIDADES
Servidores da Cerr cobram salário atrasado
Gostei (1) Não gostei (2)
Por Folha Web
Em 14/03/2018 às 01:25
Presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas de Roraima (Stiu-RR), Gisselio Cunha, disse que a categoria espera resposta positiva do Governo (Foto: Hione Nunes)

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas de Roraima (Stiu-RR) anunciou paralisação das atividades dos servidores da Companhia Energética de Roraima (Cerr) por 72 horas, com início na sexta-feira, 16. A decisão foi tomada em assembleia realizada semana passada. Os servidores reclamam de atraso no pagamento do salário do mês de fevereiro. 

O presidente do Sindicato dos Urbanitários, Gissélio Cunha, disse que a categoria espera resposta positiva do Governo para o pagamento até o prazo estipulado pela categoria. “A categoria acredita na possibilidade de o Governo resolver a situação até sexta e não haver necessidade de paralisar”, afirmou.

Uma técnica administrativa, que preferiu não ser identificada, disse que o Governo não deu previsão para o pagamento, que já devia ter sido realizado. Segundo ela, muitos dos servidores estão com problemas sérios em casa por conta do atraso no salário. “É muito difícil para nós, que temos contas para pagar. Estou com aluguel, água e luz atrasada. Graças a Deus ainda não faltou alimentação. Na mesma situação que eu, há outros colegas e alguns com casos mais delicados”, disse.

Ainda de acordo com a técnica, os servidores têm a esperança que o Governo do Estado resolva a situação até sexta-feira e não exista a necessidade de paralisação das atividades. “Esperamos a sensibilidade do Governo em reconhecer nosso trabalho e nossa situação e realizar o nosso pagamento, sem mais transtornos para ambas as partes”, concluiu.

QUADRO DE SERVIDORES – Atualmente, a Cerr conta com 483 funcionários entre efetivos, comissionados, carteira assinada e serviço prestado. Ao todo, cerca de 60 trabalhadores da empresa foram cedidos, sendo 54 para a Eletrobras e seis para outros órgãos estaduais.

OUTRO LADO – A Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) se limitou a informar que, até o dia 30 de março, será feito o pagamento da administração indireta, conforme a disponibilidade financeira do Estado. (E.S)

DMS disse: Em 14/03/2018 às 07:55:54

"Resposta da SEFAZ prepotente, sem respeito e descompromissada com as responsabilidades do governo frente a classe trabalhadora..."