SAÚDE PÚBLICA
Sociedade Brasileira de Pediatria pede atenção para surto de pólio na Venezuela
A entidade ressalta que o último caso da doença registrado nas Américas foi detectado em 1991 no Peru
Por Folha Web
Em 14/06/2018 às 13:40
Sociedade Brasileira de Pediatria demonstra preocupação com casos de pólio registrados na Venezuela (Foto: Divulgação)

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) pediu para que o Governo Federal, médicos e a população em geral redobrem os cuidados em relação ao surto de pólio registrado na Venezuela. A recomendação foi feita em nota publicada na tarde de ontem, 13.

No documento, a SBP orienta os pediatras a “estarem atentos aos possíveis casos de paralisia flácida aguda (poliomielite) e para a importância da sua adequada investigação”. O último caso da doença nas Américas foi registrado em 1991 no Peru.

Na Venezuela, casos de pólio foram confirmados pela Sociedade de Saúde Pública daquele país no dia 7. Os infectados, segundo a entidade, sãoindígenas Warao residentes da comunidade de La Playita del Volcán, estado de Delta Amacuro.

O primeiro caso foi confirmado em uma criança de 2 anos e 10 meses, sem antecedentes de vacinação prévia que, após desenvolver o quadro de paralisia flácida aguda, teve identificado poliovírus vacinal tipo 3. Após isso, a vigilância epidemiológica venezuelana encontrou outras ocorrências de PFA recentes, também em crianças, em comunidade vizinha, que continuam sob investigação.

No alerta, a SBP defende ainda a importância de se reforçar a "manutenção de elevadas e homogêneas coberturas vacinais para a poliomielite em nosso País (acima de 95%), com o intuito de mantê-lo livre da pólio até que a erradicação global seja alcançada".

Desde o agravamento da crise venezuelana, estima-se que quase 90 mil pessoas tenham migrado para o Brasil, a maioria para estados do Norte, em especial Roraima.

*INFORMAÇÕES: Portal de Notícias UOL.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!