ENCONTRO DE GOVERNADORES
Suely Campos entrega plano de controle fronteiriço a ministros
Governadora pediu reforço do policiamento na fronteira e reativação do posto da PRF em Pacaraima
Por Folha Web
Em 28/10/2017 às 01:27
Governadora Suely Campos e governadores de 16 estados participaram de encontro com ministros (Foto: Elinaldo Santos)

A governadora Suely Campos participou ontem, 27, do Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança e Controle das Fronteiras, em Rio Branco, no Acre, com mais 16 governadores e dois vice-governadores. Durante o evento, ela entregou um plano de controle fronteiriço no Extremo Norte do Brasil aos ministros da Defesa, Raul Jungmann; da Justiça, Torquato Jardim; das Relações Exteriores, Aloysio Nunes; e do gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchgoyen; e ao governador do Amazonas, Amazonino Mendes.

O plano propõe o reforço das forças de segurança na região, principalmente nos acessos clandestinos, a reativação do destacamento da Polícia Rodoviária Federal em Pacaraima e a implantação de um posto de fiscalização conjunto no Jundiá. Em todo o país, são quase 17 mil quilômetros de fronteiras, sendo que Roraima tem 2.255 quilômetros de fronteiras com a Venezuela e a Guiana.

“A BR-174 é o único acesso terrestre do Brasil do Extremo Norte e estamos propondo uma cooperação técnica e operacional com o Amazonas e com o Governo Federal para instalação de uma barreira permanente no Jundiá, integrada com a Polícia Civil e Polícia Militar do Amazonas e de Roraima, além da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e técnicos das agências de defesa agropecuária dos dois Estados. Com essa ação integrada, teremos condições de coibir quase 100% dos crimes como tráfico de drogas, de armas e de pessoas, além do contrabando e sonegação fiscal”, explicou Suely.

Conforme a governadora, Roraima está se transformando em corredor para esses crimes, inclusive há registro de apreensão de armamento pesado no Estado. “Nossas fronteiras são vulneráveis e há o desaparelhamento do Estado brasileiro. Somado ao grande e desordenado fluxo migratório da Venezuela, registramos aumento de 55% na criminalidade em Roraima. É hora de o Governo Federal assumir essa responsabilidade, investir em equipamentos e tecnologia para que, junto com os Estados, seja possível cuidas das nossas fronteiras”, detalhou.

Em relação aos imigrantes, Suely Campos observou que o Governo do Estado tem atuado no atendimento humanitário, mesmo com limitações, dos venezuelanos que chegam ao Estado. “Mas em relação às fronteiras, é preciso que se faça um controle. Não falo isso no sentido de impedir a entrada de todos, mas de coibir a prática de crimes e também fazer controle sanitário, pois estamos registrando doenças que até então tinham sido erradicadas do Brasil, como sarampo e difteria”, complementou Suely Campos.

O presidente da República, Michel Temer, cancelou presença no evento por questões de saúde, mas enviou os ministros ligados à área de segurança. Em mensagem lida pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim, Michel Temer considerou a segurança dos brasileiros uma emergência nacional e garantiu que, “com a mesma coragem, a mesma determinação e a mesma energia que vencemos a recessão vamos vencer o problema da segurança”.

PLANO DE CONTROLE – As diretrizes do Plano são justificadas pelo aumento da criminalidade em Roraima por conta da falta de um controle efetivo nas fronteiras com a Venezuela e a Guiana. “Em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela, identificamos diversas rotas clandestinas, onde não há fiscalização. O baixo efetivo da Polícia Federal e da Receita Federal e a desativação do posto da Polícia Rodoviária Federal acabam contribuindo para esse baixo controle de segurança”, detalhou a governadora.

Na fronteira com a Guiana, a preocupação é com o tráfico de drogas, principalmente maconha, tornando-se necessário o aumento do efetivo de segurança também nessa região.

Outro problema é a falta de um posto da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para atuar na vacinação de todos que entram no Brasil.

RORAIMA/AMAZONAS – A divisa entre os dois Estados também foi um ponto abordado no Plano Estratégico. A proposta do Governo de Roraima é uma atuação conjunta entre os dois Estados e com o apoio do Ministério da Justiça, com a instalação de um banco de dados com informações de pessoas e veículos e também de um scanner de veículos, o que pode ajudar a inibir praticamente 100% dos ilícitos, uma vez que a BR-174, onde fica o Posto de Fiscalização do Jundiá, é a única ligação via terrestre entre os dois Estados.

CARTA DO ACRE – Com o encerramento do Encontro, os chefes dos executivos estaduais presentes de todas as regiões do país assinaram a Carta do Acre, documento que pactua uma união institucional urgente e necessária pela segurança pública no país.

concurseiro disse: Em 13/11/2017 às 09:11:46

"a maior facção criminosa do brasil está instalada em brasília, mais especificamente na praça dos três poderes. "

VAGN disse: Em 30/10/2017 às 10:27:51

"A preocupação com a segurança e fiscalização das fronteiras é de suma importância, pois o especial interesse das facções criminosas no território roraimense está diretamente ligado a esse descontrole, que claramente interessa ao crime organizado, vez que é exatamente via fronteira com Venezuela e Guiana que passam drogas, armas, munições etc., esse é o pão-de-cada dia que alimenta as facções e contamina nossas adolescentes e jovens, consequentemente aumenta o índice de violência no estado. A Governadora fez muito bem em participar desse debate e juntamente com demais governadores propor e cobrar ao governo federal atuação constante e permanente nas fronteiras internacionais. isso certamente é um duro golpe no crime organizado e seus interesses no estado. No entanto é necessário a junção de todas as forças de segurança atuando de forma integrada para obter o sucesso. Parabéns governadora pela postura."

SANTOS disse: Em 28/10/2017 às 12:57:11

"- Eu creio que a nossa Governadora é de uma ingenuidade angelical e ainda precisa aprender muito sobre como jogar para a plateia. Com tantos outros temas muito mais importantes para a sociedade roraimense, vai preocupar-se com as fronteiras, as quais nunca foram alvo das preocupações dos políticos e das autoridades? Se esses ministros tivessem competência para resolver isso já teriam dado jeito nas fronteiras Foz do Iguaçú/Ciudad Del Leste, Ponta-Porã/Puerto Juan Caballero, Guajará-Mirim/Guayará Myrin, Brasiléia/Cobija, e tantos outros pontos por onde passa tudo, nos dois sentidos: vai carro roubado, vem droga; vai carga de soja e outros produtos, vem armas. E todo mundo sabe disso mas ninguém faz nada. Porque então os senhores ministros da defesa e das relações exteriores iriam deitar seus olhares sobre as fronteiras do mísero Estado de Roraima? Ah!, mas o Presidente prometeu. Ora, o Presidente Michel Temer está mais preocupado em usar o dinheiro de todos nós para comprar votos dos parlamentares que salvem sua pele. Assim, minha sugestão à senhora Governadora é: Excelência, ACORDE!!!"