BAIRRO ALVORADA
Suspeito de matar e jogar mulher em fossa é baleado por dupla em moto
Por João Barros
Em 12/01/2017 às 00:29
O latrocida Romário Martins da Conceição está internado no HGR (Foto: Divulgação)

No começo da madrugada de ontem, 11, dois homens em uma motocicleta balearam um indivíduo identificado pela polícia como Romário Martins da Conceição, enquanto ele caminhava por uma das ruas do bairro Alvorada, na zona Oeste da Capital. Ele é acusado de matar uma mulher para roubar em 2015.

Uma guarnição da Polícia Militar que estava na área atendeu à vítima, que deu entrada em estado grave no Hospital Geral de Roraima (HGR). A polícia investiga as causas do crime, que pode estar ligado ao tráfico de drogas na Capital, podendo se tratar de um possível acerto de contas.

Um policial militar confirmou que Romário tem diversas passagens pela polícia e que meses atrás haviam tentado matá-lo, no entanto, ele conseguiu fugir e os tiros acabaram acertando sua mãe, que morreu no local. O policial reforçou ainda que ele é um elemento perigoso e frio, que costuma sorrir diante das câmeras da imprensa.

Romário foi preso em 2015 pela Delegacia Geral de Homicídio (DGH) acusado de matar a repositora de estoque de supermercado, Maria Rejane de Sousa Castro, de 37 anos, e jogar seu corpo dentro de uma fossa. Em seguida, ele roubou seus pertences juntamente com um comparsa.

Em depoimento, o suspeito teria dito que era conhecido da vítima e que, no dia do crime, teria usado drogas com a vítima, que foi morta a golpes de martelo e facadas no peito. O corpo da repositora foi jogado numa fossa. O suspeito confirmou que estava no local no momento do crime, mas disse não se lembrar do caso.

Segundo os familiares da vítima, o caso foi um latrocínio (roubo seguido de morte) e que os fatos foram atestados em inquérito policial. Apesar de ter sido indiciado, Romário foi posto em liberdade. Segundo um agente de polícia do 5º Distrito Policial, o elemento tem passagens pelos crimes de furto qualificado, roubo à mão armada e latrocínio. (J.B)

Comentários
Maria do Socorro Souza Cordeiro disse: Em 12/01/2017 às 15:53:37

"Gente, tantos delitos fortes e o marginal continua no seio social?"