OPERAÇÃO CUMPRA-SE A LEI
Visitas a presos da Pamc e Cadeia Pública são suspensas
Por Folha Web
Em 07/08/2017 às 00:59
Familiares de presos estavam revoltados em frente à Penitenciária Agrícola (Foto: Diane Sampaio)

As visitas de familiares de reeducandos da Penitenciária Agrícola do Monte Cristo, na zona rural, e da Cadeia Pública de Boa Vista, no bairro São Vicente, foram suspensas no final de semana por conta da Operação Cumpra-se a Lei dos agentes penitenciários, que cobram suporte adequado para a realização das atividades diante dos parâmetros previstos em lei, como mais agentes, viaturas, armas e colete à prova de balas.

Sem efetivo, armamentos e equipamentos suficientes, os agentes penitenciários não permitiram a entrada de visitantes às unidades prisionais. Em frente à Pamc, familiares dos presos questionavam a promessa feita pelo secretário de Justiça e Cidadania, Ronan Marinho, de que, mesmo com a operação Cumpra-se a Lei, as visitas não seriam suspensas.

“O secretário falou que teria visita normalmente porque haveria apoio da Força Nacional e Polícia Militar (PM). Agente gasta o pouco dinheiro que tem para alimentar nossas pessoas que estão presas, quando chega aqui não entramos e ficamos no prejuízo”, comentou a esposa de um detento.

SEJUC – Em nota, a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) informou que houve deslocamento de agentes penitenciários para acompanhamento de presos no Hospital Geral de Roraima (HGR), realizado pelos chefes de plantões da Cadeia Pública de Boa Vista e da Penitenciária Agrícola do Monte Cristo (Pamc) e, por esse motivo, as visitas não ocorreram no final de semana nas duas unidades prisionais. (E.S)

gilberto marcelino disse: Em 07/08/2017 às 12:33:06

"São justas as reivindicações dos agentes penitenciários, porém devemos admitir que os presos nada tem a ver com a falta de estrutura dos presídios. Ademais, a operação foi batizada com o nome Cumpra-se a Lei. Ora, se estamos a falar disso, o cumprimento da lei começa com a permissão das visitas."