Por José Maria Neto
Em 16/11/2018

ERROS NA HORA DE ESTUDAR 

Bom  dia,  Muitas  vezes,  estudar,  dedicar  tempo,  fazer  cursinho  e  realizar  simulados  não  são  suficientes  para  garantir  aprovação  no  tão  sonhado  concurso  público.  Mas,  saiba  que  não  é  apenas  questão  de  acertos.  O  que  está  te  impedindo  de  ter  sucesso  nos  concursos  públicos  são  os  erros.  Muitos  deles  são  repetidos  constantemente  e  não  percebemos.  Por  isso,  listamos  os  erros  que  te  impedem  de  ser  aprovado.  Confira  e  evite-os: 

1.  Viver  o  futuro  e  esquecer  o  presente.  Não foque apenas no passar no concurso sem esquecer todas as etapas  que  englobam  o  processo.  Lembre-se  que  o  caminho  começa  agora. 

2.  Falta  de  planejamento.  Estudar  aleatoriamente  para  um  concurso  público  sem  planejamento  e  cronograma  é  o  segundo  erro  cometido  pelos  concurseiros.  É  preciso  estabelecer  metas,  principalmente  para  realizar  os  estudos,  definir  quais  as  disciplinas  serão  abordadas  e  o  tempo  de  estudo  para  cada. 

3.  Não  ter  direção.  Esse  erro  é  parecido  com  o  segundo,  a  diferença  é  que  aqui  o  concurseiro  estuda  para  o  concurso  W,  no  meio  do  caminho  decide  pelo  concurso  X,  depois  troca  pelo  concurso  Y,  e  no  final  acaba  desistindo.  É  preciso  determinar  seu  objetivo. 

4.  Não  realizar  simulados.  Os  simulados  são  de  extrema  importância  nesse  processo,  pois  simulam  o  grau  de  estudo  e  destaca  os  pontos  que  precisam  mais  foco  e  disciplina. 

5.  Esquecer  das  revisões.  Assim  como  os  simulados,  as  revisões  são  importantes  e  determinam  o  resultado  na  prova  final.  As  revisões  permitem  uma  absorção  extra  do  conteúdo  estudo. 

6.  Não  mudar  ou  não  ter  estratégia.  Trata-se  do  erro  de  não  mudar  os  métodos  de  estudo,  ou  seja,  estudar  sempre  do  mesmo  jeito.  Para  passar  em  um  concurso  é  preciso  abordar  diferentes  estratégicas,  seja  fazendo  cursinho,  estudando  em  casa,  utilizando  aplicativos.  É  preciso  mudar  os  hábitos. 

7.  Não  dedicar  a  leitura.  Esse  erro  pode  parecer  brincadeira,  mas  sim  ele  acontece.  O  concurseiro  não  deverá  apenas  resumir  os  conteúdos  e  estuda-los  uma  única  vez.  É  preciso  ler  e  reler  o  mesmo  conteúdo  várias  vezes,  a  técnica  é  importante  para  memorizar  as  matéria.

8. Buscar aprovação de outros. Esse aqui está conectado ao erro #1! Você sabota o seu sucesso para viver os sonhos de outras pessoas – e acaba por não atingir suas metas pessoais. Já conheci inúmeras pessoas assim: “vou fazer concurso para a área policial porque minha família tem uma geração de policiais”, ou “vou fazer para a área administrativa porque meu pai não quer que eu seja policial”.

9. Tentar a sorte. Esse é o famoso “vai que passa?!”. O concurseiro que trata o concurso público como sorte está longe de atingir altos níveis de acertos. Ele usa as técnicas de chute, mas quer abusar delas. Ele usa as técnicas de estudos, mas sem quantidade suficiente para atingir um bom resultado (por exemplo: usar a Tática dos Feras com 10 questões apenas e achar que está tudo bem). Ser aprovado em concursos públicos requer: conhecimento, habilidades e atitudes (o famoso CHA). Ou seja, não adianta ter conhecimento sem usar habilidades… não adianta usar habilidades sem entrar em ação (tomar atitudes). Basicamente, um não funciona sem o outro.

10. Gabar-se do sucesso de somente uma pessoa. As versões de sucessos de outras pessoas são vistas de maneira errada por certos concurseiros. Geralmente, esses concurseiros que se gabam do sucesso dos outros tendem a querer seguir tudo o que alguém fez para atingir determinado objetivo, mas não pensam se aquilo pode ou não funcionar para eles mesmos. Por exemplo: o concurseiro vê que alguém passou usando vídeo-aulas – e então, a pessoa se entope de vídeo-aulas, sem saber que essas aulas foram apenas uma parte da estratégia de quem passou. O lance é que sucesso depende de muitos fatores, e você não é igual a ninguém. É claro que você deve pesquisar, saber como funcionou para vários concurseiros, entender as técnicas e táticas das pessoas, mas, no final, é a sua criatividade de estudos que vai contar.

#FICADICA

Fica esperto, concurseiro!! Muita gente emprega a palavra “AFIM” e a expressao “A FIM” de forma errada. AFIM Numa única palavra, corresponde a semelhante ou parente por afinidade: almas afins, vocabulários afins, o sogro é afim

Exemplo: Não tinha laços afins com a nora.

A FIM DE Equivalente a para.

Exemplo: Chegou cedo a fim de terminar o serviço.

ESTAR A FIM DE No sentido de estar com vontade de, só deve figurar em textos coloquiais ou declarações.

Exemplo: Está a fim de sair hoje.

#PRF

Cresce a expectativa pela publicação do edital do aguardado concurso público da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O documento, inicialmente previsto para ser liberado na primeira semana de novembro, ainda passa por alguns ajustes finais, que estão sendo feitos em conjunto com a banca organizadora, o  Cebraspe. Quem pretende participar do certame deve ficar de sobreaviso, pois a liberação é iminente e deve ocorrer ainda nos próximos dias.

O concurso será para o preenchimento de 500 vagas para o cargo de policial rodoviário. 

Para concorrer ao cargo de policial rodoviário é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A jornada de trabalho dos servidores é de 40 horas semanais.

A remuneração inicial da é de R$ 9.931,57, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.

Além disso, de acordo com a lei 13.371, sancionada pelo presidente Michel Temer em 2016, os servidores contarão com mais um reajuste, em janeiro de 2019, quando o salário passará a ser de R$ 10.357,88, também com o benefício.

José Maria Neto
jornalista@teste.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Folha Cursos & Concursos
+ Ler mais artigos de Folha Cursos & Concursos