Por Denise Rohnelt Araujo
Em 24/10/2020

ENTRADA

Olá queridos leitores!

Nessa semana, no dia 21 de outubro, o Grupo Folha comemorou 37 anos fazendo parte da história da comunicação em Roraima. Com o compromisso da verdade e credibilidade antes de tudo. Sou muito grata por fazer parte do jornal mais antigo e lido do nosso Estado há nove anos com a coluna Letras Saborosas.

No dia 25 de outubro é celebrado o Dia Mundial do Macarrão, a data foi criada na Itália em 1995. Mas a história do Macarrão não inicia na Itália, segundo o livro “Histórias, Lendas e Curiosidades da Gastronomia” da escritora Roberta Malta Saldanha, o macarrão foi levado para a Itália pelos árabes, na época da conquista da Sicília no século IX. A sua origem é chinesa. Como disse a autora: “Resumindo, a paternidade do Spaghetti cabe aos chineses, sua divulgação aos árebes e sua variedade e formatos aos italianos.”

E para comemorar a data de maneira fácil e saborosa, trago uma receita inusitada de Lasanha de Frigideira elaborada pelo chef Melchior Neto. Ele diz que a lasanha fica pronta em 15 minutos e sem ir para o forno.

Por favor meus caros leitores, continuem usando máscaras na rua, praticando o distanciamento, usando álcool em gel e ficando em casa se puderem. Ainda não estamos imunes à doença e temos que nos cuidar para poder cuidar dos outros.

Até a próxima semana!

PRATO DO DIA

Lasanha de frigideira

Por Chef Melchior Neto

INGREDIENTES:

500g massa pré-cozida de lasanha

01 cebola picada

200g bacon picado

200g de molho de tomate

01 maço de manjericão

250g de requeijão cremoso

500g presunto fatiado

500g muçarela fatiada ou ralada

Sal e pimenta a gosto

MODO DE PREPARO:

Em uma frigideira refogue a cebola junto com o bacon até dourar, em seguida coloque o molho, sal e pimenta a gosto. Reserve parte desse molho para finalizar.

Corte a massa em partes iguais e faça camadas de massa, presunto e muçarela. Finalize com o último pedaço de massa, requeijão, muçarela e o restante do molho.

Tampe e deixe cozinhar em fogo baixo por 10 minutos. Desligue o fogo, decore com o manjericão e sirva.

A receita serve até 6 pessoas

Dica: O molho de tomate deve ficar por baixo da massa para que a mesma não grude na frigideira.

JANAÍNA RUEDA É ESCOLHIDA ÍCONE DA AMÉRICA LATINA EM 2020 PELO 50 BEST

A Chef e sócia do Bar da Dona Onça e d’A Casa do Porco - único restaurante brasileiro na lista dos 50 melhores do mundo -, Janaína Rueda é a vencedora do American Express Icon Award 2020 (prêmio Ícone 2020).

A premiação concedida pelo Latin America’s 50 Best Restaurants celebra agentes da gastronomia que contribuem de forma notável para o setor, usando sua visibilidade para aumentar a conscientização sobre pautas importantes e promover mudanças positivas no meio. O anúncio do nome de Janaína Rueda como a homenageada do ano é parte da contagem regressiva virtual para a divulgação da lista dos 50 melhores restaurantes da América Latina, marcada para 3 de dezembro.

Segundo o Latin America’s 50 Best Restaurants, o prêmio reflete o compromisso de Janaína Rueda com a comunidade que a cerca, considerando desde a sua participação no projeto de melhoria na qualidade da merenda escolar em São Paulo, passando por seus esforços contínuos para promover inclusão por meio da gastronomia, até o seu envolvimento na campanha por socorro à indústria da hospitalidade durante a pandemia de Coronavírus.

“É muito gratificante e emocionante ser reconhecida por um prêmio como este. Minha esperança é que este espaço ajude a aumentar a conscientização sobre assuntos mais importantes, como o debate sobre diversidade e a busca por uma gastronomia cada vez mais inclusiva e democrática. É nosso papel, como agentes da alimentação, apoiar os mais vulneráveis, especialmente neste momento de pandemia. O tempo para a mudança é agora!”, afirma a chef.

Ao fecharem as portas de seus quatro restaurantes no Centro de São Paulo no início da pandemia, Janaína e seu marido e também chef Jefferson Rueda logo perceberam que, sem o apoio governamental adequado, milhões de trabalhadores do setor de bares e restaurantes em todo o Brasil ficariam desempregados.

Rapidamente, Janaína começou a mobilizar contatos, ajudando a reunir quase mil chefs e outros agentes da indústria da hospitalidade, como empresários da hotelaria e do comércio, dos quatro cantos do país.

A demanda por apoio financeiro do governo brasileiro levou à coordenação de uma série de postagens 'SOS' no Instagram, formando uma frente unida de figuras do setor. Em resposta à pressão, o governo federal concedeu benefícios para frear demissões e evitar ainda mais desemprego. Enquanto isso, o Bar da Dona Onça, instalado em um dos edifícios mais emblemáticos de São Paulo, o Copan, funcionava como ponto de coleta e distribuição de donativos essenciais, como alimentos e materiais de limpeza e higiene, para a comunidade em situação de vulnerabilidade social. E Janaína cozinhava em casa, também no Centro da capital, para alimentar os mais necessitados na região.

“Nestes tempos difíceis para a indústria da hospitalidade, Janaína Rueda se dedicou a esforços vitais de recuperação. Ela acredita verdadeiramente no direito de todos a terem acesso a uma alimentação boa e saudável e defende a gastronomia como uma alavanca para a mudança social. Seu desejo de inspirar mudanças positivas a torna a recebedora perfeita deste prêmio em 2020”, afirma o diretor de conteúdo do Latin America’s 50 Best Restaurants, William Drew.

Janaína Rueda cresceu no Centro de São Paulo, onde mais tarde abriria suas quatro casas, ajudando a transformar o bairro de sua infância em um democrático polo gastronômico e cultural. Primeiro veio o Bar da Dona Onça, em 2008, com seus pratos tradicionais que suscitam memórias afetivas pelo paladar. Depois, em 2015, A Casa do Porco chegou para oferecer alta gastronomia caipira a preços justos. E, por último, vieram a lanchonete de cachorros-quentes Hot Pork e a vizinha Sorveteria do Centro, ambos com produção artesanal e embalagens biodegradáveis. O próximo projeto, previsto para 2021, é a Mercearia da Cidade, misto de padaria e armazém onde será possível encontrar pães, iogurtes, geleias e, claro, embutidos artesanais produzidos pelos Rueda.

Além de comandar o Dona Onça, Janaína exerce um importante papel na administração dos negócios do casal, que inclui ainda A Casa do Porco, 39º colocado no ranking The World’ 50 Best Restaurants – o único brasileiro entre os 50 –, a lanchonete Hot Pork e a Sorveteria do Centro. Em todos os negócios, segue no intuito de melhorar e transformar a alimentação da população, seguindo a filosofia de oferecer produtos artesanais de qualidade a preços acessíveis.

Janaína Rueda é, ainda, coautora, junto com o jornalista Rafael Tonon, do livro “50 Restaurantes com mais de 50”, que perpassa cinco décadas de gastronomia na capital paulista.

@janainarueda1 | @bardadonaonca | @acasadoporcobar | @hot.pork

Denise Rohnelt Araujo
jornalista@teste.com.br
http://meusite.com.br
Aqui ficará as informações sobre o colunista e a coluna.
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!