Por Denise Rohnelt Araujo
Em 27/11/2020

ENTRADA
Olá queridos leitores!
Anotem na agenda, minha aula com ingredientes das comunidades indígenas no
evento online Fartura Gastronomia Du Brasil será dia 11 de dezembro às 17hs de
Roraima e 18hs de Brasília. Irei utilizar os cogumelos desidratados Yanomami e tucupi
negro Wapixana, fiquem ligados. Irei cozinhar junto com uma personalidade que será
surpresa. Espero vocês. 
Hoje falo sobre as novidades do setor e onde podem comprar os ingredientes das
comunidades indígenas.
A campanha “Amazônia em Casa, Floresta em Pé”, acaba de virar um movimento que
quer que a riqueza de saberes e sabores da Amazônia sejam um componente
importante para a conservação da Floresta.
Assim, se vocês comprarem os produtos, ingredientes que são produzidos pelas
comunidades da região, vão estar contribuindo com a economia e com três elementos
fundamentais: a conservação da floresta, a valorização dos saberes e a inclusão e
geração de renda para suas populações. Então acessem o site 
 e comprem os produtos da diversidade da
região amazônica, que são ingredientes como: café orgânico, mel de abelhas nativas,
chocolates de cacau nativo, biojoias, cestaria e arte indígena, itens de decoração, e
outros produtos que podem ser encontrados no site. A novidade é que em breve o site
vai ter receitas de chefs renomados com ingredientes da Floresta.
A receita de hoje é um ceviche bem refrescante elaborado com peixe e frutas, uma
receita recebida do chef Melchior Neto, do Gema Restaurante que fica em Santo
André (SP). E continuem se cuidando, usem máscaras e álcool em gel, mantenham o
distanciamento.
Até a próxima semana!

PRATO DO DIA
Ceviche de Verão

Chef Melchior Neto

INGREDIENTES:
300g de filé de Saint Peter em cubos
½ cebola roxa em rodelas
06 morangos em cubos
01 kiwi em cubos
01 limão
01 colher de chá de azeite
Sal e pimenta do reino a gosto
Coentro a gosto
01 lâmina de batata doce chips para decorar
Crispy de batata doce:
100g de batata doce

Sal a gosto
MODO DE PREPARAR:
Com o cortador de legumes corte finas fatias de batata doce, leve ao micro-ondas no
prato em cima de um papel toalha por um minuto. Depois vire e coloque mais um
minuto. Repita o processo até as batatas ficarem crocantes, tempere com sal e
reserve. Em uma tigela coloque todos os ingredientes, esprema o limão e misture bem.
Distribua o ceviche em taças e finalize com o crispy de batata doce.

“EL ESPÍRITU DE AMÉRICA LATINA” PREMIA SEIS

RESTAURANTES BRASILEIROS

No dia três de dezembro será transmitida pela internet a premiação dos 50 Melhores
Restaurantes da América Latina. Mas antes disso, a organização lançou um prêmio
especial chamado “El Espíritu de América Latina”. O prêmio tem o objetivo de celebrar
e promover os restaurantes dos países latino-americanos que se destacaram pela
gastronomia e que impactaram positivamente suas comunidades durante a pandemia
da Covid-19, seja através de doações de refeições, de apoio aos pequenos produtores
locais, de resgate de ingredientes esquecidos, entre outros.
Foram nominados restaurantes de 43 cidades de 17 países da América Latina, onde
seis são brasileiros:
Banzeiro do chef Felipe Schaedler, Manaus (AM); Altar – Cozinha Ancestral da chef
Carmem Virginia, Recife (PE); Aconchego Carioca da chef Kátia Barbosa, Rio de Janeiro
(RJ); ORI dos chefs Fabrício Lemos e Lisiane Arouca, Salvador (BA); Capim Santo da chef
Morena Leite, Trancoso (BA); e Mãos de Maria, São Paulo (SP).

PRODUTOS DAS COMUNIDADES INDÍGENAS À
VENDA NA VEG ESPAÇO SAUDÁVEL

As pessoas sempre me perguntam onde podem comprar ingredientes das
comunidades indígenas em Boa Vista. O Veg Espaço Saudável, restaurante e
lanchonete de alimentação vegana, que fica na Avenida Santos Dumont, 2386, no
bairro 31 de março, agora tem para a venda os cogumelos desidratados inteiros e em
pó, da comunidade Sanöma da etnia Yanomami, e a farinha de goma de tapioca com
castanha torrada do povo WaiWai. 

Falando sobre essa farinha, que se chama MawkÎn , produto artesanal da Terra
indígena Trombetas Mapuera, que fica localizada no sul do estado entre os municípios
do Caroebé e de São João do Baliza. É um produto novo, elaborado com ingredientes
de Roraima, feito pelas mulheres da etnia WaiWai. A farinha pode ser utilizada em 

pratos doces ou salgados, para empanar carnes ou em vitaminas de frutas, e é
totalmente vegano, feito com a produção da castanha do Pará do Povo WaiWai. Posso
assegurar que até para comer pura é uma delícia.
Em breve irei dar uma receita com essa farinha super saborosa e que pode ser
comprada em potes de 250g no Veg Espaço Saudével.
O lugar funciona de segunda a sexta das 8h30 às 21hs e aos sábados das 9h30 às 21hs.
Aproveitem para saborear as delícias servidas no local, como o pastel integral assado
com espinafre e alho poró ou palmito, ou uma feijoada sem nada de origem animal
para o almoço. 

Denise Rohnelt Araujo
jornalista@teste.com.br
http://meusite.com.br
Aqui ficará as informações sobre o colunista e a coluna.
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!