Por Denise Rohnelt Araujo
Em 20/02/2021

Olá queridos leitores!

Vida que segue no ritmo da pandemia e para quem pode ficar em casa busque novas atividades para não ficar deprimido com o momento em que vivemos.

Eu busquei no estudo e no exercício ao sol as novas atividades nesse período, e você o que tem feito?

Além disso, estou preparando uma surpresa para os meus queridos leitores para celebrarem comigo esses 10 anos de notas, notícias, receitas e novidades da área gastronômica na coluna Letras Saborosas.

A receita de hoje foi enviada pelo chef Melchior Neto que preparou uma versão especial da coxa creme, petisco clássico amado por todo o Brasil. Eu gosto mais dessa cozinha mais suculenta como petisco.

O chef Melchior está comandando o Gema Restaurante em Santo André– SP.

Desculpem insistir, mas se cuidem!

Mantenham o distanciamento, usem máscara e álcool em gel e se puder, fiquem em casa.

Até a próxima semana!

PRATO DO DIA

Coxinha Creme

Por Chef Melchior Neto

INGREDIENTES:

01 kg de coxinha da asa

01 colher (sopa) de páprica picante

03 colheres (sopa) de azeite

03 colheres (sopa) de manteiga

Sal a gosto

02 copos de água

02 xícaras (chá) de farinha de trigo

02 xícaras (chá) do caldo do cozimento

02 xícaras (chá) de leite

01 litro de óleo

PARA EMPANAR

02 xícaras (chá) de farinha de rosca

02 ovos

MOLHO DE GORGONZOLA E MEL

02 colheres (sopa) de creme de leite

100g de gorgonzola

02 colheres (sopa) de mel

Sal e pimenta do reino

MODO DE PREPARO:

Tempere as coxinhas com páprica picante e sal, frite as coxinhas no azeite até dourar. Em seguida adicione a água, tampe a panela e deixe cozinhar em fogo alto por 20 minutos. Desligue deixe esfriar, remova a pele das coxinhas e reserve o caldo. Em outra panela ferva esse caldo junto com o leite e a manteiga, coloque de uma só vez a farinha e mexa até soltar do fundo da panela. Deixe esfriar na pedra e modele as coxinhas.

Passe no ovo batido e empane na farinha de rosca. Frite em óleo quente.

MOLHO

Em uma panela em fogo baixo misture tudo até ficar um creme homogêneo.

EMPREENDEDOR CAPIXABA CRIA AGUARDENTE SUSTENTÁVEL COM CACAU

Cacahautl é a primeira aguardente do Brasil feita a partir das partes descartadas do cacau e já conta com pedidos de importação.

Natural de Vitória, Espírito Santo, André Scampini há algum tempo nutria certa paixão pela fabricação de destilados, e ele viu na produção de cacau de seu sogro uma grande oportunidade de empreendedorismo: uma aguardente feita a partir das sobras de cacau.

O município de Linhares, no ES, é responsável por 85% da produção de cacau do estado. No entanto, apenas parte do fruto é aproveitada para a produção da matéria prima do chocolate: a amêndoa de cacau.

Foi nesse cenário que André percebeu uma maneira de unir empreendedorismo e sustentabilidade. Movido pela paixão por destilados, dedicou-se a estudos, pesquisas e experimentos de destilação até chegar na receita final.

Os produtores de cacau tinham uma demanda por um melhor aproveitamento do fruto, do qual somente a amêndoa era utilizada na produção do chocolate. Foi quando resolvi aproveitar meus conhecimentos na fabricação de destilados e fazer algumas experiências que resultassem em um produto de qualidade e, ao mesmo tempo, visasse a sustentabilidade.” – explica André.

A aguardente de cacau, batizada de Cacahuatl (“suco amargo” em Asteca), teve amostras enviadas para os EUA, Portugal, Bélgica, Suiça, e participou como convidada de três feiras na Alemanha. Atualmente sua produção é terceirizada por um alambique em Linhares, ES, desde novembro de 2020 está disponível no mercado, inclusive no exterior de onde já tem pedidos de importação.

Além de ser sustentável e agregar alto valor ao produto final, a produção da aguardente criou novas oportunidades de renda para os trabalhadores rurais da plantação de cacau. “A parte do fruto que antes era dispensada, hoje é vendida pelo trabalhador rural e seus familiares para ser utilizada como matéria prima da aguardente, gerando um ganho na economia local e na sustentabilidade, devido ao melhor aproveitamento do fruto e um menor desperdício. No final, ganham o meio-ambiente e a economia de Linhares.” – finaliza.

Antes estigmatizada, a bebida assumiu o status de produto sofisticado, graças a investimentos em marketing e na diversificação da produção. Hoje, a aguardente é uma bebida nobre, que traz muito valor agregado através de ingredientes peculiares, sustentabilidade, brasilidade, exoticidade, exclusividade e muito mais. A Cacahuatl é uma bebida para ser apreciada em todos os detalhes, é algo como “beber história”, uma experiência cheia de significado para qualquer ocasião. A bebida tem 40% de teor alcoólico e custa em média R$190,00. Informações e site de venda: www.velhocarvalho.net.br

Denise Rohnelt Araujo
jornalista@teste.com.br
http://meusite.com.br
Aqui ficará as informações sobre o colunista e a coluna.
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!