Por Parabólica
Em 08/07/2020

Bom dia!

Hoje é quarta-feira (08.07). Depois das empresas multinacionais, que ameaçam cortar investimentos no Brasil -falam em até 20 bilhões de dólares-, ontem foi a vez de grandes empresas brasileiras de mandarem uma carta ao vice-presidente da República, o general Hamilton Mourão (PRTB) - ele também e o coordenador-geral das políticas do governo federal para a Amazônia-, pedindo que o governo Bolsonaro combata com vigor o desmatamento ilegal da região. Esses empresários, muito deles ligados a grupos estrangeiros, dizem que a falta de uma definição clara do atual governo federal para a Amazônia, especialmente com relação aos crimes ambientais, está manchando a imagem do Brasil no exterior, e que isso resultará necessariamente em prejuízos econômicos, mesmo para aquelas empresas que não têm ligação direta com a região.

E as pressões não param por aí. O fundador do Fórum de Davos, o economista e engenheiro alemão Klaus Martin Schwab, que desde os anos 80 do Século passado  reúne anualmente chefes de Estado dos países mais importantes do mundo, e a nata do empresariado e dos economistas do mundo, já anunciou que no próximo encontro -deverá ser virtual por conta da pandemia da Covid-19 -, o tema central será o meio ambiente. É o encontro, em escala mundial, de um tema abraçado pela esquerda que agora chega como principal agenda da nata do capitalismo mundial. Será que o governo de Jair Bolsonaro vai resistir a tanta pressão, e continuar absolutamente omisso em relação à política ambiental do país, especialmente em relação a Amazônia?

MESMO BALAIO

O governador Antonio Denarium (sem partido) vai iniciar um périplo administrativo e político pela região Sul do estado. Em alguns municípios ele deve assinar convênios com os prefeitos para a transferência de recursos estaduais, frutos de emenda de parlamentares ao orçamento estadual. Do ponto de vista político/eleitoral Denarium vai se encontrar com quase todos os pré-candidatos a prefeitos/prefeitas pertencentes a partidos dirigidos por parlamentares que lhes dão apoio e sustentação, na Assembleia Legislativa e no Congresso Nacional. Vão todos ser colocados no mesmo balaio, e nalguns casos, os pré-candidatos são adversários ferrenho. Será que isso vai dar certo?

ACERTADO

Por decisão monocrática do conselheiro Bismarck Azevedo, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RR), expediu Medida Cautelar para suspender os efeitos do aditivo ao contrato da Secretaria Estadual da Saúde (Sesau) com a Cooperativa Médica do Brasil (Cooperbras) que supera em R$ 30 milhões ao contrato atual. A Medida Cautelar vai ser apreciada hoje, quarta-feira (08.07) pelo pleno daquela Corte de Contas, que poderá mantê-la ou refutá-la. Fontes da Parabólica dizem que após reunião no Palácio Senador Hélio Campos; com a participação do governador Antonio Denarium; do secretário estadual da saúde, Marcelo Lopes; e alguns conselheiros, as arestas foram aparadas. É bem possível que a matéria seja retirada de pauta, pelo conselheiro Bismarck Azevedo.

DECISÃO

Noutro dia, a Parabólica noticiou que o Banco da Inglaterra tinha em seus cofres cerca de 31 toneladas de ouro, depositadas pelo Banco Central da Venezuela. O governo de Nicolás Maduro quis vender o ouro depositado, cujo valor em dólares estadunidense chega perto de um bilhão, alegando que precisava de dinheiro para enfrentar a pandemia da Covid-19. Como o governo inglês rompeu com o governo Maduro e reconheceu como presidente da Venezuela, Juan Guaidó, o Banco da Inglaterra recorreu à justiça inglesa para saber quem poderia movimentar o depósito. Semana passada saiu a decisão: só o governo interino de Juan Guaidó pode movimentar as toneladas de ouro. É mais um duro golpe no governo moribundo de Nicolás Maduro.          

RÁPIDAS

E toda a região do Água Boa ficou sem fornecimento de energia elétrica de 6h30 até quase ao meio dia de ontem, quarta-feira. Foram mais de cinco horas de blecaute total. Este foi o tempo que a falta de energia elétrica tirou do ar a Rádio Folha FM 100.3. É mole? ### E o preço do cimento, hein? Até semana passada o produto podia ser encontrado a R$ 32,00/saco. Ontem, o preço menor, praticado por algumas lojas foi de R$ 37,00. E tinha estabelecimentos que cobravam até R$ 42,00 por saca. ### E, como era esperado, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), deputado estadual Jálser Renier (Solidariedade) mandou arquivar os processos com pedido de impeachment contra o governador Antonio Denarium.                       

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica