Por Parabólica
Em 09/04/2020

Bom dia,


Hoje é quinta-feira (09.04). Com certeza muitos leitores e leitoras já não têm mais paciência para ouvir, ler e falar da pandemia do Covid19, mas infelizmente não tem muita pauta a ser tratada além dela, e de suas consequências presentes e futuras sobre a vida de cada um daqui para frente. O mundo, muitos já disseram, mas não custa lembrar, não será mais o mesmo daqui para frente, mesmo que a ciência descubra a curto e médio prazos sua cura, ou quem sabe ainda melhor, seja descoberta uma vacina para livrar a população mundial desse vírus aterrorizador. O impacto que todos estão sentindo é tão grande e avassalador que a sociedade humana vai buscar novas maneiras de sobreviver neste mundo que é globalizado.
De todas as lições que ficarão como exemplo para serem seguidas daqui para frente, sem dúvida é que, independente de questões ideológicas, não é possível conviver com um mundo tão desigual. Desigualdade que precisa ser combatida a partir da existência de países muito pobres e países muito ricos, onde os primeiros sequer podem vislumbrar a possibilidade de desenvolvimento dentro de um processo de globalização intenso e concentrador de riquezas nos segundos. É preciso que esta questão seja discutida com muita seriedade em todos os fóruns, academias e conclaves envolvendo Estados e organizações privadas.
Por outro lado, o custo dos governos, de um modo geral, com as populações mais pobres de cada país é assombrosamente alto, um indicador da pobreza quase absoluta em que vive a maior parte das pessoas destes países, e o Brasil está entre eles. As medidas mitigatórias para evitar que a fome e o desemprego matem mais gente que a própria pandemia é uma prova inconteste da enorme concentração de riqueza. Os pobres, tanto em países pobres coo nos ricos, é tão pobre que não resiste a 15 dias sem ter algum rendimento. ´
E preciso pensar seriamente nisso.

WIZARD
Carlos Wizard, que durante dois anos se dedicou a tentar mandar (interiorizar) imigrantes venezuelanos para outros estados desistiu deste trabalho humanitário. Ele antecipou seu retorno a Campinas (SP), depois que a pandemia do Novo Coronavírus deixou quase impossível continuar a tarefa de transferir os imigrantes, por conta das restrições de circulação interna no Brasil, tanto por via aérea quanto rodoviária. Pelas redes sociais, Wizard agradeceu o apoio que recebeu em Roraima e comunica que escreveu um livro sobre essa experiência de ação humanitária. A renda com a venda da obra vai ser destinada, integralmente, para outras ações sociais. 

RECORDE
Apesar de toda a dificuldade de fazer jornalismo nestes tempos de pandemia do Covid19, os profissionais do Grupo Folha de Comunicação têm feito um imenso esforço para não deixar nossos leitores sem notícias. E a resposta dos leitores e leitoras vem na mesma medida: em média, durante o último mês de março, mais de 65.000 pessoas acessaram o site da Folhabv, em acesos únicos a cada dia. É um recorde que só nos orgulha. Por conta das circunstâncias criadas pela pandemia, a versão impressa da Folha está com circulação suspensa. 

MERENDA
Consciente da importância da merenda escolar para alimentar as crianças mais pobres daquele estado, o governador João Dória (PSDB) mandou que a Secretaria Estadual de Educação transformasse a merenda que antes era oferecida aos alunos nas escolas durante as aulas, em cestas básicas para serem doadas às famílias carentes com alunos matriculados na rede pública estadual. É uma forma de ajudar as famílias mais necessitadas a enfrentar estes tempos difíceis. É uma ideia que poderia ser perfeitamente copiada tanto pelo governo estadual, quanto pela prefeitura de Boa Vista. Os bons exemplos devem ser imitados.

AUTORIZATIVOS
Aliás, a Assembleia Legislativa do Estado já aprovou dois projetos de lei autorizativos que de alguma forma ajudam no combate ao Covid19. Um autoriza o governo do estado a pagar 50% a mais de salários para os servidores que estiverem envolvidos diretamente no atendimento da população acometida, e também a policiais que estejam envolvidos em operações especiais. O outro projeto, também autorizativo, autoriza o governo do estado a comprar álcool gel (70%) e máscaras para serem distribuídos entre a população carente, que deles precisa para se proteger, mas não tem dinheiro para comprá-los.

ÁLCOOL
Aliás, esta notícia que encerra a Parabólica de hoje nos enche de orgulho. Uma empresa local, que já produz sabão e outros produtos de limpeza, a Indústria Glória, está produzindo e vendendo no mercado local o álcool gel a 70%. O produto com a qualidade que é marca registrada dos produtos Glória, está envasado em embalagem pet de 1l. Não custa prestigiar o que é nosso.     
                          

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
"Parabólica 06/04/2020..."
06/04/2020 às 06:54
+ Ler mais artigos de Parabólica