Por Parabólica
Em 26/02/2021

Bom dia,

Hoje é sexta-feira (26.02). pois é, pelo Ministério da Saúde ficamos sabendo que Roraima recebeu esta semana 2.500 doses da Coronac para seguir com a lenta vacinação da população roraimense contra a Covid19. Como a vacina exige a aplicação de duas doses, isto significa que essa ridícula quantidade só pode ser utilizada em 1.250 pessoas, ou seja, um percentual desprezível da população local. Todos os estados da Amazônia receberam doses extras de vacinas em virtude do agravamento da pandemia na região, e do surgimento de uma nova cepa do vírus no Amazonas, exceto Roraima, que apresenta colapso no sistema hospitalar, até agora ignorado pelo governo federal.

Essa discriminação contra nosso estado parece inconcebível. Começa pelo fato do ministro da Saúde, general Eduardo Pazzuelo, que foi secretário estadual da Fazenda de Roraima entre o final de 2018 e início de 2019. Depois foi nomeado coordenador da Operação Acolhida, programa criado pelo ex-presidente Michel Temer (MDB) para apoiar os migrantes venezuelanos ao estado. Pazzuelo conhece, portanto, a realidade local, com fragilidade orçamentária do estado e das prefeituras, e quadro sanitário agravado pela migração de venezuelanos que nunca parou, apesar do fechamento da fronteira. Assim como mandou doses extras para os demais estados da região, deveria lembrar de Roraima.

Por outro lado, o governador Antônio Denárium (sem partido) é seguramente um dos governadores mais fiéis ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) tendo o acompanhado quando da saída do PSL e tentado como ele a fundar o Aliança pelo Brasil, que nunca saiu do papel. Some-se a essa fidelidade, o fato de Bolsonaro ter, reiteradamente, declarado sua admiração para com o estado, e gratidão pelo povo roraimense que lhe deu uma das maiores votações, percentuais, na eleição de 2018. Aliás, faz algum tempo que o presidente não faz referência ao nosso estado.

Finalmente, o tratamento não isonômico que o Ministério da Saúde anda dedicando a Roraima no envio de vacinas contra a Covid19 não reflete, nem de longe, o apoio que o governo de Jair Bolsonaro recebe da bancada federal do estado em Brasília. Os três senadores e sete, dos oito deputados federais, votam e apoiam integralmente com a orientação do Palácio do Planalto, mas ao que parecem não têm a devida reciprocidade. Em seu conjunto, parece que falta prestigiamento político de uma bancada tão fiel ao governo. Algo está errado neste relacionamento, a não ser que estejam sendo priorizados os interesses mais próximo de cada parlamentar.

SERÁ?

Os últimos passos do presidente Jair Bolsonaro em direção a uma agenda de privatização de algumas estatais parecem, indicar ter havido uma reação dura do ministro da Economia, Paulo Guedes, depois da interferência na Petrobrás. Guedes, que aparentemente teria ficado sem justificativa para continuar no governo, deve ter negociado sua permanência em troca do início do programa de privatização prometido desde a campanha eleitoral. Teve direito até ao reconhecimento público, mais uma vez, por parte do presidente, de que é quem dá as ordens na política econômica do governo. Até quando?

MÉDIAS

Ainda sobre a distribuição das vacinas para combater a Cvid19. A média de mortes no Brasil por grupo de 100.000 habitantes em decorrência do vírus chinês é de 115. Acima desta média, estão onze estados, e os três estados com maior média são: Amazonas (244); Rio de Janeiro (183) e Roraima (164). As menores médias ficam por conta de Minas Gerais (80); Bahia (73); e Maranhão (69). É claro que o Programa Nacional de Imunização (PNI) deveria levar, de alguma forma, esses indicadores na hora de distribuir os imunizantes.

RÁPIDAS

O presidente Jair Bolsonaro não poupa ex-auxiliares quando eles deixam seu governo. Com o ainda presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, o presidente insinuou que ele trabalha pouco, porque desde março trabalhava em casa. ### Bolsonaro disse ainda que em duas semanas a Petrobrás, reajustou em 15% o preço dos combustíveis e do gás de cozinha, sem que houvesse aumento do mesmo tamanho no preço internacional do Petróleo e na correção do dólar. ### Ufa! Uma boa notícia: pouca gente sabe, mas Roraima está exportando carne bovina para o Suriname, a colônia francesa na América Latina. Pena que a exportação está sendo feita por Manaus. De qualquer forma, devemos saudar. ### A Polícia Militar teve de dispersar na base da força, ontem à noite, a aglomeração dos torcedores do Flamengo em comemoração ao título conquistado de campeão brasileiro. Fez bem, afinal, estamos no maior pique de mortes por conta da Covid19, e não temos vacinas. ### Até segunda-feira.     

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!