Por Parabólica
Em 17/10/2019

Bom dia,

Depois que o governo aceitou dividir com estados e municípios a grana bilionária que vai ser arrecadada com o leilão do excedente do pré-sal, que será realizado no próximo dia 06/11, parece não haver mais dúvida de que a reforma da previdência deverá mesmo ser aprovada em segundo turno no Senado Federal antes do final deste mês de outubro. Faz algum tempo que o ministro da Economia, Paulo Guedes, vem dizendo que aprovada a reforma da previdência, o Brasil começaria a crescer em ritmo suficiente para voltar a gerar empregos. Os economistas dizem que esse ritmo de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, capaz de gerar os milhões de empregos que o país precisa ser de, no mínimo, 3% ao ano.

Parece que o ministro vai ter que fazer muito mais que aprovar a reforma da previdência se quiser realmente que o Brasil volte a crescer sustentavelmente. O ministro, que é um ardoroso defensor do mercado como mola propulsora do desempenho da economia, parece que não está ouvindo o que se passa no Brasil real - com milhões de brasileiros e brasileiras vivendo na pobreza – e no mundo que nos cerca. Os melhores economistas do mundo, e mesmo instituições como o Fundo Monetário Internacional (FMI), não têm dúvida de que a economia mundial está à beira de mais uma recessão.

E não dá para imaginar que esta recessão não venha bater à porta da economia brasileira, essencialmente exportadora de commodities para esse mundo em recessão.

LIXO

A maior parte do que circula em redes sociais é lixo puro da burrice que parece dominar a mente da maioria; de desinformação; de exibicionismo; e de idiotas que só são notados por outros idiotas. De qualquer forma, às vezes a escória consegue se superar. Foi o caso das postagens de fotos de pedaços de corpos humanos dilacerados das vítimas daquele acidente ocorrido na última terça-feira (15.10), numa distribuidora de oxigênio e gás, no Centro de Boa Vista. Isso só comprova a existência dessa gente ignóbil e exibicionista, que sequer respeita da dor dos familiares das vítimas. É uma gente que deixa o mundo muito pior do que já é.

BOM EXEMPLO

Em compensação, a mesma tragédia da terça-feira deu a oportunidade para que tivéssemos a sensação de que o mundo em que vivemos pode ser melhor. Quando a notícia de que havia muitas vítimas da tragédia na distribuidora de oxigênio precisando de sangue, o Hemocentro estadual ficou lotado de voluntários querendo doar sangue. Um gesto muito bonito para compensar a feiura praticada pela escória que fez publicar fotos dos corpos dilacerados pelas explosões. Nem tudo está perdido.

REFORMA

A reportagem da Folha tentou saber junto à Casa Civil do governo estadual como andava a reforma administrativa, prometida pelo governador Antonio Denarium (PSL) desde o chamado governo de transição, ainda em novembro de 2018. Pois bem. Como retorno, a Casa Civil lembrou que essa reforma administrativa é muito complexa, que continua sendo discutida no âmbito do governo e que logo que fosse concluída o resultado teria a devida publicidade. Ah! Como uma das justificativas para tanta demora, o governo disse que: “a atual gestão se depara com mais de duas décadas de falta de preocupação, eficiência, transparência e reorganização administrativa”. A culpa agora vem desde os tempos de Ottomar Pinto. 

EXEMPLO

Foi enterrado ontem Francisco (Agacy) Bezerra de Araújo, um dos mais experientes e competentes servidores do Instituto de Terras e Colonização de Roraima (Iteraima). Ele atuou naquele órgão fundiário estadual por mais de 15anos, sempre com correção e honestidade. Agacy foi nomeado para o Iteraima pelo ex-governador Flamarion Portela e só foi exonerado em dezembro do ano passado (2018) pelo atual governador Antonio Denarium. Técnico em Estradas pela Escola Técnica Federal do Pará, ele morou por quatro anos na República dos Estudantes, em Belém. Em tempo: o prédio onde funcionou aquela república continua abandonado e em ruínas.

RÁPIDAS

O deputado estadual Coronel Gerson Chagas quer que o governo estadual utilize os recursos que devem chegar por conta do leilão do excedente do pré-sal – o Tesouro Estadual deve receber cerca de R$ 230 milhões em  investimento. ### Chagas lembrou dos prédios públicos abandonados, das vicinais esburacadas e da falta de crédito para microempreendedores ### Na verdade, é bem possível que alguém do governo venha dizer que não é possível aplicar os recursos transferidos por conta do leilão do excedente de petróleo em virtude da disposição legal que manda que eles sejam utilizados no pagamento de débitos com o sistema previdenciário estadual ### De qualquer forma, a decisão caberá aos deputados estaduais quando for discutido e aprovado o orçamento estadual para 2020. É que os recursos que virão para pagar a dívida do Estado para com o Instituto de Previdência do Estado de Roraima (IPERR) poderão liberar verbas para o investimento ### Pelo menos uma leitora da Parabólica diz estar cética quanto à viabilidade econômica da produção de etanol de milho em Roraima. O investimento anunciado para tal chega à casa do bilhão de reais. ### Tem tido boa repercussão o discurso do líder indígena e advogado Jonas Marcolino, no evento paralelo ao Sínodo do Vaticano da Amazônia, também realizado em Roma. Marcolino garante que os índios querem progresso e desenvolvimento. Para ele, quem quer deixar os índios na pobreza é a igreja católica e as ONGs.  
     

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica