Por Diego Teixeira
Em 25/11/2020

FOLHA SPORTS

VITÓRIA IMPECÁVEL

Time muito desfalcado, jogadores retornando de Covid-19, partida na altitude de quase 3.000 metros de Quito, sem treinador, atrasos de salários, presidente sofrendo impeachment. O cenário era completamente desfavorável, mas o Santos driblou todas as adversidades, venceu a LDU por 2 a 1 no Equador, e largou na frente nas oitavas de final da Copa Libertadores.  A atuação, diante de todas as circunstâncias, é gigantesca. Claro que não há nada definido, mas é um passo importantíssimo dado pelo Santos por uma vaga na próxima fase. Foi a primeira vitória do Peixe em um jogo de mata-mata em 2020.  O Santos contou com o brilho individual de principalmente quatro jogadores em Quito. Dois deles, como se espera naturalmente, foram Soteldo e Marinho, autores dos gols. Outros dois, normalmente coadjuvantes, merecem os justos créditos pela enorme partida feita no Equador: John e Pará.  No geral, a atuação coletiva do Santos foi uma das mais inteligentes na temporada. Ciente das limitações e dos desfalques, o auxiliar Marcelo Fernandes merece méritos pelas variações táticas e substituições. A principal mudança foi o posicionamento de Soteldo, que normalmente atua como ponta pela esquerda. Diante da LDU, o atacante foi centralizado, fazendo o papel de meia/segundo atacante. Jean Mota, por sua vez, foi passado para o lado esquerdo, para auxiliar Felipe Jonatan na marcação. Com o resultado, o Santos pode até perder (desde que seja por 1 a 0) que garante a vaga nas quartas de final da Libertadores. O jogo de volta é na próxima terça-feira, às 19h15 (de Brasília), na Vila Belmiro.

Comemoração do gol de Marinho para o Santos contra a LDU — Foto: Staff images /CONMEBOL

Comemoração do gol de Marinho para o Santos contra a LDU — Foto: Staff images /CONMEBOL

BOM RESULTADO

Um Flamengo com cara de Libertadores, mas sem cara de Flamengo. Ao menos não do time que fez da imposição técnica e agressividade marcas para vencer a competição em 2019. O empate por 1 a 1 com o Racing, em Avellaneda, foi conquistado na raça, no embate físico e no lampejo do que houve de melhor no ano passado: a dupla Bruno Henrique e Gabigol.  O comparativo é o ônus para quem fez história e entrou em campo com oito dos 11 titulares da conquista de um ano atrás. Jogar menos do que é capaz, por sua vez, não diminui o fato de que o Flamengo desembarca nesta quarta-feira no Brasil com um bom resultado na bagagem e uma semana para treinar, se classificar e convencer na decisão da próxima terça-feira.  O Flamengo das duplinhas de 2019 teve Bruno Henrique e Gabigol sintonizados. A jogada do gol foi o flashback perfeito, mas houve outros momentos em que o camisa 27 chamou a responsabilidade pela esquerda (em um deles acertou lindo chute no travessão) e o camisa 9 participou com sua já conhecida movimentação. Outra dupla que foi bem na Argentina foi a de volantes. Willian Arão e Gerson desafogaram a saída de bola bem marcada pelo Racing e conseguiram ajudar na construção do meio de campo. Quando o jogo ficou mais físico, também souberam se impor. E os elogios ficam por aí.  Quando teve a bola e foi agressivo no campo de ataque, o Flamengo criou oportunidades diante de um Racing nitidamente respeitador ao campeão da América. Mas faltou constância e o resumo da partida no Cilindro foi um empate bom para o mata-mata, não pela performance. Teve cara de Libertadores. E teve um Flamengo que ainda procura sua nova cara.

Everton Ribeiro teve noite discreta no Cilindro — Foto: Reuters

Everton Ribeiro teve noite discreta no Cilindro — Foto: Reuters

ATHLÉTICO-PR

Seguro e eficiente, o Athlético conseguiu anular o River Plate durante a maior parte dos 90 minutos e ficou perto da vitória, mas o gol sofrido aos 45 do segundo tempo caiu como um balde de água fria. A atuação, porém, mostra que o Furacão está no caminho certo. Antes de a bola rolar, a maioria dos torcedores aprovaria um empate. Até pelo cenário. O Furacão, que era vice-lanterna do Brasileirão até dia desses, enfrentava o atual vice-campeão da Libertadores e um dos grandes técnicos do futebol atual, Marcelo Gallardo. Além disso, o Athletico acumulava 12 desfalques, oito deles por Covid-19. Paulo Autuori não tinha Santos, Jandrei, Abner, Christian, Nikão... Com isso, o treinador teve que escalar Bento, de 21 anos, no gol, e João Victor, de 19 anos, na lateral esquerda. Apesar de tantas baixas, o Athletico manteve um padrão. O time marcava firme, no 4-4-2, e não deixava espaços. O River apostava nas jogadas pelos lados, principalmente nas costas de Erick, mas não concluía em gol. Bento teve que fazer só uma defesa na etapa inicial.  O comandante, então, trocou Carlos Eduardo e Kayzer por Walter e Bissoli no intervalo. E as mudanças deram resultado. Após o lançamento, Walter deixou a bola passar, e Bissoli chutou no cantinho. O Furacão finalizou apenas cinco vezes no jogo, mas mostrou eficiência incrível. O River Plate, claro, partiu para cima. O Athletico, porém, ganhava todas pelo alto - Thiago Heleno teve atuação impecável - e segurava os argentinos. A expulsão de Reinaldo (polêmica, principalmente pelo primeiro amarelo) tornou o jogo um duelo de ataque contra defesa. O confronto segue em aberto. 0 a 0 dá River. Empate por dois ou mais gols (2 a 2, 3 a 3...) dá Athletico. E 1 a 1 leva para os pênaltis. E quem vencer, claro, avança. O jogo de volta será na terça que vem, às 19h15, no Estádio Libertadores da América, casa do Independiente, em Avellaneda.

Gol amargo: Athletico segura o River Plate até os 45 do segundo tempo — Foto: Staff images/Conmebol

Gol amargo: Athletico segura o River Plate até os 45 do segundo tempo — Foto: Staff images/Conmebol

INTERNACIONAL

Inter e Boca Juniors se enfrentam pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores a partir das 21h30 desta quarta-feira, no Beira-Rio, em Porto Alegre. A partida de volta ocorre na quarta-feira da semana que vem às 21h30, na Bombonera, em Buenos Aires.  O Inter se classificou às oitavas como 2º colocado do Grupo E, com oito pontos, atrás do Grêmio, com 11. O Colorado vem de uma eliminação nos pênaltis para o América-MG na Copa do Brasil e perdeu para o Fluminense por 2 a 1 no último domingo, no Beira-Rio, pelo Brasileirão.

Já o Boca se classificou como líder do Grupo H com 14 pontos e ainda não perdeu um jogo na Libertadores. Porém, os xeneizes vêm de duas derrotas no Campeonato Argentino. A mais recente foi de 2 a 1 para o Lanús, na Bombonera, na última sexta-feira.

 — Foto: Infoesporte

— Foto: Infoesporte

PALMEIRAS

O Palmeiras inicia nesta quarta-feira, às 19h15 (horário de Brasília), contra o Delfín, em Manta, no Equador, sua participação nas oitavas de final da Copa Libertadores, maior desejo de título dos torcedores.  Após conquistar a primeira posição geral na fase de grupos, o Verdão chega para o confronto muito modificado, por conta das lesões e do surto de Covid-19 pelo qual o clube passa no momento. Serão vários desfalques para o técnico Abel Ferreira, que estreia na competição. Já o Delfín não teve problemas com o coronavírus, mas a situação dentro de campo não é das melhores. Após se classificar com apenas sete pontos na Libertadores, o time está na 13ª posição do Campeonato Equatoriano e não ganha há quatro partidas. 

Quem está fora: Felipe Melo (cirurgia no tornozelo), Wesley (cirurgia no joelho), Luan Silva (cirurgia no joelho), Luiz Adriano (lesão na coxa), Viña, Luan, Jailson, Alan Empereur, Kuscevic, Breno Lopes, Raphael Veiga, Gustavo Scarpa, Gabriel Veron, Willian e Aníbal (todos por conta da Covid-19).

CORITIBA X CORINTHIANS

Coritiba e Corinthians se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h30 (horário de Brasília), no Couto Pereira, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com 20 pontos, o Coxa entra na rodada na 18ª posição e nem se vencer o Timão sai do Z-4, já que o adversário mais próximo, o Vasco, tem 24 pontos. O Timão, com 26, também não está distante da zona da degola. A equipe vem de dois empates e uma derrota no Brasileirão, mas chega com moral depois de segurar o 0 a 0 com o Grêmio no domingo mesmo com dois jogadores a menos em campo. Vagner Mancini quer adotar essa entrega para o restante da temporada.

Quem está fora (CORITIBA) : Hugo Moura por Covid-19, Ricard Oliveira, Henrique Vermudt e Ramón Martinez pode decisão técnica, além de Patrick Vieira, que se recupera de uma lesão. Rodolfo Filemon está suspenso pelo terceiro amarelo, e Neilton precisou fazer uma cirurgia odontológica de urgência.

Quem está fora (CORINTHIANS) : Cantillo, Marllon e Otero (suspensos), Mateus Vital e Jemerson (Covid-19), Gustavo Mantuan (lesão no joelho esquerdo), Danilo Avelar (lesão no joelho direito), Ruan Oliveira (lesão no joelho esquerdo), Léo Santos (fisioterapia) e Ramiro (torção no tornozelo).

 — Foto: ge

— Foto: ge

CEARÁ X SÃO PAULO

Ceará e São Paulo se enfrentam nesta quarta-feira, às 19h15 (de Brasília), no Castelão, em Fortaleza, em jogo atrasado da 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo foi adiado para encaixar a Copa do Brasil e a Copa Sul-Americana no calendário do São Paulo - o time está na semifinal do primeiro torneio e foi eliminado do segundo. Com o empate por 2 a 2 com o Atlético-MG, o jejum de vitórias do Ceará dura cinco partidas, e o time está com o alerta ligado com a proximidade a zona de rebaixamento. Para afastar o fantasma do Z-4, o Vovô foca no duelo desta quarta-feira. O Alvinegro soma 25 pontos e é o 16º colocado na tabela.

Com três jogos a menos do que os líderes Atlético-MG e Flamengo, o São Paulo terá a chance de conquistar a liderança do Campeonato Brasileiro nesta noite. O time de Fernando Diniz tem 37 pontos, dois a menos do que os ponteiros – o Galo também joga nesta quarta, contra o Botafogo, no Mineirão.

 — Foto: ge

— Foto: ge

ATLÉTICO - MG X BOTAFOGO

Atlético-MG e Botafogo se enfrentam às 21h30 (de Brasília) desta quarta-feira, no Mineirão, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. As equipes entram em campo com objetivos totalmente opostos: a vitória é importante para o Galo se manter na liderança, enquanto três pontos são cruciais para o Bota iniciar reação para deixar a zona de rebaixamento. 

O Atlético enfrenta um surto de Covid-19 no departamento de futebol há uma semana. Bastante desfalcado, o time foi derrotado por Athletico-PR, no Mineirão, e empatou com Ceará, no Castelão, desperdiçando chances para abrir vantagem na ponta da tabela. Os problemas na equipe persistem para o compromisso desta quarta-feira.

O Botafogo não vence há seis rodadas e vem de dois tropeços consecutivos em casa: derrotas para Bragantino e Fortaleza, respectivamente. Para buscar a reação, o time de Ramón Díaz tenta superar um dos únicos adversários que já venceu na competição. Das três vitórias alvinegras no Brasileirão, uma foi sobre o Atlético-MG.

 — Foto: Infoesporte

— Foto: Infoesporte

SÉRIE B

É possível. Matematicamente, o Cruzeiro ainda pode conseguir chegar ao G-4 e voltar à Série A. A vitória sobre a líder Chapecoense, que não perdia há 19 jogos, foi um alento e tanto para alimentar o sonho, que andava adormecido. Mas, ainda que possa ser alcançado, é uma difícil missão conseguir uma reviravolta heroica e nunca antes vista.  Pelas projeções matemáticas, precisaria de mais 11 ou 12 vitórias em 15 jogos ainda a serem disputados. Um aproveitamento de 80%. Uma missão quase impossível. Quase. Se mantiver o aproveitamento que tem com Felipão - superior a 71% - será possível se aproximar do G-4 e buscar um sprint final. O alento cruzeirense é reforçado à medida que o time vem conseguindo pontuar a nove rodadas consecutivas na Série B e também porque vê o Cuiabá, por exemplo, caindo de rendimento na parte de cima da tabela.  Ainda sim, o desafio é enorme. Se conseguir, escreverá uma das maiores páginas heroicas e imortais do clube. Mas, enquanto não pode se desfazer do sonho, precisa continuar atento à parte de baixo. Abriu oito pontos de vantagem, mas o Náutico (primeiro do Z-4) tem um jogo a menos.

É preciso continuar VENCENDO para ver o sonho do acesso cada vez mais possível e o pesadelo da Série C mais distante. E um dos grandes responsáveis por isso será Luiz Felipe Scolari. O Cruzeiro teve uma nova cara em Chapecó e mostrou-se adaptado às mudanças. Enfrenta o Confiança, equipe que está em 10º lugar com 32 pontos (quatro a mais que o Cruzeiro). Vencer é essencial para encurtar a distância para o G-10, afastar-se da luta contra o rebaixamento e manter acesa a chama do sonho do acesso.

Chapecoense x Cruzeiro Rafael Sobis Brasileirão Série B — Foto: RENATO PADILHA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Chapecoense x Cruzeiro Rafael Sobis Brasileirão Série B — Foto: RENATO PADILHA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

FIFA- PRÊMIO DE MELHOR DO MUNDO

A Fifa anunciou nesta quarta-feira de manhã os candidatos aos prêmios de melhor do mundo com três representantes do futebol do Brasil. O atacante Neymar, do PSG, faz parte da lista de 11 pré-selecionados do The Best de jogador. Os candidatos pré-selecionados receberão votos de técnicos e capitães de seleções e um jornalista de cada país afiliado à Fifa, além dos torcedores que acessarem o site da entidade internacional. Há um peso diferenciado para cada um desses grupos de eleitores.

The Best Jogador

Fifa anuncia candidatos a prêmios de melhor do mundo: Neymar, Alisson e gol de Arrascaeta

Thiago Alcântara (ESP) - Bayern de Munique/Liverpool
Cristiano Ronaldo (POR) - Juventus
De Bruyne (BEL) - Manchester City
Lewandowski (POL) - Bayern de Munique
Mané (SEN) - Liverpool
Mbappé (FRA) - PSG
Messi (ARG) - Barcelona
Neymar (BRA) - PSG
Sergio Ramos (ESP) - Real Madrid
Salah (EGI) - Liverpool
Van Dijk (HOL) - Liverpool

The Best Goleiro

Navas, Oblak, Courtois, Alisson, Ter Stegen e Neuer, candidatos ao prêmio de melhor goleiro no Fifa The Best 2020  — Foto: Reprodução

Alisson (BRA) - Liverpool
Courtois (BEL) - Real Madrid
Navas (COS) - Paris Saint-Germain
Neuer (ALE) - Bayern de Munique
Oblak (ESL) - Atlético de Madrid
Ter Stegen (ALE) - Barcelona

The Best Treinadores

Lopetegui, Bielsa, Zidane, Klopp e Flick, candidatos a técnicos de times masculinos no Fifa The Best 2020 — Foto: Reprodução

Marcelo Bielsa (ARG) - Leeds United
Flick (ALE) - Bayern de Munique
Klopp (ALE) - Liverpool
Lopetegui (ESP) - Sevilla
Zidane (FRA) - Real Madrid

Prêmio Puskás

Shirley Cruz (COS) - Costa Rica x Panama
Torneio Pré-Olímpico da Concacaf - 28 de janeiro de 2020

Arrascaeta (URU) – Ceará x Flamengo
Brasileirão - 25 de agosto de 2019

Jordan Flores (ING) - Shamrock Rovers x Dundalk
Campeonato Irlandês - 28 de fevereiro de 2020

Diego Teixeira
diego@folhabv.com.br
Advogado, apaixonado por futebol e pelo Corinthians apresenta o programa Folha Sports na Folha FM
Desde: 2020-08-15
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!