Por Opinião
Em 20/02/2021

CONHEÇA QUAIS CUIDADOS ADOTAR AO ARREMATAR IMÓVEL HIPOTECADO

Paulo Mariano*

Inicialmente, gostaria de esclarecer o que é hipoteca. Muitas vezes, para conseguir um financiamento, geralmente habitacional, o potencial comprador de um imóvel o oferece como garantia de pagamento do empréstimo bancário. Portanto, esse imóvel fica vinculado ao banco até o final do financiamento, sendo registrado na matrícula do imóvel.

Mesmo o imóvel estando alienado, o fato é que é possível arrematar imóvel com o ônus da hipoteca. Entretanto, a princípio, deve o interessado na arrematação, ou seu advogado, observar, no processo em que se dará o leilão, se o credor hipotecário, no caso o banco, foi devidamente intimado do leilão.

Havendo a intimação do credor hipotecário, este tem a faculdade de exercer seu direito de preferência, se utilizando da garantia que grava o imóvel. No entanto, na maioria das vezes, o banco abre mão desse direito, considerando que, se o exercer, terá de responder por eventuais ônus que recaem sobre o imóvel, como condomínio, IPTU etc.

Assim, confirmada a intimação ao credor hipotecário, não haverá qualquer irregularidade quanto a isso, podendo o interessado arrematar o imóvel.

Pode ainda ocorrer a arrematação, sem essa intimação, mas, caso o eventual concorrente seja vitorioso no leilão deverá proceder a intimação do credor hipotecário.

No entanto, este pedido de intimação deve ser aprovado pelo juiz competente do processo, considerando que o juiz pode entender que com a falta da intimação, restou cerceado ao banco exercer seu direito de preferência, e decidir por julgar nula a arrematação.

Pode ocorrer ainda que o juiz interprete que a posterior intimação do banco não cause ao feito nenhum prejuízo ao direito de preferência do credor hipotecário. Porém, cabe ao interessado se aconselhar com seu advogado se vale a pena correr tal risco. Deve-se levar em conta a maioria dos julgados nesse sentido, o que exige conhecimento de um advogado especializado em leilão de imóveis.

Mas vale ressaltar que o Código Civil, em seu Artigo 1.499, inciso VI, estabelece que a arrematação extingue a hipoteca, salientando que esta arrematação deve ser precedida com a intimação do credor hipotecário.

Portanto, havendo hipoteca vinculada ao imóvel a que se pretende arrematar, deve haver prévia consulta ao processo para se confirmar se o credor hipotecário foi devidamente intimado, evitando assim futura nulidade na arrematação e, consequentemente, o atraso no levantamento do valor investido.

*Advogado especializado em leilão judicial de imóveis, com experiência de mais de 500 processos nessa modalidade de investimento. Já assessorou investidores, familiares e amigos e vem se utilizando do leilão de imóveis para seu próprio investimento. Mais informações: www.paulomariano.adv.br

CRISE DE INFLUÊNCIA DIGITAL: E AGORA?

Raphael Moroz*

O programa televisivo Big Brother Brasil (BBB) é conhecido por proporcionar o aumento da visibilidade da maioria de seus participantes. Quem entra na “casa mais vigiada do país” – como é conhecido o local onde os integrantes de cada edição permanecem durante cerca de 3 meses –, costuma ver o número de seguidores e fãs aumentar significativamente nas redes sociais. Na edição atual, no entanto, temos visto acontecer justamente o contrário: após ser acusada de praticar bullying contra o participante Lucas Penteado, a rapper Karol Conká tem sido “cancelada” por milhares de internautas. O comportamento reprovável da artista no programa já está reverberando negativamente: o número de seguidores em suas redes sociais despencou e algumas de suas apresentações musicais foram canceladas.

A crise em torno da imagem de Karol Conká sinaliza um ponto importante para profissionais de comunicação e marketing: é preciso saber lidar adequadamente com situações como a da cantora. Crises de imagem podem afetar qualquer pessoa ou marca que possua visibilidade – desde microinfluenciadores até grandes empresas – e costumam avançar rapidamente. Em menor ou maior grau, sempre há consequências negativas – como demonstra o caso de Karol.

Não é possível estar 100% preparado para uma crise de imagem, mas há direcionamentos que auxiliam profissionais de comunicação e marketing a gerenciarem esse tipo de situação. Confira algumas dicas importantes para prevenir e contornar crises de influência digital.

1)  Crie um comitê de gestão de crises. A melhor forma de prevenir crises de imagem é instaurar uma equipe para mapear situações que possam prejudicar a reputação da empresa. É recomendável que o comitê em questão seja composto por profissionais estratégicos, tais como diretores, coordenadores, advogados e assessores de comunicação e marketing. A partir das discussões levantadas por esses profissionais, é possível elaborar, inclusive, um manual contendo direcionamentos e orientações em casos de deslizes por parte da empresa.

2) Saiba o que seu público está falando sobre você. Com a democratização do acesso à internet e a popularização das redes sociais, temos a possibilidade de opinar mais nessas plataformas. Ao mesmo tempo que isso é bom para as marcas – pois estas podem dialogar mais facilmente com seus públicos –, também pode se tornar um problema quando elas cometem algum erro. Se uma empresa “pisa na bola”, em questão de segundos o deslize pode ser disseminado para milhares de pessoas por meio de postagens e compartilhamentos, provocando uma crise de grandes proporções. Por isso, é necessário monitorar constantemente as menções e os comentários e mensagens relacionados à marca nas redes sociais.

3) Admita o erro e se responsabilize por ele. Errar é humano! Nenhuma organização ou influenciador está livre de “dar uma mancada” em determinado momento. Em situações nas quais a crise já se instaurou, o posicionamento mais adequado é admitir o erro e buscar soluções. Analisemos a situação delicada de Karol Conká no BBB: caso a rapper, após ter cometido as primeiras agressões psicológicas contra Lucas, tivesse se dado conta de sua má conduta, pedido desculpas ao participante e modificado seus comportamentos, possivelmente a crise em torno de sua imagem seria minimizada. É importante lembrar que, nessas situações, não basta admitir o erro; é fundamental se responsabilizar por ele e buscar soluções o mais rápido possível!

4) Transforme a crise em uma causa. Sabemos que admitir o erro é o primeiro passo para gerenciar uma crise de imagem, e que a responsabilização vem depois disso. Há, ainda, um terceiro passo: usar a crise a favor da marca. Organizações que gerenciam o erro e demonstram que aprenderam com ele têm maiores chances de serem perdoadas. Nesse sentido, uma alternativa para a cantora seria mudar de posicionamento e passar a apoiar as causas do ex-participante. Todavia, é importante ressaltar que, para serem efetivas, as ações subsequentes à crise precisam ser genuínas. Caso contrário, o público perceberá e o efeito será contrário – ou seja, a crise poderá ficar ainda pior!

*Jornalista e psicólogo e possui mestrado em Comunicação e Linguagens. Atua como professor-tutor do curso de graduação em Marketing Digital do Centro Universitário Internacional Uninter.

MUNDO NOVO

Afonso Rodrigues de Oliveira*

“Meu novo mundo é um reflexo do meu novo modo de pensar.” (Louise Hay)

Embora ainda encontremos dificuldade em acreditar em nós mesmos, vamos tentar acreditar. Já devíamos saber que somos o que pensamos. Mas não custa repetir um pouco, que nem sempre somos o que pensamos eu somos. Então vamos nos valorizar. Comece seu dia, hoje, pensando no que você realmente é. Você   é que deve saber o que quer realmente ser. O amor é a força maior que temos dentro de nós, para podermos realizara tudo que desejamos. Só não devemos é extrapolar. Ainda somos animais em evolução. E por isso devemos caminhar dentro do nosso grau de crescimento racional.

Inicie sua caminhada acreditando em você mesmo ou mesma. Todo o poder de que você necessita para vencer está em você. Você não precisa ficar pedindo nem implorando. Nós chegamos aqui, neste planeta, há mais de vinte e uma eternidades. Não dá pra imaginar como ele era, na sua faze de criação. E por isso não conseguimos evoluir   como desejávamos. Mesmo tendo todo o poder que ainda temos para evoluir, continuamos sem saber o que realmente somos. Deus nos deu todo o poder de que necessitamos. O fato é que anda não evoluímos o suficiente para entender e acreditar nisso.

Fique frio ou fria. Nada de ficar se encucando com esse papo. Estou apenas conversando com você. E minha intenção é que você se ame e acredite em você, como um ser de origem racional. E essa crença é suficiente para você não esquentar a cabeça, e caminhar pelas veredas do positivismo. E ser positivo não é ficar esperando milagres. Faça-os você mesmo. Você tem todo o poder que precisa para vencer. Mas o importante é que tenha em mente que vencer é caminhar nas veredas da racionalidade. E o negativismo está totalmente fora dos caminhos do sucesso. E ter sucesso é ser feliz. E a felicidade não está no orgulho da posse. Quantos tolos já conhecemos, que estão vivendo um inferno, como pagamento da fortuna que embolsaram indevidamente. A inveja é um indicativo de que você está se deixando levar pelo irracional.

Respire e imagine como você quer passar seu dia, hoje. Se alguma coisa estiver perturbando sua mente, pare e procure se ver no seu espelho interior. Ele está dentro de você. Procure se ver como você realmente é. Se não se achar, procure ver onde você está. Mas só saia do espelho depois que se encontrar. Porque só assim você se analisará. Ame-se e você se valorizará. Só aí você verá que não é inferior nem superior a ninguém. Que somos todos iguais. E você está esse grupo. Sorria sempre. Esteja sempre como gostaria que os outros estivessem para agradar você. Pense nisso.

*Articulista

afonso_rr@hotmail.com

95-99121-1460 

Opinião
fale@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!