Por Shirley Rodrigues
Em 31/08/2019

 Com Nada 

* Muita gente reclamando da demora no atendimento do Hospital da Criança Santo Antônio. Numa das queixas, uma mãe afirma que chegou com sua criança naquela Unidade de Saúde por volta do meio dia e só teve o atendimento concluído após as 20h. Nesse mesmo dia, outra mãe foi conduzida até a Delegacia de Polícia, porque reclamou da demora. Como o município quer ser a capital da primeira infância, dar prioridade à saúde infantil, convenhamos, seria essencial. 

 Com Tudo 

* Tem se verificado em Boa Vista um sensível aumento de empreendimentos voltados a produtos saudáveis, seja no que se refere à gastronomia, ramo de suplementação, quanto em clínicas estéticas, academias especializadas e espaços com foco em vida saudável. Os espaços que oferecem serviços de beleza e saúde, como clínicas dermatológicas e de nutrição, também ocuparam espaços consideráveis e, apesar da crise, têm movimentado a economia do Estado. 

 Os irmãos José e Junior – filhos dos queridos amigos Rose e Aniceto Wanderley – estão se despedindo de Roraima. Vão prosseguir seus estudos em Portugal 

É hoje

* E por falar nisso, neste sábado, das 17 às 21h, acontece um happy hour comemorativo à inauguração do Espaço Lukey – Estética e Saúde – instalado na Rua professor Agnelo Bitencourt 1527 – São Francisco. 
* O evento contará com a presença de Huma Kimak e os atendimentos já começarão na segunda-feira, 02 de setembro. Mais informações pelo telefone: 98129 6699 ou no IG @espaçolukes. 

Leilão 

* Apreciadores de animais não podem perder essa oportunidade. Estamos falando de um arrojado leilão de cavalos resistentes, criados a pasto, com andamento excelente, de pelagem pampa e exótica. 
* São animais com aptidão para cavalgadas, trabalho com animais, esportes e outros. O referido Leilão acontecerá no parque de Exposição de Roraima, dentro da Feira Roraima Agroshow, a partir das 19hs.

Adélia Cristina do Vale trabalhando na programação da Semana Nacional do Trânsito, que começará dia 15 de setembro

Desconecta 

* Com a popularidade dos smartphones, tornou-se muito comum ver pessoas em grupos, mas sem qualquer tipo de comunicação entre elas. O excesso no uso de aparelhos mobile já tem até nome: nomofobia.
 * Para estimular o bem-estar dos roraimenses e incentivá-los a conectarem-se entre si, sem qualquer gadget, o site Damorida, em parceria com o Stúdio Yôga e o Grupo Florescer Materno realizam neste sábado (31), a partir das 16h, o Desconecta! Será no Studio Yôga & Fisioterapia Rio Branco, situado à rua Capitão Bessa,781, centro.

Videoconferência 

* Numa audiência pré-processual, realizada por meio de videoconferência do Tribunal de Justiça de Roraima entre Brasil e Japão, foi possível que depois de aproximadamente 40 anos uma família se reencontrasse para resolver uma ação de inventário e partilha.

* A mediação foi conduzida pelo juiz auxiliar da presidência e coordenador do Cejusc do TJRR, Aluízio Vieira, que estava em Brasília por compromissos do judiciário, e pelo juiz Esdras Silva Pinto, que acompanhou presencialmente a ação da sala de audiência virtual do Fórum Criminal Ministro Evandro Lins e Silva.

Juliana Amorim com o irmão Rômulo e os sobrinhos Ana Carolina e Rômulo Filho, durante recente visita a Boa Vista onde comemorou seu aniversário, in family 

#Rápidas

* A página de hoje é dedicada a Waldete Gondim, por conta da transcorrência de sua idade nova neste sábado.
* Também trocando de data hoje, Dra. Emira Salomão, Ernesto Fauzi e Maliana Feitosa. 
* Domingo quem troca de data é a artista plástica e paisagista, Nilza Reginatto e o ex-governador Neudo Campos. 
* Neste domingo a partir das 17h, na Praça Germano Augusto Sampaio, acontecerá a Feirinha LGBTQ+ com o tema da Parada “Stone Wall 50 anos”.
* Haverá artesanatos e outros produtos, praça de alimentação com diversos tipos de comidas, shows culturais e testagens rápidas de Sífilis, HIV e Hepatite B e C. 


 Perfil 

José Haroldo Campos: “O IPER possui uma equipe efetiva que trabalha incansavelmente em prol do Instituto”

José Haroldo Figueiredo Campos é Bacharel em Direito pela Universidade de Cuiabá e Pós-graduado em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas. Possui Curso de Mediador e Árbitro Institucional - CAMEJA - Santa Catarina e de Gestor de Regime Próprio de Previdência (CGRPPS). Foi Auxiliar de Biblioteca no Centro Interdisciplinar de Estudos Jurídicos - Tangará da Serra – MT, onde também atuou como Medidor e Árbitro Institucional Titular no Tribunal Arbitral; Diretor da Faculdade Cathedral de Àgua Boa – MT; Diretor Financeiro da Holding HFM - Boa Vista; Diretor Administrativo da Faculdade Cathedral de Boa Vista; Diretor Administrativo da Cervejaria Boa Vista e atualmente é Presidente Interino do Instituto de Previdência de Roraima – IPERR, que acaba de recuperar cerca de 80 milhões de reais que o Órgão havia perdido por conta de mau investimento do fundo de pensão dos aposentados.

* Por que você decidiu estudar Direito?

Escolhi pelo fato de ser um curso que abre um leque de opções profissionais. Na época, eu possuía como objetivo seguir a carreira diplomática, mas ao invés de me limitar ao curso de Relações Internacionais achei melhor cursar Direito. Opção que se mostrou mais acertada em minha vida.

* É de conhecimento público que o IPERR perdeu cerca de 180 milhões de reais em fundos de investimentos. Qual a sua expectativa ao assumir o Órgão, diante desse quadro?

A minha primeira providência foi estudar a fundo caso a caso o que ocorreu. Visitamos os bancos e atuais gestores desses fundos ilíquidos para entender quais os players que causaram esse dano. Infelizmente, as notícias não eram boas, esse foi um buraco que não somente prejudicou o IPER, mas sim vários Institutos de previdência do Brasil. Nosso trabalho agora é de amenizar esse prejuízo e principalmente sairmos o mais rápido possível desses fundos “Podres”, porque infelizmente o estrago já está feito.

* Na sua gestão foram recuperados 80 milhões. Como isso foi possível?

O IPER possui uma equipe efetiva que trabalha incansavelmente em prol do instituto. Seria uma injustiça de minha parte não dar esse crédito a eles. Se o IPER conseguiu recuperar 80 milhões foi devido a esse corpo técnico superespecializado e efetivo que o IPER possui já há alguns anos. 

* Mesmo com o resgate desse montante, ainda há cerca de 100 milhões. É possível recuperar mais algo dessa quantia?

Ainda em 2019 devemos recuperar em torno de 5 milhões. Para 2020 já temos previsão de receber, em janeiro, em torno de 2 milhões. A ordem para os novos gestores dos fundos é de vender sempre que achar um comprador para algum ativo, até por isso ainda deve levar alguns anos para o IPER sair desses fundos.

 
* Na sua opinião, por que o Governo do Estado, à época, decidiu retirar o dinheiro do fundo de pensão dos aposentados de bancos seguros para investir em estabelecimentos bancários sem garantia?

Minha opinião técnica foi que faltou ao gestor da época fazer uma análise mais fundamentalista, mais aprofundada, acerca dos riscos que envolviam o aporte financeiro nesses fundos. Claro que todo investimento financeiro envolve riscos, mas um bom gestor sabe que tipo de riscos deve correr. O risco de mercado é inerente, não depende do gestor, mas o risco de crédito, a falta de liquidez, isso sim o gestor consegue observar ao fazer uma análise mais aprofundada em cima de um ativo financeiro.

* Qual a atual situação do IPERR?

Após esse episódio que ocorreu em 2012, várias regras de compliance público foram tomadas pelo poder Legislativo. A principal foi a que estabeleceu que o IPER poderia apenas investir em bancos públicos e de economia mista. Ocorreram também mudanças na composição dos conselhos. Hoje, temos o Conselho Estadual de Previdência, o Comitê de Investimento e o Conselho Fiscal, todos funcionando de maneira independente. 

* Quais são seus planos na presidência do Iperr em curto, médio e longo prazo?

No curto prazo “arrumamos a casa”, coloquei as peças certas nos lugares certos, dei oportunidade a quem realmente quer trabalhar, colocamos em dia todas as demandas do Tribunal de Contas. Temos uma diretoria 100% certificada, estabelecemos um contato maior com a Segad e conseguimos assim, pela primeira vez na história do IPER, receber o arquivo digital da folha de pagamento de maneira auditável e no âmbito previdenciário reduzimos o tempo de concessão de uma aposentadoria de um ano para 35 dias. Em médio prazo pretendemos iniciar os estudos e a consultoria para implantarmos gestão de qualidade no IPER, redefinir os novos fluxogramas e criar os manuais de gestão de cada departamento. No longo prazo temos como objetivo obter o selo de qualidade ISO-9001 e as certificações de PRO GESTÃO, estabelecer um plano estratégico para os próximos quatro anos, além de construir nossa sede própria e sair do aluguel. 

* Que mensagem o presidente do IPERR deixa para a população?

Nossa gestão está comprometida em prestar um serviço de excelência para nossa sociedade. Temos muitos problemas, um caminho longo a percorrer, mas uma vontade grande de trabalhar e enfrentar todos os problemas que já existem e os que porventura apareçam. Temos um governo comprometido com os repasses previdenciários mensais, repasses esses que foram de maneira irresponsável negligenciados por outras gestões, gerando uma dívida de 496 milhões. A título de exemplo, os repasses de dezembro a março de 2019 totalizaram valores maiores do que os anos de 2017 e 2018 juntos. Nossa missão é zelar pelos recursos previdenciários, cuidar para que nosso RPPS sempre alcance o equilíbrio financeiro, cuidar de nossos aposentados e pensionistas e garantir um futuro previdenciário tranquilo e próspero para os servidores efetivos do Estado de Roraima.

Shirley Rodrigues
shirleyfolha@hotmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Social
+ Ler mais artigos de Social