Por Denise Rohnelt Araujo
Em 07/09/2019

ENTRADA

Hoje é dia da Independência do nosso país, 7 de setembro, feriado nacional.  O dia que o Príncipe Regente Dom Pedro gritou, às margens do Ipiranga, a célebre frase “Independência ou morte”, e deixamos de ser uma colônia de Portugal e nos tornamos um país de fato e de direito.

Mas como não estamos aqui para falar sobre história do Brasil e sim para falarmos dos sabores encontrados pelo caminho, vamos à eles!

No dia 17 de setembro será inaugurado o Food Park da Plataforma 8 e na próxima semana irei falar mais para vocês sobre os restaurantes que estarão por lá. Mas vou adiantar a receita de hoje: Yakisoba. E se estiver com preguiça poderá almoçar ou jantar na Casa do Yakisoba do chef Rubens Retroz no Food Park 8.

Além do prato da casa, eles terão outros da culinária oriental, inclusive sushi, harumaki.

E para a agenda da semana, tem Feira da Lua na Plataforma 8 nos dias 13 e 14, a partir das 17hs, com vários produtos e delícias feitas por microempreendedores locais. E nos dias 14 e 15 acontece o primeiro festival da Gastronomia Taurepang, Wapichana e Macuxi na Comunidade Nova Esperança no Município de Pacaraima. A entrada custa R$40,00 e R$20,00 para estudantes e acadêmicos. No local além das comidas típicas terão a venda de artesanato, ingredientes e bebidas, participem!

Até o próximo sábado!

PRATO DO DIA

Yakisoba
Chef Rubens Morais Retroz

INGREDIENTES:

  • 120g Repolho verde cortado em tiras
  • 80g Repolho roxo cortado em tiras
  • 35g Cenoura em tiras
  • 30g Cebola em tiras
  • 25g Pimentão em tiras
  • 15g Feijão de corda 
  • 30g Couve flor 
  • 25g Berinjela em tiras
  • 01 dente de alho
  • 300g  Macarrão para yakisoba cozido
  • 60g  Carne em tiras
  • 60g Frango em tiras
  • 20 ml Shoyo 
  • 5g Ajinomoto 

MODO DE FAZER:

Em uma panela tipo WOK (uma frigideira mais funda, utilizada na culinária oriental) coloque um pouco de óleo, quando estiver bem quente acrescente o alho e as carnes bovina e de frango para dourarem. Depois colocar todas as verduras: cebola, cenoura, pimentão, repolho, feijão de corda, berinjela, temperar com Ajinomoto e soja, quando os legumes estiverem al dente colocar o macarrão cozido e misturar bem.
Servir logo em seguida.

AO MESTRE COM CARINHO

Peço licença aos meus leitores para homenagear um caríssimo amigo que a gastronomia me deu, um homem íntegro, inteligente, generoso com seus amigos, um mestre na arte de bem receber e um grande estudioso da culinária e dos ingredientes do Cerrado e da Amazônia.

Na próxima terça feira, o mestre Francisco Ansiliero completa 80 anos de vida e será lindamente homenageado com um jantar magno organizado pelas suas três filhas. Oito chefs brasilienses irão preparar um menu em seu restaurante na Asbac ( Associação do Banco Central), que fica no Lago Sul em Brasília, Distrito Federal. Os chefs são: André Castro (Authoral); Gil Guimarães (Baco e Parrilla Burger); Mara Alcamim (Universal); Marcelo Petrarca (Bloco C e Lago); Rosario Tessier (Trattoria Da Rosario); Simon Lau (Aquavit) e Thiago Paraíso (Saveur e Ouriço. O jantar, harmonizado com vinhos, terá sua renda revertida para a creche Santo Aníbal Maria, no Guará, que atende 320 crianças e adolescentes e não dispõe de convênio para manutenção.

O chef Francisco Ansiliero é catarinense de Videira, foi padre, professor universitário e empresário do ramo madeireiro quando viveu em Rondônia. Hoje além de ser um grande chef de cozinha, autodidata, é um restauranteur que se tornou referência na capital federal.

Seu restaurante Dom Francisco existe há mais de três décadas na capital, servindo três produtos que são sua marca até hoje: o bacalhau, a picanha e o tambaqui. Falando em Tambaqui, foi o primeiro a servir o peixe amazônico em Brasília.

Mestre Francisco também é formado pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS), e tem uma das maiores adegas de vinho deste país, onde elaborou um sistema de armazenamento de garrafas com canos de PVC e sempre está atualizado com as novidades da bebida. Foi lá que experimentei o vinho Intrépido, da vinícola Pirineus da cidade de Cocalzinho de Goiás.

Ao longo desses anos de amizade, muito aprendi com o mestre Francisco e tive o prazer de cozinhar para ele algumas vezes e apresentar novos produtos da Amazônia.

Desejo vida longa ao Mestre Francisco Ansiliero, que possamos desfrutar da sua amizade, conhecimento e sabores muitos anos mais.

E quem for à capital federal, não deixe de ir ao restaurante Dom Francisco na Asbac e experimentem as delícias feitas por esse grande chef de cozinha. E aproveitem para conhecê-lo e saber mais sobre os sabores do Cerrado.

THEROS O LANÇAMENTO DA MARCA SALTON

A marca  Salton especializada na produção de espumantes, vinhos e sucos de uva decidiu diversificar, e elaborou um gin,  com nome inspirado na mitologia grega, Theros, Deusa da estação do ano, o Verão. 

O dry gin elaborado pela combinação de destilado de cana de açúcar, água com alto grau de pureza e zimbro, além de botânicos como semente de coentro, raiz de angélica e flor de cássia, que incrementam sua complexidade aromática, em uma garrafa de 1000 ml da Verallia.

A garrafa é inspirada no design clássico do leste europeu, com destaques ao ombro marcante e ao painel cônico. Com fechamento em conta-gotas, a garrafa na cor flint é decorada com adesivo.

Cristalina e brilhante, a bebida pode ser consumida pura ou na elaboração de coquetéis, como gin tônica e negroni entre outros. Com 40% de teor alcoólico, segue a linha clássica do destilado: notas aromáticas de zimbro e nuances cítricos e florais, sabor seco, marcante, suavemente picante e com um final levemente amargo. 

                                                                                    

Denise Rohnelt Araujo
jornalista@teste.com.br
http://meusite.com.br
Aqui ficará as informações sobre o colunista e a coluna.
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Letras Saborosas
+ Ler mais artigos de Letras Saborosas