Por Denise Rohnelt Araujo
Em 10/08/2019

ENTRADA

Fiquei muito feliz de ter participado do Festival Fartura. Mas, agora, tenho que me preparar para a Feira Internacional de Vinhos na Amazônia, que acontece nos dias 20 e 21 de agosto em Manaus.

Além da curadoria do evento, estarei dando uma palestra sobre a história de alguns drinks feitos com vinho e farei algumas receitas de coquetéis com espumante para um happy hour.

Estarão comigo no evento: Carlos Cabral, consultor de vinhos da rede Pão de Açúcar e especialista em vinho do Porto; a sommelière e Wine Director do grupo D.O.M Gabriela Monteleone; e a sommelière Mikaela Paim, diretora de vinhos da ABRASEL SP. Os passaportes estão à venda pelo site: www.fivaamazon.com

O prato de hoje fez um enorme sucesso no Festival Fartura, o Tempura de Urtiga feito pelo mestre Hiroya Takano do restaurante Shin Suzuran de Manaus. Além da urtiga, mestre Hiroya levou a Vitória Régia para conhecerem. Ele faz uma fusão da culinária japonesa com a amazônica, passeando divinamente pelas plantas alimentícias não convencionais, as PANCs.

Até o próximo sábado!

PRATO DO DIA

Tempura de Urtiga
Chef Hiroya Takano 

INGREDIENTES 

Massa:

12 folhas de Urtiga
01 ovo
500 ml de água gelada
04 xícaras (chá) de farinha de trigo

MODO DE PREPARO:

Bata o ovo ligeiramente e acrescente a água gelada. Junte aos poucos a farinha de trigo, mexendo até obter uma massa homogênea e fina. Passe essa mistura em apenas um dos lados das folhas de urtiga. Frite as folhas por imersão em óleo quente (180ºC) de 1 a 3 minutos, ou até que fiquem ligeiramente douradas. 

Com o auxílio de uma escumadeira, retire as folhas e deixe escorrer em uma grade. Reserve.

Ingredientes Molho:

02 xícaras (chá) de caldo de peixe
½ xícara (chá) de shoyu
01 xícara (café) de saquê mirin
½ xícara (chá) de nabo ralado

MODO DE PREPARO:

Em uma panela, junte o caldo de peixe, o shoyu e o saquê mirin e leve ao fogo brando para aquecer. Por último, acrescente o nabo ralado. Sirva o tempura imediatamente com o molho.

QUARTA EDIÇÃO DO FESTIVAL FARTURA SÃO PAULO TRAZ SABORES DO CABURAÍ AO CHUÍ

É sempre uma alegria participar do festival Fartura, além de rever amigos, é uma oportunidade de experimentar novos sabores, conhecer novas estórias e ainda apreciar música e arte de qualidade.

O frio quase espantou o paulistano do festival, mas a vontade de conhecer e experimentar pratos de norte a sul do Brasil falou mais alto.

Eu fiquei muito feliz de levar os sabores da Amazônia para o espaço da Origem ao Prato, onde pela primeira vez cozinhei em um grande tacho, onde foram servidas aproximadamente 70 porções do arroz com costela de porco defumada no tucupi negro.

Foi muito bom ver o interesse das pessoas sobre o nosso estado, nossos ingredientes e querer saber sobre a nossa situação atual com o grande êxodo venezuelano. Trouxe para São Paulo 8 quilos de costelinha e barriga de porco temperadas com tucupi negro e defumadas que foram utilizadas no arroz de costelinha de porco com tucupi negro, pimenta de cheiro e coentro. Aliás, falam tanto que os paulistas não gostam de coentro, mas vi pessoas comprando mais de dois pratos, e ainda colocar um pouco de jiquitaia de olho de peixe para ficar mais picante.

Os números do Festival Fartura são impressionantes: o evento teve o movimento de oito mil pessoas, vendeu mais de 16 mil pratos durante dois dias. E ainda foram consumidas mais de quatro mil taças de vinho.

As sobremesas que fizeram sucesso com o público foram a banoffee, do restaurante Nanica, e a torta de chocolate com pipoca caramelizada e flor de sal, do chef Lucas Corazza. A polenta com fonduta de queijo, cogumelos e pinhões da chef Gabriela Carvalho do restaurante Quintana de Curitiba vendeu aproximadamente 700 pratos, utilizou mais de 100 quilos de fubá de milho e 60 quilos de queijo fundido. O chef Diogo Sabião de Rondônia, serviu um risoto de arroz vermelho no tucupi e jambu com filé de Pirarucu fresco delicioso. Ele me disse que vendeu aproximadamente 500 pratos e que utilizou 70 quilos de filé de Pirarucu durante os dois dias de festival.

Ainda teve o espaço Origem ao Prato que atraiu a atenção nos dois dias de programação, com chefs cozinhando ao vivo e revelando os segredos de temperos e preparos. O público pôde conferir e apreciar pratos como o arroz com costela de porco defumado com tucupi negro, pimenta-de-cheiro e coentro, de Denise Rohnelt (RR); arroz de Cuxá, de Ana Lula (MA); bacalhau à capixaba, de Victor Ragazzi Isaac; munguzá de caramelo com farofa de tapioca com licuri e sorvete de coco verde, de Lisiane Arouca (BA); mojica de pintado, de Marcelo Cotrim (MT); arroz pregado de carne de sol com crocante de mandioca, de Daniel Barbosa (MS) e cabrito sertanejo mergulhado nos vinhos do São Francisco, de João Barreto (PB).

O especialista em churrasco Antônio Costaguta (RS) comandou assados na brasa e na lenha e serviu diversos pratos ao longo dos dois dias. Alguns preparos começaram cedo, como foi o caso da Costela de Fogo de Chão. Bife de chorizo, fraldinha com chimichurri e morrones, tapa de cuadril e entrecot também foram servidos.

Mais do que apreciar receitas e ter a oportunidade de conhecer chefs estrelados, o público também teve a oportunidade de se aprofundar em histórias e tradições gastronômicas. O Espaço Conhecimento Senac contou com 12 palestras com degustação. Destaque para “Lab.Maní e a proposta inovadora de aprendizado na cozinha”, com Helena Rizzo (SP), e “A biodiversidade brasileira e as plantas alimentícias não-convencionais”, com Hiroya Takano (AM), nossa receita de hoje com o Tempura de Urtiga. 

Quem quis levar um pouquinho do Festival Fartura para casa, passou pelo espaço Produtos e Produtores. A bottarga, iguaria de Santa Catarina vendida pela Bottarga Gold, fez sucesso com o público, assim como o doce de leite de mel, da Ana Mantegari (SP), o concentrado de jambu e tremidão da Sinimbu (PA) e os embutidos da Porcadeiros (PR).

Os palcos receberam diversas atrações, como: Sinhá Música, Gingo, Gente do Centro, Bixiga 70, o grupo Ari Borger Trio, YAMÍ, Orquestra Samba & Choro de São Mateus, Rubinho Antunes Quarteto, Nimba – Trupe Benkady. Apresentações itinerantes como Unidos do Swing e Fanfarra Manada também animaram o público. 

Todas as atrações gastronômicas do evento foram descobertas por meio da Expedição Fartura – Comidas do Brasil, que já percorreu todos os estados brasileiros, mais o Distrito Federal. Neste ano, Belém e Brasília já tiveram edições do Festival Fartura. A próxima parada é Tiradentes (MG), que recebe a maior festa da gastronomia entre os dias 23 de agosto a 1º de setembro. Até o fim de 2019, tem festival Fartura nas capitais  Belo Horizonte, Porto Alegre e Fortaleza, além do internacional em Lisboa. Acompanhem todas as programações do Fartura no site: www.farturabrasil.com.br.

                                                                                             

Denise Rohnelt Araujo
jornalista@teste.com.br
http://meusite.com.br
Aqui ficará as informações sobre o colunista e a coluna.
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Letras Saborosas
+ Ler mais artigos de Letras Saborosas