Por Francisco Cândido
Em 24/02/2021

FAMÍLIA MONTENEGRO PEIXOTO

_________________________________________________________________________

O patriarca Noberto Gonçalves Peixoto nasceu em maio de 1879 no Município de Itapipoca, interior do Estado do Ceará. Casou-se, aos 20 anos de idade, em maio de 1889, com a cearense Francisca Montenegro de Oliveira e, em dezembro vieram para Boa Vista. O casal Noberto e Francisca, teve os filhos:

1 - Sócrates Montenegro Peixoto (casado com Nair Carneiro, coma qual teve o filho Waldir Montenegro Peixoto). Este se casou com a senhora Engrácia Torreias Pereira da Silva – que era filha de Manoel da Silva (Manoel Velho) e de Faustina Torreias.

Ao ficar viúvo, Sócrates casou com Francisca da Silva, com a qual teve o filho Oswaldo Augusto. Ao separar-se, Sócrates casou-se com Raquel (filha de Marcemília Nogueira) e desta união, nasceram os filhos: Valdemiro Peixoto (casado com uma amazonense). Zenaide (Prêta) Montenegro Peixoto (casada com Eugênio da Silva Mota); Zenilda Peixoto (casada com o “Nêgo Pontaria”); Eva Peixoto (casada com Sinésio Alves dos Reis - filho de Assis Oliveira e de Raimunda (“Doca”) Alves dos Reis; e Vicência Peixoto (faleceu solteira).

Sócrates Peixoto ficou viúvo outra vez e casou-se em 1960, com a Maria Fabrício. A Maria é bisavó da esposa do Paulo Barrudada, a senhora Fabrícia Barrudada – filha de Arimar com o Benito (“Benis”). A senhora Arimar, depois, casou-se com o “Canhotinho” – funcionário público aposentado.

O Sócrates Montenegro Peixoto faleceu de acidente de carro quando capotou seu jeep, próximo à ponte do Cauamé. O Waldir-filho mais velho do Sócrates-, herdou do pai a fazenda União, antiga fazenda "Silêncio".

O segundo filho do patriarca Noberto Gonçalves Peixoto é o Évino Peixoto. Este se casou com Antônia Isabel Alves. O casal teve as filhas: Darcila Alves Peixoto e Chagas Alves Peixoto, e os filhos: Sebastião Montenegro Peixoto (“Santos Peixoto”), e José Montenegro Peixoto (Professor Montenegro, já falecido).

Ao ficar viúvo de Antônia, o Évino Peixoto casou-se com Noêmia Bastos (filha do “Bastos” – um dos fundadores da Assembleia de Deus em Roraima). O casal Évino e Noêmia teve os filhos: Onédia, Delcir, Odília, Onília, Rui, Jesus, e Ozéias Peixoto.

ELVIRA Montenegro Peixoto – casou-se com Nazareno José de Mesquita, com o qual teve os filhos:

Almir Mesquita Peixoto. Este teve os filhos: Margarete Brasil Peixoto, Edvaldo Brasil Peixoto, Denite Brasil Peixoto, Caléria Brasil Peixoto, Edinilce Brasil Peixoto, Dilamar Sampaio Peixoto, Glautemir Sampaio Peixoto, Miller Sampaio Peixoto, Chayenne Sampaio Peixot e Michele Sampaio Peixoto;

Margareth Mesquita Peixoto;

Elivaldo Mesquita Peixoto;

Calária Mesquita Peixoto;

Benite Mesquita Peixoto;

Chaeme Mesquita Peixoto; e

Mila Mesquita Peixoto.

--------------------

Maria do Carmo Montenegro Peixoto da Silva - casou-se com Rafael Cardoso da Silva. O casal teve os filhos: Hilma Cardoso da Silva, Rafael Filho; Graça Cardoso da Silva; Santa Cardoso da Silva; e Sílvia Cardoso da Silva.

Elaine Montenegro Peixoto, não casou.

Sádla Montenegro Peixoto – casou com Morena Ribeiro-, e teve os filhos: Damião Ribeiro Peixoto; Jesus Ribeiro Peixoto; Dilson Ribeiro Peixoto; Estácio Ribeiro Peixoto; e Iolanda Ribeiro Peixoto.

Procar “Mimo” Montenegro Peixoto (nasceu em 1900), casou-se com Abdúlia (Doca) de Lima Peixoto. O casal teve os filhos: Francisco Lima Peixoto; Eloia Lima Peixoto; Luiz Lima Peixoto; e Orleone Lima Peixoto.

A senhora Eloia (filha do Procar Peixoto), casou-se com o Cândido Barros de Matos, e tiveram os filhos: Joércio, Jonilton, Paulo Peixoto Matos (dono do Bar localizado junto à Ponte do rio Cauamé); Teresina, Alcides, Procar Filho, Jonilson; e Consolata.

Registro também: Adelaide Brandão Peixoto Pinheiro, casada com Sebastião de Jesus Pinheiro (“Sabá Pinheiro”, já falecido). O casal teve os filhos: Handerson, Giltéia e Sandro Pinheiro.

Chevelar Montenegro Peixoto nasceu em Santarém, no Pará, em 15/11/1904. Era filho de Norberto Gonçalves Peixoto e Francisca Montenegro Peixoto, tradicional família da região do Amajari/Tepequém. Chevelar tinha como irmãos: Sádila, Sócrates, Jesuíno Peixoto (Nenê), Elvira, Eloia e Évino Montenegro Peixoto.

Chevelar foi um próspero comerciante, dono de fazenda com muito gado, e vários hectares de terra cultiváveis. A sua Fazenda, que ele pôs o nome de: “Desilusão”, no Amajari, foi por muitos anos uma referência em produtividade. Hoje esta Fazenda tem novo proprietário e recebeu o nome de: “Fazenda Caravela”.

Chevelar casou duas vezes. A primeira, com a senhora Noêmia, e com ela teve os filhos: Norberto e Ester Montenegro Peixoto.

E, após ficar viúvo, casou-se no dia 27/04/1928 com a senhora NEDIR Costa Peixoto (filha de Dioclécio Magalhães Costa e de Francisca de Souza Costa).

O casal Nedir e Chevelar teve os filhos: Francisca (+), Maria Consolata; Maria do Perpétuo Socorro (Socorrinha, trabalha na Fetec); Francimar; Sheila, Chirte e Paulo Peixoto (ex-Prefeito do Município de Cantá). Todos tem o sobrenome: “de Souza Peixoto”.

Chevelar, na década de 1960, tinha um comércio na Serra do Tepequém, com vendas de gêneros alimentícios e de outros artigos que eram comprados pelas famílias da região e também pelos garimpeiros. Além do comércio, Chevelar tinha também no Tepequém, na Vila Cabo Sobral, uma Fazenda de gado e um plantio de legumes para vendas e para as necessidades da própria família.

Em 1966, Chevelar vendeu a propriedade no Tepequém e comprou uma área na localidade do Boqueirão, na região do Alto Alegre, onde montou a “Fazenda Roraima”, e retomou às suas atividades de criação de gado, agricultura e venda de gêneros alimentícios. Para levar as mercadorias até o topo da serra do Tepequém, onde estavam os trabalhadores no garimpo, o Chevelar usava animais para o transporte das cargas.

Em 1970, os filhos estavam em idade escolar e a família veio para Boa Vista, onde Chevelar comprou uma casa ao lado do antigo Hotel Roraima, na Rua Cecília Brasil, Centro.

Chevelar teve outros filhos fora do casamento. Mas, todos foram acolhidos pela a esposa a dona Nedir que os criou com carinho e amor.

A dona Nedir Costa Peixoto nasceu no dia 27/04/1928 e faleceu no dia 01/08/1995.

A Assembleia Legislativa do Estado de Roraima, em Sessão Especial no dia 15/12/2010, concedeu ao Chevelar o Título “Orgulho de Roraima”.

Chevelar nasceu no dia 15/11/1904 e faleceu em Boa Vista no dia 27/05/2016, aos 112 anos de idade.

No dia 14 de Julho de 2017, a época Prefeita de Boa Vista, Teresa Surita, inaugurou uma Praça na Avenida das Flores, no Bairro Pricumã, e a denominou: “Praça Chevelar Montenegro Peixoto”.


Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Minha Rua Fala
+ Ler mais artigos de Minha Rua Fala