Por Francisco Cândido
Em 25/09/2019

RUA DERMÁRIO BONATES

Antiga Rua XXI (21) no Bairro Cambará


O personagem em destaque nesta quarta-feira, Delmário Bonates, era filho do italiano Derblay Bonates e da amazonense Maria de Nazaré de Miranda. Dermário nasceu em Manaus no dia 12/02/1929, e, desde tenra idade, teve o futebol, não só como diversão, mas como uma atividade profissional. Em sua juventude foi um dos principais jogadores do time amazonense Olímpico Futebol Clube, tendo ganhado o campeonato amazonense em 1944.

No início de 1950, o jogador Dermário Bonates veio para Boa Vista acompanhado dos irmãos Lauro e Fernando, para jogarem no Rio Branco Esporte Clube, a convite do Valério Barbosa.  Porém, havia um problema: o clube não tinha como pagar seus jogadores. A solução foi contratar o Dermário como funcionário do Governo Territorial. Ele dava expediente na antiga Secretaria de Obras e depois fazia o que mais gostava: jogar futebol.

O primeiro campo (ao ar livre) ficava num terreno atrás da hoje Escola Oswaldo Cruz e Hotel Lua Nova, próximo à Praça da Bandeira. Tempos depois é que inauguraram o famoso “Estádio João Mineiro” (onde hoje está a Maternidade Nossa Senhora de Nazaré).

O Delmário Bonates foi um excelente meio-de-campo. Não só armava as jogadas, mas também fazia gols. Foi campeão várias vezes, tanto pelo time “Rio Branco”, como também pelo “Baré Esporte Clube”, o time do seu coração.

No Baré, o Dermário foi diretor, orientador, colaborador e dedicou-se até os últimos dias de vida àquele clube. Como jogador, integrou por várias vezes, a seleção Rio-Branquense de Futebol, onde atuou tanto em Boa Vista como na Guiana Inglesa.

O Dermário Bonates, em virtude de sua experiência desportiva, foi convidado para treinar o time do River e foi técnico do time “São Francisco Esporte Clube”.

O saudoso Ribeirão (Raimundo Ribeiro de Souza), tinha o Dermário como um experiente coordenador desportivo. Tanto que o convidou para lhe auxiliar.

Dermário Bonates era casado com a senhora Terezinha de Jesus Magalhães (filha de Romeu Caldas de Magalhães – hoje nome do Mercado, na Avenida Glaycon de Paiva; e sobrinha do à época deputado federal Valério Caldas de Magalhães. O casal teve 10 filhos, dos quais sete estão vivos: o professor Rômulo Bonates (conhecido como “Querido”, casado com a senhora Elza Souza Bonates; o bancário Sebastião (Babá); os servidores públicos lotados na Secretaria de Educação: Francisco Romeu; Maria do Perpétuo Socorro; Maria das Graças; Maria Derbla; e Romênia Bonates.

Dermário Bonates faleceu no dia 21 de maio de 1989, aos 60 anos de idade, vítima de acidente no trânsito quando conduzia a sua inseparável motocicleta. Foi uma grande perda, tanto para a família, para os amigos como para o esporte roraimense.

O vereador, à época, Ruben Bento, apresentou o Projeto de Lei nº 068 de 05/09/2003, denominando a antiga Rua XXI (21), no Bairro Cambárá, como Rua Dermário Bonates. A Câmara Municipal aprovou e o Prefeito Iradilson Sampaio de Souza sancionou transformando-o na Lei nº 727/03, de 30 de dezembro de 2003, publicada no Diário Oficial do Município de Boa Vista, de nº 1152, de 08/01/2004.

A Rua Dermário Bonates nasce na Rua Raimundo Penafort, no Bairro Cambará, segue para o Norte, e termina na Avenida General Ataíde Teive, no início do Bairro Santa Tereza.

Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Minha Rua Fala
+ Ler mais artigos de Minha Rua Fala