Por Francisco Cândido
Em 27/02/2020

CARNAVAL EM BOA VISTA
- Ontem e hoje -


Peço vênia, se assim me expresso. O Carnaval em Boa Vista perdeu muito da alegria genuína que se via em carnavais passados. Não é saudosismo, mas constatação. 

Passeando pela Avenida Jaime Brasil, centro da cidade, já não há as figuras lendárias que fizeram parte da nossa alegria momesca. 

Ainda ecoa em nossos ouvidos, mesmo sem mais a existência do personagem “Peteleco” com a sua Corneta-pistão, que dava início ao carnaval de rua. Havia o rei Momo (por anos a fio, votado) o Miranda e a sua fantasia de “Monstro do Tepequém”. Depois, ainda vinha o bloco “As melindrosas”, o “Bloco do Pó”,  a Batucada Praça da Bandeira, e outros grupos carnavalescos que faziam a festa do boa-vistense.

As festas, digamos mais reservadas, aconteciam nos clubes: Rio Branco, Iate Clube, Roraima, Gressbe e Cabec. E, ainda tinha na sede da União Operária.

Nas décadas de 1960/70 e 80 a Avenida Jaime Brasil não era apenas o centro comercial de Boa Vista, ela servia também de espaço para os desfiles dos “Blocos Carnavalescos” e das “Batalhas de Confetes” no meio da praça. A expressão popular estava nos “Blocos de Rua”, principalmente com: “Os Mascarados”, “As Melindrosas”, o “Bloco dos Sujos” e o irreverente “Bloco do Pó” (jogando Talco nas pessoas que estavam na calçada da Avenida Jaime Brasil). E, após o desfile, já no início da noite, a festa continuava no prédio da “União Operária”, na sede do “Rio Branco Esporte Clube” e no “Clube do Roraima” (na Avenida Mário Homem de Mello).

Em 2006, o desfile de Carnaval passou para a Avenida capitão Ene Garcez. E, em 2007 foi transferido para a Avenida Villerroy, em frente ao Estádio Canarinho. Nesta fase, as principais Escolas foram: “Praça da Bandeira”, “Império Roraimense”, “Aquarela”, “Embaixadores da Mecejana”, “Além do Equador”, “Ouro Verde”, e “Unidos do Beiral”.

Em 2012, o desfile voltou para a Avenida Ene Garcez. E, partir de 2014, as Escolas de Samba deixaram de desfilar (uma das causas foi à falta de patrocínio público-financeiro). De lá pra cá, optou-se pelo o retorno dos “Blocos de Rua”.

No Carnaval de 2016, a Prefeitura Municipal de Boa Vista prestou uma homenagem especial ao jornalista Laucides Inácio de Oliveira (25/09/1931 + 07/03/2012); e ao professor e apresentador musical Jaber Gama Xaud (02/081931+18/12/2010), pela contribuição à história do Carnaval de Boa Vista. Na ocasião, as famílias de ambos estiverem presentes.

No ano de 2019, a animação ficou por conta dos Blocos, dos Trios Elétricos e da expressiva participação popular.  O Circuito do desfile foi delimitado na Avenida Ene Garcez, com concentração na Praça Fábio Paracat, em seguida percorrendo o trecho entre as Avenidas Major Williams, Serejo Cruz e Terêncio Lima até o retorno à Avenida Ene Garcez. O mesmo circuito foi definido para este ano de 2020.

Os Blocos são animações populares e traduzem a alegria do povo roraimense. Entre os principais, neste ano de 2020, destacam-se: Império da Folia, Felicidade Boa Vista, Muito Amor Envolvido, Bloco do Servidor, Bloco Canaimé, Gigantes da Folia.

Por que o carnaval não tem data fixa para acontecer?

As datas do Carnaval são definidas da seguinte forma: primeiro, a Igreja Católica escolhe quando será o “Domingo de Páscoa” (quando se comemora a ressurreição de Jesus Cristo). Em seguida, contam-se retroativamente sete domingos para se chegar ao Domingo de Carnaval. Isso significa dizer que, diferente dos demais feriados, o de Carnaval não tem um dia fixo, ele muda de acordo com o ano.

Neste ano de 2020, o Carnaval começou no dia 25 de fevereiro; e, em 2021, iniciará em 16 de fevereiro.

APOIO CULTURAL

Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Minha Rua Fala
+ Ler mais artigos de Minha Rua Fala