Por Francisco Cândido
Em 20/03/2019

WALMIR PEREIRA DA ROCHA
Nome de Rua em Boa Vista e de Loja Maçônica no Amajari


Walmir foi militar do Exército, em Manaus em 1947; sapateiro por muitos anos; Administrador do primeiro Matadouro de Boa Vista; chefe da garagem da Prefeitura de Mucajaí; e, Juiz de Paz, naquele município; Mestre Maçom, nome de Rua em Boa Vista, e nome de uma loja maçônica no Amajari.

Walmir nasceu na cidade Faros, interior do Estado do Pará, em 09/12/1929. Era filho de Wilson Lima da Fonseca e de Zenaide Rocha da Fonseca. Aos 18 anos de idade foi para Manaus onde serviu ao Exército. E, em 1949 casou-se com a senhora Noemy Costa Rocha. O casal teve os filhos: Waldemir, Walmir, Waldecíria e Waldeneide.  

No inicio de 1960, Walmir trouxe a família para Boa Vista e, aqui montou uma oficina de conserto de sapatos, com o nome de: “Sapataria Fé em Deus”, na Avenida Getúlio Vargas.

Tempos depois foi convidado para ser Administrador do primeiro Matadouro público de Boa Vista (funcionou num prédio situado na Avenida Brasil (BR-174/Sul), esquina com a Alameda dos Bambus), no Bairro Pricumã. 

Em 1984, Walmir mudou-se para Mucajai, onde assumiu o cargo de “Chefe da garagem de veículos”, na administração do prefeito Roldão de Almeida.

1990 ele voltou à Boa Vista e recebeu um convite para trabalhar como Almoxarife na empresa Vidroraima (situada na Avenida Major Williams – em frente ao Mercado Municipal São Francisco). E, em 1992, foi para o município de Pacaraima, para gerenciar o Hotel do amigo Ubirajara Riz Rodrigues.

Em 1994, lá mesmo em Pacaraima, Walmir ingressou no serviço público estadual, como Agente de Portaria, mas, na realidade, ele exercia várias funções. 

No dia 17/12/1997, Walmir foi acometido de um derrame cerebral que lhe paralisou praticamente todo o lado direito do corpo. Depois se acentuou na face e ele não conseguiu mais trabalhar. 

Walmir era Mestre Maçom, Iniciado em 28/04/1966 na Loja Liberdade e Progresso nº 1, situada na Rua Coronel Pinto, Centro de Boa Vista. Neste mesmo ano, em 06 de agosto, foi Elevado ao Grau de Companheiro; e, Exaltado a Mestre Maçom no dia 15/10/1966.

Na Maçonaria, o Walmir exerceu todos os cargos, de Chanceler a 1º Vigilante. No dia 04/08/1973, ingressou nos Graus Filosóficos e, finalmente, no dia 14/03/1982, alcançou a plenitude de conhecimentos maçônicos, o Grau 33º - tornando-se Grande Inspetor Geral da Ordem. 

Walmir foi um dos fundadores das Lojas maçônicas: 13 de Maio (em Caracaraí); e Loja Sylvio Botelho, em Boa Vista, no Bairro 31 de Março. E, no dia 20/08/1984, foi eleito Venerável Mestre da Loja Antônio Luitigards Moura nº 5, em Mucajaí. 

Enfim, Walmir, era pura Maçonaria. Um obreiro ativo, dedicado e exemplo de conduta moral. Eu tive o privilégio de aprender com ele, alguns ensinamentos maçônicos. 

Ainda que com dificuldades no andar e na fala, devido o derrame, Walmir continuava a frequentar as Sessões maçônicas. Muitas vezes conduzido pelo Irmão Maçônico José Chagas Neto (o “Zé Rapadura”). Walmir fazia questão de estar sempre presente às Sessões. 

Walmir, ficou viúvo em 02/05/1970. Tempos depois, casou com a senhora Francisca Soares Nunes. Nos últimos dias, Walmir estava sendo muito bem cuidado em sua residência (na Rua Benjamin Constant, Centro de Boa Vista), por uma das filhas do primeiro casamento, a professora Waldecíria.

Walmir faleceu às 19h do dia 18 de março de 2005, vítima de insuficiência renal crônica. Tinha 75 anos de idade. A Maçonaria acolheu o pranto dos Irmãos, e foi decretado 3 dias de luto oficial, por ordem do Grão-Mestrado. 

A Câmara Municipal de Boa Vista aprovou um Projeto de Lei mudando o nome da antiga Rua 18, no Bairro Jardim Caranã, para: “Rua Walmir Pereira da Rocha”, conforme Lei nº 783/05, de 12/05/2005, publicada no Diário Oficial do Município, nº 1486, de 23/05/2005.

A Maçonaria roraimense, através do Grão-Mestre, à época Lindberg Melo da Silva, criou no Município de Amajari, por meio do ATO nº 063/13, datado de 14/12/2013, a “Augusta e Respeitável Loja Simbólica Walmir Pereira da Rocha - nº 12”, tendo como primeiro Venerável (o Presidente da Loja) o mestre maçom Almir Martins (2013 a 2017). E, em junho de 2017, assumiu o mestre maçom Jean de Matos Galvão, que está até hoje. A Loja já Iniciou 08 (oito) novos maçons e a tendência é realizar novas Iniciações. 

A Loja Walmir Pereira da Rocha nº 12, sob a administração do mestre Jean, tem realizada diversas ações sociais, tanto em Amajari, como na capital Boa Vista. 

A Maçonaria, por sua singeleza, não permite que se alardeiem as ações filantrópicas realizadas, haja vista que na prática do bem, não há necessidade de se divulgar o bem praticado. Mas, fugindo um pouco à regra, posso citar a feitura e distribuição de alimentos prontos, aos primeiros imigrantes venezuelanos que estavam na Praça Simon Bolívar, por mais de seis meses. Em maio de 2018, em conjunto com a Loja Maçônica Cavaleiros de Aço, do Grande Oriente Estadual de Roraima, as duas Lojas atenderam mais de 270 pessoas, no Amajari, com Assistência médica (consultas clínicas, testes de glicemia, HIV, Hepatites virais, vacinação, distribuição de Kits para higiene bucal, entre outros), bem como Atendimento Jurídico à comunidade de Amajari. A mesma assistência médica-social foi prestada aos moradores do Tepequém. Em todas estas ações, se fizeram presentes, ajudando e participando dos atendimentos, as valorosas esposas dos maçons de ambas as Potências (Grande Loja e Grande Oriente Estadual de Roraima-GOERR), bem como também participaram das ações, os Demolays e as Filhas de Jó (pertencentes às famílias dos Maçons). 

Pode-se afirmar que a Loja Maçônica Walmir Pereira da Rocha nº 12, bem representa o seu Patrono. E, certamente, se vivo, ele estaria satisfeito pelo que está sendo realizado.

Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Minha Rua Fala
+ Ler mais artigos de Minha Rua Fala