Por Francisco Cândido
Em 24/07/2019

DOMINGOS AYRES LEITÃO 
- e, a chegada do Homem à Lua -


O radiotécnico Domingos Ayres Leitão foi um dos pioneiros na área das telecomunicações em Roraima. Em 1956 criou a primeira estação de Rádio em Boa Vista, a Rádio Roraima, num experimento realizado inicialmente em um dos apartamentos do Hotel Boa Vista (hoje o Aipana Hotel), e depois participou, com os radiotécnicos Adail Maduro e Magnos Mota Guimarães, da montagem oficial da emissora.  

A inauguração aconteceu na gestão do governador José Maria Barbosa, no dia 04 de janeiro de 1957, na presença do Presidente da República Juscelino Kubistechek de Oliveira. O estúdio da emissora (com técnica do operador de áudio Edilberto Lima) foi instalado num dos blocos da Secretaria de Educação, depois transferido para o Teatro Carlos Gomes e, por fim, desde 1983, a Rádio Roraima AM-590, está em seu prédio próprio, na Avenida capitão Ene Garcez. 

Domingos Leitão tinha um coração bondoso. Em 1968 ele notou que muitas crianças (e, até adultos) não tinham dinheiro para pagar o ingresso da entrada no Cine Boa Vista (onde hoje está o Shopping Center, na Avenida Jaime Brasil). Ele adquiriu um Projetor, e conseguia, sob emprestimos, com o gerente do Cinema, alguns filmes que já haviam sido repetidos por semanas, e passava gratuitamente estes filmes para no próprio quintal de sua casa. Nessa fase do “cinema em casa”, o que mais fez sucesso foi o filme “A última carroça”.

Em julho de 1969 o Domingos Leitão inventou uma antena de televisão feita com pedaços de ferro, e acoplou em seu aparelho de TV. A sua “invenção” permitiu ao público ver pela TV (em preto e branco) a chegada do homem à Lua. Também participou, junto ao radiotécnico Esdras Avelino, da construção de um coversor de ondas de áudio e vídeo, com o objetivo de captar sinais de Televisão. Devido a sua experiência, foi contratado pelo então governador Fernando Ramos Pereira para instalar a primeira emissora de Televisão em Boa Vista, a TV RORAIMA, inaugurada oficialmente em 1975. A partir daí, o Domingos Leitão foi designado para prestar serviços de montagem, e conserto das estações de radiotelegrafia do Governo e como operador de áudio no sistema de som interno da antiga Biblioteca Pública, onde hoje é o prédio da Assembléia Legislativa. Aliada a estas atividades, tinha uma oficina de conserto de rádio na Avenida Jaime Brasil (num prédio ao lado onde hoje é a Drogaria Elivan/Bradesco). E, aproveitando a frente daquele prédio, instalou a casa comercial “A Cristal”, com vendas de confecções e utilidades domésticas.

Na Copa do Mundo de Futebol de 1970, Domingos Leitão recebeu a missão do governador Hélio da Costa Campos para que viabilizasse a sintonia dos jogos. Atendendo ao pedido, montou em sua residência uma antena de televisão, feita à base de alumínio e instalada a uma altura de nove metros e, com este apoio, conseguiu a captação do sinal de emissoras da Venezuela, Colômbia e da Guiana. A engenhosidade do Domingos Leitão não foi só a de sintonizar uma emissora de televisão extrangeira, mas, porque, por debaixo da mesa onde estava o televisor, colocou um rádio portátil sintonizado na Rádio Tupy, do Rio de Janeiro, que transmitia em português, ao vivo, os jogos. Foi assim que o governador e centenas de pessoas, assistiram na residência do Domingos Leitão a abertura e todos os Jogos da Copa de 1970. Via-se a imagem pelo televisor e o som pelo rádio. Muita gente saía de casa, levava um banquinho de madeira (para ver por cima dos ombros dos mais altos), e lotava até o quintal da sua casa.  

Domingos Ayres Leitão nasceu no dia 14 de dezembro de 1926  na cidade de Marabá, no Estado do Pará, e era filho de Manoel Ayres Leitão e de Antonia Maria dos Anjos Leitão. Ao desembarcar em Boa Vista, em 1944, quando tinha apenas 17 anos de idade, já havia passado 23 dias navegando pelos rios da Amazônia, particularmente no rio Maú, em Roraima, em busca de ouro e diamantes. Em sua procura por pedras preciosas, encontrou em 1951 a mais brilhante de todas: MELÍCIA BEZERRA DA SILVA LEITÃO. O casal teve os filhos: Meiry da Silva Leitão; Mário da Silva Leitão; Marlene da Silva Leitão; Marly Leitão Farias; Marcos da Silva Leitão; Luiza Leitão Boni; Domingos Ayres Leitão Filho; Marta Leitão Kimak; e Márcia da Silva Leitão. 

Domingos Ayres Leitão faleceu na Unimed, em Boa Vista, no dia 15 de Julho de 2010, aos 83 anos de idade. O vereador Alfonso Rodrigues do Vale/PR, apresentou um Projeto de Lei denominando a ex-Rua DI-12, no Distrito Industrial, com o nome de: Rua Domingos Leitão. O projeto foi aprovado por unanimidade, e sancionado pelo Prefeito Iradilson Sampaio de Souza como Lei nº 1.264, de 09/09/2010, publicada no Diário Oficial do Município de Boa Vista, de nº 2778, datado de 13/09/2010.

Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Yuri disse: Em 24/07/2019 às 12:59:40

"Ótima matéria que fizeste desde esplêndido homem que foi meu avô. Houve só um equívoco na hora de digitar o nome de uma das filhas no qual o correto é ( Mary Maria da Silva Leitão), minha mãe. Parabéns pela busca de todo o contexto histórico da vida e obras de meu avô. "

Cândido disse: Em 26/07/2019 às 16:03:52

"Grato, por suas palavras de incentivo ao meu trabalho de pesquisas, entrevistas e publicações. E, claro, farei a devida correção no nome de sua amada Mãe. Cordialmente, Francisco Cândido - Jornalista. Boa Vista - Roraima, 26 de Julho de 2019."

Últimas de
Minha Rua Fala
+ Ler mais artigos de Minha Rua Fala