Por Parabólica
Em 12/01/2021

Bom dia,

Hoje é terça-feira (12.01). É lamentável que pelo segundo dia consecutivo tenhamos que tratar mais uma vez da incúria das autoridades locais no combate à pandemia da Covid19. Ontem dissemos aqui deste espaço que seria inevitável que a segunda onda de infecção do vírus chines chegasse em Roraima, e que apesar desta grande probabilidade, as autoridades locais estavam indo na contramão das evidências, fechando e desativando, inclusive, leitos e ambulatórios que poderiam ser usados para salvar vidas preciosas entre nós.

Pois bem, ontem, durante o dia a capacidade da principal unidade referência do estado no tratamento da Covid19, o Hospital Geral de Roraima (HGR) colapsou. Pessoas com a necessidade de oxigenação tiveram que voltar daquela unidade hospitalar por falta de condições de atendimento, e provavelmente, pelo menos uma veio a falecer. Enquanto isso, nenhuma autoridade do estado e de município de Boa Vista apareceu para dizer alguma coisa, ou providência, que trouxesse um mínimo de conforto e esperança para a população. Todos procedendo como se fossem inevitáveis essas mortes e sofrimento.

É a segunda vez que as autoridades locais falham, e se omitem, no momento de maior gravidade da pandemia por aqui. Na primeira onda, foi ainda pior. Em vez de agirem para enfrentar a crise, como por exemplo a abertura da Área de Proteção e Cuidado (APC), cuja inauguração foi adiada por mais de dois meses; a então prefeita Teresa Surita (MDB) e o governador Antônio Denárium (sem partido) preferiram trocar farpas e acusações. Agora, pelo menos não há esse tiroteio verbal, mas a incúria se repete, e mais uma vez, a crise vem com toda intensidade sem que estas autoridades determinem qualquer providência para enfrentá-la.

Errar uma vez, dá até para aceitar; mais duas vezes é inaceitável.

Pode-se dizer o que se quiser do governador paulista João Dória (PSDB), mas ninguém pode acusá-lo de omissão. Ao contrário, quase todos os dias o governador de São Paulo leva sua equipe, e vai ele mesmo, para uma entrevista coletiva onde anuncia todas as providências que seu governo está adotando para enfrentar a pandemia. E a equipe do governo paulista está trabalhando tão bem que já comprou vacina e seringas, estando preparado para começar aplicar a vacina no dia seguinte a autorização emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). E isso, em vez de servir de exemplo, causa ciumeira ao governo federal. É o fim da picada.

COMO SEMPRE

Na manhã da sexta-feira passada, um grupo de índios yanomami; integrado por homens, mulheres e crianças; todos aparentemente famintos, transitavam pela BR-174, no sentido Mucajaí-Boa Vista. E o ano de 2021 também começou com muitos ouvintes da Rádio Folha FM 100.3 denunciando problemas causados pelos índios yanomami naquela cidade. Inclusive, com atitudes agressivas quando estão embriagados, o que é uma prática comum entre eles. Faz tempo que os yanomami pela BR-174 e pelas zonas urbanas de Boa Vista, Mucajaí, Iracema e Caracaraí, sem que a Fundação Nacional do Índio (Funai) tome qualquer providência, como é de sua obrigação, para prestar-lhes um acolhimento digno e humano. E por certo, que uma conduta dessa natureza não custa muito dinheiro.

FORD

A montadora norte-americana Ford foi a primeira montadora automobilística a chegar ao Brasil, e isso já faz mais de 100 anos. Ontem, a multinacional anunciou que fechará durante 2021, todas as suas unidades no Brasil, incluindo a antiga Troller, uma montadora nacional com sede no Ceará que foi comprada, faz cinco anos. Embora a crise da montadora no Brasil já venha de alguns anos, o anúncio do fechamento de suas operações o Brasil é um duro golpe para o governo liberal de Jair Bolsonaro e de seu ministro da Economia, Paulo Guedes. Até porque, também foi anunciada a decisão da Ford de continuar produzindo seus veículos na Argentina, governada pela dupla  esquerdista populista Alberto Fernandes/Cristina Kirchner. E agora?

RÁPIDAS

Na entrevista que deu à Rádio Folha FM 100.3, no último domingo, o deputado estadual Jânio Xingu (PSB), primeiro vice-presidente da Assembleia Legislativa, reclamou do número de órgãos que compõem a estrutura administrativa do estado. “Muitos deles não fazem nada”, disse o parlamentar. ### O governador Antônio Denárium prometeu conceder uma entrevista coletiva logo mais às 10h para anunciar as medidas que seu governo está adotando para enfrentar a segunda onda da Covid19. ### As chuvas são benfazejas para quem mora no interior, mas torna precárias a situação das estradas vicinais. A reclamação dos produtores tem sido intensa contra a inércia do governo e das prefeituras. ### Nalgumas localidades, os moradores já fizeram, inclusive, a arrecadação de grana para ajudar a prefeitura de Iracema para comprar combustíveis. Mas, até agora nada, dizem eles. ### Até amanhã,            

        

       

                           

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica