Por Parabólica
Em 02/09/2020

Bom dia,

Hoje é quarta-feira (02.09). Os economistas desenvolveram, desde os anos 30 do Século XX métodos de coleta e de tratamento de dados estatísticos que permitem, hoje, estimar com bastante precisão, o conjunto de riqueza que os países produzem no decorrer de um determinado período. Uma das mais importantes dessas previsões é o Produto Interno Bruto (PIB), que corresponde ao total de bens (arroz, feijão, soja, veículos, e tantos outros) e de serviços (comércio, governo, cinema, jogos eletrônicos, salão de beleza e uma infinidade de outros) que o país produz em certo período. Essa produção gera empregos, salários, juros e outros rendimentos que permitem a aquisição desses bens e serviços produzidos, fazendo a economia girar.

Os dados do PIB refletem, portanto, expressões muito concretas sobre a realidade de um país que se traduzem em bem-estar da população, que infelizmente, é apropriado de forma desigual em quase todas as nações. No Brasil, essa forma de apropriação desigual é uma das maiores do planeta, sendo uma mácula que enodoa a realidade tupiniquim. Os brasileiros e as brasileiras deveriam dar maior atenção ao tamanho, e a forma como vem se comportando a evolução do PIB do Brasil nos últimos anos. Só para sintetizar: nos últimos 10 anos estamos crescendo para baixo, feito rabo de cavalo.

DESABANDO

O PIB brasileiro do segundo trimestre de 2020, pelas estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) levou um tombo assustador de 9%, em relação ao mesmo período de 2019. Essa queda brutal, que se reflete em desemprego e aumento da violência, revela um dado assustador: em termos numéricos o Brasil está produzindo o mesmo que produzia no segundo trimestre de 2009, isto é, há onze anos. Isso é um dado assustador e nos transforma de um país, que todos diziam de futuro promissor, numa nação que se afasta ainda mais do seleto grupo de países capazes de dar um mínimo de bem-estar a sua população.

PANDEMIA

Os dados do IBGE também revelam que esse tombo assustador da economia brasileira no segundo trimestre de 2020 não se deve apenas aos efeitos da pasmaceira das atividades econômicos decorrentes da pandemia, que começaram a aparecer a partir do final de março. Na verdade, os dados revelam que a queda no índice de crescimento do PIB brasileiro já vinha sendo sinalizada desde o começo do ano. Na projeção do desempenho da economia brasileira para o restante do ano o tombo só não será maior em virtude do colchão amortecedor criado com os bilhões de reais injetados pelo governo federal no seio da população mais pobre através do auxílio emergencial, que o presidente Jair Bolsonaro, anunciou ontem, sua prorrogação por mais quatro meses.

DIMENSÃO

A prorrogação do auxílio emergencial -com valor reduzido pela metade-, por mais quatro meses deve atingir a mais de 80 milhões de beneficiários, dos 211 milhões de habitantes estimados como a população atual do Brasil, e vai custar aos cofres do governo federal a bagatela de R$ 100 bilhões, em quatro parcelas de R$ 25 bilhões. É um programa importante, mas claramente insustentável, pois levaria a um crescimento explosivo da dívida pública da União Federal, que já ultrapassou os R$ 4 trilhões.

RESPOSTA

Em resposta a uma nota publicada ontem, terça-feira (01.09), aqui na Parabólica, tratando de seu possível afastamento da direção estadual do PTB, o deputado estadual Jefferson Alves fez divulgar nota pública negando tal possibilidade. A nota foi acompanhada por um áudio, gravado pelo ex-deputado federal Roberto Jefferson, no qual o presidente nacional da sigla diz, sem rodeios, que seu xará, o deputado Jefferson Alves -que ele chamou de “homem do motosserra” -, é quem manda no PTB de Roraima. Roberto Jefferson diz anda que enquanto ele presidir nacionalmente o partido, Jefferson Alves vai mandar no PTB estadual.

BRIGA

A Parabólica reafirma que recebeu de fontes confiáveis desde Brasília a informação do possível afastamento do deputado estadual Jefferson Alves da presidência estadual do PTB. Na verdade, o que está havendo nas hostes do PTB de Roraima é decorrente da decisão de Jefferson Alves -que decididamente controla o partido localmente-, de apoiar da candidatura do deputado federal Ottaci Nascimento (Solidariedade) a prefeito de Boa Vista. Um grupo de filiados do PTB prefere apresentar o nome do ex-senador Mozarildo Cavalcanti como candidato do partido a prefeito de Boa Vista.

RÁPIDAS

A Coluna lamenta registrar a morte do professor Flávio Bezerra da Silva, atual diretor-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do estado de Roraima (Sinter). ### Com o afunilamento do processo eleitoral começam a aparecer ações do Ministério Público contra pré-candidatos/candidatas, bem como de seus apoiadores. Por que só agora? ### Continuam fortes os rumores de que está fechado o acordo entre o PSDB e o Republicanos para lançar a chapa Sheridan Oliveira/Marcos Jorge, para prefeita e vice, respectivamente, na eleição para escolher quem vai comandar a prefeitura da capital a partir de 1º de janeiro de 2021. ### Quase dois anos depois, o Ministério Público Federal apresenta denúncia contra um empresário, dono de uma rede de supermercado, que teria utilizado propaganda eleitoral irregular para beneficiar os então candidatos Antônio Denárium (a governador de Roraima) e Jair Bolsonaro (a presidente da República), nas eleições de 2018. Ele teria colocado 17 centavos no preço de cada promoção. ### Até amanhã.

  

                                            

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
SANTOS disse: Em 03/09/2020 às 12:15:08

"- Gostaria de indagar ao Editor-Chefe deste Matutino as razões que motivaram a desativação da coluna ESPAÇO DO LEITOR. Faz muito tempo que está sem qualquer alteração."