Por Opinião
Em 03/06/2020

Alianças eternas: uma ação social online

Dolane Patrícia*

A relação da família sempre teve grande importância no desenvolvimento da sociedade. “É a família que define quem define nossos princípios, o que entendemos por certo e errado e, principalmente, como nos relacionaremos com os integrantes de outras famílias”.

Deus em sua infinita sabedoria já dava sinais de que a família seria a base para se construir uma vida feliz!Foi com essa consciência que a Vara da Justiça Itinerante e a Igreja Adventista do Sétimo Dia, resolveram realizar em meio a uma pandemia sem precedentes a primeira Ação Social online da história do Estado.Consiste em regularizar a situação familiar de dezenas de famílias que viviam em união estável e nunca puderam se batizar na igreja Adventista em razão da ausência do casamento. A grande maioria não havia se casado em razão de problemas financeiros, outros por estarem ainda casados com seus ex-cônjuges, com isso viram seus sonhos sendo levados pelo tempo.

Alguns sonharam por mais de 30 anos, como é o caso de Luiz Gonzaga de 85 anos de idade que nunca conseguiu realizar o sonho do casamento, por nunca ter tido condições de se separar de sua ex-mulher, que viu pela última vez em 1975.Para outros casais já em idade avançada, com problemas de saúde, como tumor cerebral, paralisia, doença mental, dentre outros, essa Ação Social tem um significado ainda maior, “é muito mais do que a realização de um sonho”!

É importante destacar a importância do trabalho realizado pelo MM Juiz de Direito Dr Erick Linhares que em meio a uma pandemia se dispôs a prestar um gesto de cidadania de forma tão sublime.Com muitas lágrimas os casais se dirigiram até a Escola Adventista de Boa Vista onde realizariam uma audiência virtual pelo sistema de videoconferência do Tribunal de Justiça de Roraima.

Assim, Dr. Erick Linhares, Juiz de Direito Titular da Vara da Justiça Itinerante, Darwin de Pinho Lima, um excelente servidor do TJRR e demais membros da equipe, se colocaram a postos para a realização daquilo que seria um marco na vida de cada uma das pessoas ali presente.

Participando desse momento histórico, estava Dr Valdir de Oliveira, promotor de Justiça que representava o Ministério Público de Roraima nesse ato de amor e cidadania. Como procuradora judicial de todas as partes estava representando a Igreja Adventista de forma presencial, Dra.Dolane Patrícia que coordena o projeto juntamente com o pastor Edivan Oliveira, que tem desempenhado um papel extraordinário no evangelismo 2020.

Serão beneficiadas 100 famílias, num total de aproximadamente 200 batismos, em uma ação que conta com uma grande união dos pastores distritais, em um gesto de solidariedade mútua, onde todos se dispuseram a ajudar e a contribuir para a regularização dessas famílias.

Foi então montada toda a logística da Escola Adventista para que a audiência com os casais fosse organizada na quadra da escola, dentro dos padrões da saúde, com cuidados de distanciamentos, uso de álcool em gel e máscara. Também participou da audiência de forma online e auxiliou os trabalhos, a ilustre advogada Dra. Marina Oliveira.

Na parte da estrutura da informática estava o pastor Eduardo Ribeiro e como tradutor o pastor Victor Efrain Rivera. Pela Vara da Justiça Itinerante, atuou como interprete o ex-juiz venezuelano, Dr. Osvaldo Péres.Com a pandemia, os casamentos não podiam ser realizados na igreja e nem mesmo no cartório, apenas online. Mesmo assim o tabelião do 1º Oficio Dr. Joziel Loureiro participou dando seu apoio no decorrer do projeto.

Um dia que ficará na memória de todos principalmente pela alegria das partes na audiência, muitas vezes traduzida pelo choro.A lição deixada por esta Ação em meio à pandemia causada pelo novo corona-vírus, é de que ninguém segura mais a mão de ninguém. Mas, de longe, muita gente ainda se ajuda!!!E é por isso, que a família, de todas as instituições existentes, ainda é a mais fascinante!

*Advogada, juízaarbitral, apresentadora de TV, escritora, colunista,  MestreemDesenvolvimentodaAmazônia, pós-graduada em Processo Civil e Direito de Família.Personalidade Brasileira e Personalidade da Amazônia. Acesse dolanepatricia.com.br. whats9111-3740. Baixe o aplicativo Dolane Patrícia.

A retomada das atividades do turismo de natureza

Joaquim Magno de Souza*

Como será o tão falado “Novo Mundo” para o turismo?Há muitas incertezas, o horizonte está sob uma cortina “enfumaçada”, a proa está desnorteada, o mapa parece um rabisco, os caminhos percorridos até agora nos dão insegurança para a trajetória adiante, deixando os atores perplexos, diante do seu público, sem saber qual o próximo ato deste espetáculo confuso.E que espetáculo é esse? Atores e público assistindo a um show que não teve “avant première”. Todos fomos pegos de surpresa. Quando nos demos conta, as cortinas já estavam abertas e as luzes, ao invés de se acenderam, foram se tornando opacas e obtusas.

Estamos vivendo a “Era das Lives”.Todos os dias, em todos os horários, em todos os segmentos, há uma variedade de temas que nos dá a clara visão de que realmente O Turismo é uma cadeia produtiva fenomenal. E nestes tempos de COVID-19, nos deparamos com a certeza que somos realmente uma importante ferramenta de desenvolvimento da sociedade: econômica, cultural, social, ambiental, entre outras. Quando o turismo deixa de girar, a engrenagem fica defeituosa.Uma coisa é certa: estamos diante do maior desafio de toda a História, não apenas no turismo, mas para a humanidade.Haverá mesmo uma nova “normalidade”? Os conceitos serão revistos e aplicados?Os inúmeros protocolos terão prazo de validade?Os paradigmas serão quebrados e novos emergirão?

Há muitas teorias, muitas previsões, muitos estudos, estatísticas mil que geram perspectivas e dúvidas, novos formatos e metodologias sendo apresentados como a solução mágica que trará a felicidade geral da nação.Porém, só o tempo nos dirá que resultados essa pandemia deixará como legado.Infelizmente, somente os que sobreviverem serão testemunhas. E quando cito “sobreviventes”, me refiro literalmente ao CPF ou CNPJ.

É certo que o turismo terá sua retomada em menor ritmo do que as demais atividades. Haverá uma lentidão indesejada no cenário das viagens internacionais, por razões diversas: restrições fronteiriças, custos altos, o trauma sanitário e uma gama de problemáticas que deverão ser administradas por cada país. O turismo internacional acena timidamente para 2021.

O cenário da retomada nacional, seja em que país for, dá sinais claros que ocorrerá nos entornos, ou seja, nas proximidades. Para o turismo de natureza é uma ótima oportunidade de se repensar, reestruturar, valorizar os atrativos regionais, reaproximar os atores locais, estimulando os pequenos negócios, receptivos, guias, movimentando essa economia.Certamente alguns destinos mais específicos, que tenham relevância forte, mesmo que distantes, continuarão no imaginário dos viajantes, e estes não perderão suas demandas, embora reduzidas. Nesse contexto, há que reinventar-se com a nova realidade e fazer frente ao novo cenário.

É fundamental que os empresários do setor do turismo de natureza concebam modelos e práticas adequados com os novos tempos, pois os viajantes também passarão por um processo de melhorias em seu perfil de consumidores.Há que se buscar muito mais do que “vender pacotes de viagens”, mas sintonizar com a nova ordem do segmento, ou seja, oferecer e entregar “experiências de natureza que sejam transformadoras de vidas”, e, neste contexto, a SUSTENTABILIDADE deverá ser PLENA em toda a sua essência e práticas, e não apenas nos bonitos textos que se lê nos escopos dos produtos.Sustentabilidade ambiental, social, econômica, cultural, comunitária e em todas as realidades que envolvam as atividades do turismo de natureza - esta é uma das novas ordens do turismo pós-pandemia.

Será uma premissa dos atores do turismo regional a prática da inteligência e compreensão de que passou a época de cada um por si, de cada um resolvendo o seu lado, de se manter na informalidade ou desagregado do trade, concorrendo um com os outros como se as atividades pudessem ser monopolizadas. O momento é de cair na real. Ao invés de embates, deveremos ser parceiros, pensar juntos, promover a cooperação, cada um com o seu jeito de fazer as coisas, mas sempre priorizando o DESTINO como objetivo central. Pois quando o destino é forte, todos os envolvidos no setor são beneficiados.

E falando particularmente para o meu estado de Roraima e para os colegas do turismo, é importante termos atitudes de união e sermos promotores das boas práticas do turismo, com ética, profissionalismo, dentro da Legislação, e sempre manter a ética e o respeito entre todos que vivem destas atividades.

A concorrência mais expressiva não é entre nós, mas com o mundo lá fora, ou seja, temos um desafio enorme de colocar nosso estado como desejo dos viajantes.

Se Roraima é um destino desejado, todos seremos beneficiados. Trabalhar juntos com esse propósito deve ser A META de todos os profissionais do turismo.

Esse foco deve ser não apenas para Roraima, mas para cada região do Brasil que deseja ver sua estrela brilhar no mapa do turismo nacional, e, também, internacional.

É preciso compreender e assimilar as lições que o momento nos ensina.O mundo não acabará desta vez. A história da humanidade continuará sendo escrita.O Brasil é a bola da vez no turismo de natureza no mundo. Se soubermos aproveitar o momento, viveremos um período de muita prosperidade. Basta acreditar e fazer o dever de casa.

Vamos juntos, escrever nossa história de forma bonita, profissional, valiosa, mostrando ao mundo que somos um povo diferente, em especial aos companheiros da Amazônia brasileira.

*Roraima Adventures Turismo

www.roraimaadventures.com.br

magno@roraima-brasil.com.br

@roraimaadventures

@magnosouzarr

O beija-flor

Afonso Rodrigues de Oliveira*

“Beija-flor tornaste-te meu amigo

Teu canto é um hino aos amores

Dar-te boas vindas não consigo

Mas te darei um ramalhete de flores.”

(Leide Moreira)

Um dia bem poético, com um friozinho maroto e gostoso. Decidi tomar um banho de sol enquanto o Sol permanecia por ali. E olha o que vi. Um beija-flor dançando no ar enquanto beijava as flores ali na Praça. Ele não estava nem aí para o movimento de carros e pedestres. Tudo que ele queria, fazia. Era beijar as flores e tirar delas o que ele queria, e só. Senti-me feliz na contemplação. O que me garantiu que eu iria ter um dia feliz. O maior presente que eu poderia receber pela manhã me foi dado por um beija-flor.

Se você acha que estou querendo dar uma de filósofo ou poeta, corta essa. A felicidade não chegou. Ela estava dentro de mim, porque eu estava preparado para seu desempenho. Porque é isso aí. A felicidade está dentro de você. É só você se conscientizar e estar preparado sempre que ela brotar. E ela faz isso sempre nas coisas e momentos inesperados. Não tente ficar ensaiando um encontro com a felicidade. Ela está na vida citada pelo Charles Chaplin. Está sempre como parte da “vida que é uma peça de teatro que não permite ensaio.” O importante é que você se sinta e saiba um ator, ou atriz, com a responsabilidade de viver a vida intensamente. E viver intensamente não é sair por aí fazendo espalhafatos, mas vivendo cada momento, com alegria.

Ame sempre. É no amor que construímos o melhor na vida. Mas precisamos amadurecer para não confundir amor com sentimento de prazer. Porque o amor faz parte da vida. Sem ele só seríamos nada, e ninguém. Então vamos amar. Comece seu ensaio prestando mais atenção às coisas que lhe parecem insignificante. Como por exemplo, um beija-flor beijando uma flor. Se você nunca prestou atenção a isso, preste. A florzinha silvestre que nasce na rachadura do cimento de sua calça, e que você muitas vezes a pisa, esmagando-a, pode lhe proporcionar um momento de felicidade. E o que está lhe parecendo vulgaridade pode ser uma demonstração de despreparo espiritual

Não desperdice seus dias com coisas e momentos fúteis, não dando atenção ao que está lhe parecendo fútil. Busque você mesmo, ou mesma, tudo que você deseja para ser feliz. “O reino de Deus está dentro de você.” O que indica que você tem todo o poder de que necessita para ser feliz. Não torça o nariz. Apenas reflita um pouco sobre a simplicidade que está ao seu redor, e sinta-se como um ser de origem racional a caminho da racionalidade. E esta está na simplicidade da vida que nós tentamos complicar. Então vamos simplificar. Pense nisso.

*Articulista

Email: afonso_rr@hotmail.com

95-99121-1460  

Opinião
fale@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Opiniao
+ Ler mais artigos de Opiniao