Por Opinião
Em 08/06/2019

AS ESQUISITICES DO AMOR E OUTRAS TRAGÉDIAS Nº 05 - Hudson Romério

“Ela falou: ‘você tem medo’
Aí eu disse: ‘quem tem medo é você’
Falamos o que não devia
Nunca ser dito por ninguém
Ela me disse ‘eu não sei
Mais o que sinto por você
Vamos dar um tempo
Um dia a gente se vê’”

...um dia ela disse que estava tudo terminado, foi o fim... minha expulsão do Paraíso! Meu expurgo e queda...

Os amores só são lembrados quando nos machucam! Somos tantos e tão sós ao mesmo tempo – como podemos amar se nem mesmo nos encontramos nessa multidão?

Existe uma coisa derivada e aleatória que criamos chamada amor... resultado de um mero acaso sentimental – que num dia qualquer centenas de anos atrás, dois símios (ou quase símios de tão humanos que eram ou ainda seriam símios se metamorfoseando nisso que chamamos de gente!), que por um acaso sem precedente (macho e fêmea), sem a indigna presença de um deus, tiveram a ousadia de se gostarem, se amarem, se apaixonarem ou sei lá o que era aquilo... aquela força que os fez voltar todas as tardes no mesmo lugar e, olharem o mesmo pôr-do-sol! 

Quando por encanto se deram conta, que não era aquele crepúsculo, aquele céu, o brilho das primeiras estrelas, a lua opaca e tímida que os fez voltarem ali – como tantos outros amantes nesses breves instantes, iriam sorrir com caras de bobos para aquelas mesmas estrelas, para aquele mesmo luar de sempre! Só que o segredo era eles mesmos! Suas presenças! Aquelas criaturas mal desenhadas anatomicamente, desengonçadas, fora de qualquer contexto biológico, mudaram o rumo da história com o que veio depois daqueles simplórios risos! A odisseia humana virou de cabeça para baixa com esse absurdo! Esse ato ilógico e profano... então, se beijaram e conceberam o amor! 

(Aí um dia um anjo disse – se inventaram isso, podem até criar um criado!)

Por alguma razão (que nunca saberemos!), eles deram as mãos... já faz muito tempo... os olhos brilharam... aquela singela expressão nos seus rostos queria dizer alguma coisa... não se fazia esforço nenhum para que suas faces se transmutassem... conseguiram sorrir!...O riso é felicidade... é amor... foi a simbiose que faltava para aquela medíocre espécie dominar o mundo. 

(Nunca mais voltamos naquele lugar para ver o pôr-do-sol)

O refrão da música é a mesma – o que esquecemos foi a melodia... a harmonia de sorrir. 

*Escritor e Cronista
Tel: +55 (95) 99138.1484
hudsonromerio@gmail.com
*Ainda é cedo/Renato Russo


“Dinheiro tem! O que não temos é gestão”: caso da Educação. - Selma Mulinari

Inicio mais uma vez essa nossa conversa com um dos jargões mais falados na campanha eleitoral que resultou na eleição do atual governador: “dinheiro tem! O que não temos é gestão!” Para tentarmos entender o que houve nesse início de governo, onde o que mais ouvimos é justamente o contrário, que não há recursos para pagamentos dos fornecedores e nem das empresas prestadoras de serviços. Essa confusão atingiu a Secretaria de Educação que não conseguiu iniciar o ano letivo prejudicando assim inúmeros alunos. 

Seis meses após o governador eleito assumir o seu posto no comando do Estado de Roraima e junto com ele uma equipe de governo, na qual está inclusa a atual secretária de Educação e Desporto, a casa começa a ruir com a fiscalização, por parte da Comissão de Educação e Desporto da casa, dos atos realizados naquela pasta. A cobrança se dá no tocante aos motivos que levaram a SEED a adiar o início do ano letivo e também no tocante a reposição das atividades perdidas. 

O resultado do trabalho da Comissão se traduz em um relatório que foi enviado à mesa diretora da Assembleia Legislativa do Estado. Nesse relatório a comissão pede que a atual secretária de educação seja responsabilizada por falta de providências que resultaram no atraso no início do ano letivo de 2019 nas escolas da rede pública do estado.

Por sua vez, a Mesa diretora da Assembleia Legislativa de Roraima encaminhou o relatório da comissão para Ministério Público Estadual, Ministério Público de Contas e Ministério Publico Federal para que tomassem ciência do relatório e procedessem as medidas necessárias para responsabilizar a titular da pasta da SEED pelo atraso no início do ano letivo de 2019.

Contextualizando o problema, o adiamento do calendário escolar de 2019 foi realizado tendo como justificativa a falta de infraestrutura das escolas, falta de transporte escolar, falta de merenda escolar, falta de material de consumo, falta de pessoal para limpeza e falta de professores, entre outras coisas. Acontece que o caos continua instalado e as notícias de que pouca coisa mudou estão aí todos os dias sendo divulgadas por alunos, pais e professores. Enfim, todos os envolvidos e atingidos por essa questão.

O prejuízo do atraso do início das aulas atinge a todos e de forma direta o planejamento familiar. Atinge os alunos, que vão ter problemas no fechamento do ano letivo, atinge principalmente quem precisa do diploma de ensino Médio para entrar em uma faculdade. Pior fica a situação da reposição dos dias letivos, que normalmente são aos sábados e feriados, que são cansativas, improdutivas, causam problemas na rotina da família, e sabemos que essa dinâmica nem sempre resulta em aproveitamento. Essa questão da reposição é de suma importância, pois define o aproveitamento didático pedagógico dos alunos.

Quanto às questões estruturais das escolas, todos os dias nós recebemos as notícias e reclamações das escolas, falando da estrutura que continua a mesma. Prédios, quadras, ginásios com problemas de manutenção. No interior temos escolas que ainda não iniciaram o ano letivo e nem tem previsão para iniciar. Temos escolas indígenas que ainda estão sem professores. Para essas escolas o calendário escolar vai transpor o ano civil, terminando somente em 2020, consequentemente já trazendo problemas para a conformação do próximo calendário e para o ano letivo de 2020.

Diante dessa questão onde não visualizamos mudanças, já que continuamos com problemas estruturais em algumas escolas, em algumas unidades temos problemas elétricos, em outras faltam carteiras, em outras não temos material de consumo e nem material didático. Falta pessoal de limpeza e produtos de limpeza, ainda temos problemas com o fornecimento de merenda escolar e principalmente ainda temos muitos problemas com o transporte escolar. Então, concluímos que se for para trabalhamos no campo da promessa, do descaso, da falta de compromisso, então não deviam ter adiado o início do ano letivo, afinal o que justificou o adiamento foi o argumento que seriam realizadas melhorias nas unidades de ensino. 

Mas, enquanto não acontece volto aqui a lembrá-los que o planejamento do ano letivo deveria ter iniciado no ano anterior, pois a atual gestora da pasta da SEED foi nomeada ainda em dezembro de 2018 juntamente com a equipe interventora. Então o que deu tão errado para ainda estarmos, após seis meses de governo na estaca zero, com escolas que ainda não iniciaram as aulas.

O que passou despercebido para os técnicos da SEED que causou esse imbróglio todo prejudicando alunos e professores, pois com um calendário desse todos vão ser prejudicados e penalizados. Enquanto isso, a comunidade escolar ainda continua esperando a melhoria da rede e o choque de gestão anunciados pelo novo governo. Assim como a aplicação dos recursos que foram anunciados que tinha, afinal o problema era má gestão e não a falta de recurso! Tic Tac!...Tic Tac!...

*Mestra em História Social; Conselheira do CEERR
Mulinari.selma@globo.com


Seja sempre maior - Afonso Rodrigues de Oliveira

“Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes.” (Aristóteles Onassis)

Quando somos felizes não tememos a infelicidade. E quando não a tememos não temos porque nos aborrecermos com ela. Cada um na sua. Esteja sempre alegre. Sorria sempre. Até mesmo de você mesmo. Quando rimos de nós mesmos não nos aborrecemos com os erros que cometemos. É aí que aprendemos a aprender com os erros. A vida, já sabemos, é um pandeiro sem fundo. Portanto, devemos aprender a batucar. E é simples mesmo sendo difícil. Se você estivesse vendo e observando a imensidão do mar, nas ondas barulhentas, como eu estou vendo, estaria sorrindo. Nada pode incentivar mais a felicidade do que a beleza da Natureza quando observada com amor. 

São os momentos de beleza natural que nos levam à felicidade. O maior problema é que nem sempre somos capazes para viver os momentos, mas desperdiçá-los por falta de atenção. Sempre que olhar, veja se vê. Muitas vezes ficamos olhando e não conseguimos ver o que está bem ao nosso lado, esperando que sejamos espertos, para que nos tornemos expertos. E não alcançaremos este pódio se não nos tornarmos felizes, independentemente dos aborrecimentos e trancos que encontremos vida afora. Corta essa de ficar de cara amarrada. O mundo é o universo e está à sua disposição. Tudo de que você necessita para ser feliz está em você. Por que sair por aí procurando o que você já tem? Corta essa. 

Ame sua vida. Só você tem o poder de fazê-la digna de ser vivida. É só você se tornar digno dela. Cada momento de sua vida deve ser vivido como uma dádiva. E se lhe foi dada, viva-a intensamente. Mas cuidado com as veredas aparentemente fáceis. Elas podem estar levando você para caminhos errados. E só você tem o poder de decisão sobre o que lhe interessa e lhe serve. Pare de ficar olhando para o bico do seu sapato. Levante a cabeça e olhe a beleza do horizonte. E isso pode ser na beleza simples do pôr do Sol no Parque Anauá. E não basta contemplar, tem que sentir.

Acabei de ouvir um barulhinho de vozes de crianças. Estiquei o pescoço e vi crianças brincando nos balanços ali, na Praça. Sorri, porque choveu muito e os espaços sob os balanços estão cheios de água. Mas as crianças não estão nem aí para a chuva nem para a água. Elas, as crianças, estão nos dando o exemplo de como podemos ser felizes, independentemente dos obstáculos que podem nos fazer infelizes. Por que não aprendermos com as crianças, em vez de criticá-las ou repreendê-las por atos que nos parecem vazios? Pense nisso.

*Articulista
afonso_rr@hotmail.com
99121-1460

Opinião
fale@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Opiniao
+ Ler mais artigos de Opiniao