Por Opinião
Em 13/09/2019

Perebas - Rodrigo Alves de Carvalho*

Praticamente todo mundo já teve aftas nos lábios, o que costumamos chamar de perebas.

Dizem que as perebas, quando aparecem, estão relacionadas com algum problema no sistema imunológico como gripes, febre ou falta de alguma vitamina no organismo. Mas para mim, a pereba não tem nada a ver com sistemas imunológicos e sim com expectativa.

Sempre quando se aproxima algum evento ou acontecimento especial no qual poderei curtir com amigos e que promete grandes emoções, surgem as malditas perebas na boca.

Combinamos de ir para a praia no final de semana, curtir o sol, conhecer pessoas e quem sabe umas paqueras e lá pela quarta-feira estouram as perebas nos lábios para acabar com todas as expectativas de um sorriso conquistador nos quiosques junto às garotas do litoral. Outro exemplo é quando já estamos preparados para uma balada num clube noturno onde curtiremos muito som do momento e poderemos colocar em prática todas as artimanhas de um conquistador para com as meninas da nigth e as perebas chegam avassaladoras e estouram por toda a boca. Se ainda arriscamos ir à balada, é preciso deixar a barba e o bigode por fazer para tentar esconder um pouco. E as artimanhas de conquistador se transformam em artimanhas de perebento, para disfarçar e esconder as feridas dos lábios.

Agora, o pior de tudo é quando a gente consegue, depois de inúmeras tentativas, marcar um encontro com a garota de nossos sonhos, uma árdua conquista após muitas curtidas e corações no Facebook com conversas engraçadinhas no WhatsApp. Marca-se o encontro no sábado à noite num barzinho badalado da cidade com direito a música ao vivo. Cria-se toda expectativa de uma noite maravilhosa, quem sabe alguns chopes, umas porções, conversas legais, risadas, um momento de trocas de olhares e finalmente um belo e demorado primeiro beijo de amor.

Mas no meio de semana você acorda com os lábios coçando, sensíveis e já à noite percebe aquele vermelhão característico das perebas que estão arrebentando.

Seu mundo vai ao chão. Não adianta pomada, Merthiolate, ácido sulfúrico... nada vai fazer as perebas irem embora e você é obrigado a encarar seu primeiro encontro como quem foi picado por abelhas africanas. O copo do chope fica manchado pelas secreções das perebas, o sal das porções faz a pereba arder, as trocas de olhares se transformam na garota encarando sua pereba...

E se com tudo isso você conseguir que a menina te dê um primeiro beijo de amor, pelo amor de Deus... case-se com ela

*Nascido em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Em 2018 lançou seu primeiro livro individual intitulado "Contos Colhidos" pela editora Clube de Autores.


ONDE ESTÁ O PRAZER DA VIDA? - Wender de Souza Ciricio*

O que lhe dá prazer? O que faz você continuar a viver? O que lhe dá disposição e ânimo para respirar? Existem razões fortes em sua vida para continuar seguindo essa estrada humana sem que queira um dia desistir? O mundo às vezes parece tão pesado, tão avassalador, tão oneroso e mesmo assim uma grande multidão prossegue, corre atrás, experimenta situações que estão fora de seu controle, de sua esfera e sua alçada, levam vários golpes da vida, mas vivem, e vivem de cabeça erguida, peito estufado, vivem de forma arrojada, corajosa e destemida. 

Visitando uma enorme favela no interior de São Paulo, conheci uma senhora que, na época, tinha próximo de 60 anos de idade. Poucas pessoas dão tantas risadas como ela. Andava com um saco procurando latinhas de cerveja para vender e assim sobreviver. Seu barraco não tinha rede sanitária, pegava água no vizinho e usava buracos para fazer suas necessidades fisiológicas. Aquela mulher tinha uma vida que lhe dava “todo direito” de ser infeliz, deprimida e amargurada. Vi o contrário disso. Cinco minutos próximo dela foram suficientes para ver como se pode ser feliz e ter prazer em viver. Algo que ela me falou deixou isso bem claro: “Não preciso de coisas para ser feliz. Fisicamente dói, mas o meu sorriso não está em meu corpo e sim em minha alma”. 

O que faz você ter prazer em viver? Essa pergunta tem que ser respondida por sua alma, por seu coração, pois, como diz o salmista, lá na Bíblia, é daí que procede a fonte da vida. Por mais que tentem socar coisas de fora para dentro de nós, a resposta final tem que vir de dentro para fora. O prazer é uma questão pessoal, é uma escolha subjetiva, é uma decisão. O prazer em viver pode ser estimulado por alguém exterior a você, mas jamais determinado por outro. Do lado de fora são ofertadas coisas que estão acima de nós e fazer delas nossa alegria de vida pode frustrar e machucar, é muito temerário. Já vi uma garota falar em tirar a vida porque seus pais queriam que ela fosse aprovada em medicina e ela não foi. Essa moça assumiu a responsabilidade de construir um prazer imposto pelos pais, e não por ela. Veio determinado por alguém que não era a alma dela. Uma decepção amorosa, por exemplo, não pode ter força mais que o prazer de viver, pois esse vento passa e a vida continua.

Pessoas que sentem prazer em viver passam por decepções também. Em algumas situações sofrem um grave acidente, caem diante de um bom emprego, trabalham feito loucos para pagar as contas, deixam de ser aprovados no concurso tão sonhado, veem sua família em crise, mas sabem que a vida que deve ser vivida está acima de tudo isso, afinal, onde está escrito que na vida não existirão problemas? O segredo é que usam os problemas como escola, como forma de crescer e com isso dar consistência às suas vidas.

Se você não tem certeza do valor da vida, do viver bem e do sentir prazer em viver, está perdendo e perdendo muito. Levante a cabeça, vença a murmuração, encontre uma causa, um significado, não se faça de coitado, não se jogue no chão, vá atrás moça, corra menino em direção de algo que não sejam meramente coisas, porque coisas se enferrujam e alguns seres que às vezes criamos uma exagerada dependência também se enferrujam. O discurso da calada da noite que sugere tristeza e te faz balançar a cama é mentiroso. Levante a cabeça e prossiga, o chão é duro, a queda pode ser grande, mas o levantar é mais triunfante. Força.

*Psicopedagogo, teólogo e historiador
wenderciricio@gmail.com


Limpando a casa com pano sujo - Vera Sábio*

A política, entre suas mazelas, ainda nos consegue surpreender. Penso assim quando acho que podemos arrumar a casa atual e percebo que estão tentando limpar a casa com pano sujo, ou seja, mudaram alguns rostos, mas a maquiagem é a mesma.

Tivemos, como pessoas com deficientes físicas e sensoriais, o chamado no momento de privilégio de ter uma pessoa com deficiência física fazendo parte do poder legislativo municipal. Um milagre grande aconteceu, essa pessoa se tornou totalmente política e além de não andar, não enxergava, não ouvia e não pensava nada a respeito das pessoas com deficiência deste município ou deste estado. O que parecia um privilégio, se tornou mais um descaso tão presente em tantos políticos a respeito da nossa classe de pessoas.

Enfim, atualmente temos muito mais do que uma vereadora, temos a esposa do governador que sente na dor de mãe a dependência do seu filho comprometido pela deficiência. A esperança, desta vez, consideramos muito maior.

No entanto, mais de meio ano está decorrendo e quais foram os avanços nas políticas públicas para pessoas com deficiência?

Alguém pode fazer eu verificar isso com meus outros sentidos, já que não consigo ver...

O que percebo é o comprometimento das associações e do Conselho Estadual de Direito da pessoa com deficiência, lutando e lutando e com certeza modificando sua realidade com os próprios esforços.

No entanto, temos fé, contanto que não apareça salvadores da pátria que já estiveram no poder e enquanto podiam nada fizeram... Governo novo, pouco tempo, vamos confiar.

Minha mãe, quando me ensinava a limpar a casa, sempre dizia: “lave o pano, pois pano sujo só lanbuza e suja mais ainda...”


*Membro do Conselho Estadual do Direito das Pessoas com Deficiência, escritora, mãe e cega sempre lutadora pela Associação dos Deficientes Visuais de Roraima.


Força e inteligência - Afonso Rodrigues de Oliveira*

“Dos dois poderes que governam o mundo, a força e a inteligência, é a força que sai sempre vencida.” (Napoleão Bonaparte) 

Napoleão também falou isso ainda no início do século XIX. E não sabemos por que ainda há tantos governantes que insistem em manter a força para governar. O que nos leva a crer que está faltando inteligência, já que a força sempre é derrotada politicamente. Mas vamos nos cuidar, cuidando de nossa inteligência. O crime na política sempre foi uma ativa. E continua entre nós. O que temos de crimes por aí, que não são revelados por estarem no colchão da política, não está no gibi. 

Ainda no início da década dos oitentas, um dos meus irmãos era candidato à Câmara Municipal de um dos Municípios paulistas. Certa noite, quando saiu de uma reunião de campanha, ao chegar a casa, numa rua tranquila e sem movimento, de repente apareceu um carro e o atropelou. Ele morreu na hora. Minha família, em São Paulo, resolveu não ir muito além nas apurações. Acidentes que acontecem com frequência, e que não vão além disso. Então vamos mudar de assunto e procurar ver onde está o erro. O que é humanamente difícil de explicar. Então deixemos pra lá, e vamos fazer nossa parte, procurando melhorar o ambiente. 

Relaxe, mas pensando no futuro. Façamos nossa parte no que deve ser feito, como deve ser feito. Vamos iniciar isso no nosso trabalho do dia, hoje. Há tantas coisas simples à nossa volta e que nem lhes damos a devida atenção. E elas fazem parte da nossa felicidade. E por que temos que ficar perdendo tempo com coisas ruins, mesmo sabendo que elas fazem parte do nosso futuro? O importante é que saibamos separar o joio do trigo. Você tem todo o poder de que necessita para ser feliz. É só não se preocupar com o que pode lhe fazer infeliz. “Ninguém, além de você mesmo, tem o poder de fazer você se sentir feliz ou infeliz, se você não estiver a fim.” E fim de papo. Então não perca seu tempo com coisas más. Só você tem o poder de se fazer feliz ou infeliz. 

O dia, hoje, aqui na Ilha está um encanto. Até o barulho ensurdecedor dos carros lá fora não me aborrecem. Acho até que se um dia eu estiver longe da Ilha, vou sentir falta desse barulho. Parece brincadeira, mas é assunto sério. A beleza está na sua maneira de vê-la. Cada um de nós vê a beleza de uma maneira diferente. Tudo depende do estado de espírito de cada um. E você é dono do seu espírito. Aperte a mão de um amigo. Sorria sempre, cante e procure dançar sempre. Coisas simples que fazem parte da felicidade. Ruim é confundi-las com vulgaridade. Porque neste caso, você pode estar sendo vulgar. Pense nisso. 

*Articulista
afonso_rr@hotmail.com
99121-1460

Opinião
fale@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Opiniao
+ Ler mais artigos de Opiniao