Por Opinião
Em 19/02/2020

Debate qualificado sobre uso de álcool

Guilherme Messas*

No Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo (18/2), é importante uma reflexão não apenas sobre o alcoolismo, mas sobre o impacto do uso desregulado de bebidas alcoólicas no país.

O uso nocivo de álcool é um dos problemas mais dramáticos de saúde pública no país atualmente, impingindo danos, sobretudo, à população mais jovem. Também na esfera econômica são amplas as evidências que mostram que a indústria do álcool traz deficits para o país, produzindo receitas que não são capazes de cobrir o prejuízo social que provocam.

Nesse contexto, é essencial divulgar informações atualizadas em termos de saúde pública para proteger a população e estimular uma tomada de decisões sobre o tema a partir de dados científicos.

Um equívoco comum é indicar como segura a ingestão de uma dosagem diária de álcool. No entanto, desde 2018, já se sabe que o uso de álcool não apresenta doses seguras. É fundamental que a população tenha acesso a essa informação, que vem levando alguns governos a rever a sua política sobre o significado do chamado consumo seguro.

Também é comum ouvir que a tributação seletiva para álcool não seria efetiva, pois atingiria primordialmente os consumidores moderados. Essa ideia contrasta frontalmente com o sucesso da mais ambiciosa política de tributação de álcool atual, a da Escócia.

Avaliações científicas dessa política vêm comprovando que um regime de tributação adequado leva à redução do consumo exatamente daqueles que bebem de modo abusivo e colocam em risco a população.

Reiteramos, portanto, devido à gravidade e importância do tema, que as discussões que envolvam o tema do alcoolismo sejam baseadas em dados científicos confiáveis. Dessa maneira, será possível ampliar o debate qualificado para a construção de uma política regulatória do uso de álcool para o Brasil.

*Coordenador do Comitê para Regulação do Álcool (CRA), é médico psiquiatra e professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.


O LUCRO CERTO A OPORTUNIDADE!
Dolane Patrícia*

Um dia eu tive um sonho, mas existem sonhos que exigem certa coragem. Então foi necessário tempo para amadurecimento da ideia até que a mesma passasse a ser uma realidade.

Assim sendo, houve o seguinte questionamento: Existem tantas pessoas boas fora do mercado de trabalho e que só precisam de uma oportunidade E se eu fosse essa oportunidade, onde seria um instrumento que possibilitaria mudar a vida de alguém, emocional e financeiramente?

Emocional, porque existem tantas pessoas boas com doenças emocionais como depressão e ansiedade. Entretanto, certa vez, fiz uma entrevista onde o renomado psiquiatra Dr. Lessa definiu depressão como sendo: “Ausência de esperança”. Então pensei, se eu pudesse então levar esperança para alguém, ajudaria a melhorar seu quadro depressivo.

Passei então a ajudar no que diz respeito à aproximação de Deus, de Jesus, que é a base, o começo e o fim de tudo. Mas vi que muitos não tinham profissão e nem perspectiva de uma vida digna e precisavam também de uma oportunidade de começar tudo de novo, profissionalmente, financeiramente...

Foi quando parei para ler sobre sonhos, sobre coragem e sobre desafios. Então destaquei aqui algumas dessas leituras que me incentivaram a criar uma rede de vendas que pode mudar a história de vida de uma pessoa: “O LUCRO CERTO.”

Vários profissionais escreveram sobre sonho e sobre desafio. O escritor Paulo Coelho escreveu que o mundo está na mão daqueles que têm a coragem de sonhar e de correr o risco de viver seus sonhos. Então eu sou essa pessoa. 

Vários foram os livros e artigos lidos sobre o tema. E certo dia me deparei com a questão de ser impossível introduzir uma marca que mudasse a vida das pessoas. Foi quando li o que Jean Cocteau escreveu: Por não saber que era impossível, ele foi lá e fez.

Não bastasse isso, ainda descobri citações até mesmo do Walt Disney, onde ela dizia: ‘Eu gosto do impossível porque lá a concorrência é menor. Foi então que pensei: Esse pode ser o momento!’

E até Bill Gates chegou a afirmar: ‘Se você quer chegar aonde a maioria não chega, faça o que a maioria não faz.’ Pensei então que estava na hora de fazer o que a maioria não faz e criar a minha marca.

Trata-se de uma rede de vendas onde a pessoa faz seu próprio horário e tem seu próprio negócio sem ter vínculo empregatício e com treinamento grátis de técnicas de venda e informações sobre o produto. Sem necessidade de provar escolaridade, ou qualquer outro tipo de exigência. Pensei que mesmo os venezuelanos pudessem ser ajudados. 

Mas isso requer muita coragem, mas como escreveu Roberto Rabelo: ‘Transformar ideias em projetos e estes em ações é para pessoas empreendedoras. Se não o fizer, alguém o fará e você passará a ser um mero expectador do sucesso.’ Foi quando meu sonho passou a ser um projeto baseado também no que escreveu Peter Drucker: ‘Para ter um negócio de sucesso, alguém, algum dia, teve que tomar uma atitude de coragem.’ 

Ademais procurei conhecer mais sobre rede e meditei nas palavras de Bo Burg: “Os networkers de sucesso que eu conheço, aqueles que recebem toneladas de referências e se sentem verdadeiramente felizes consigo mesmos, continuamente colocam as necessidades de outras pessoas à frente das suas.” E vi que essa frase fazia parte do meu sonho: Uma rede de vendas!

Nesse sentido, quis criar uma oportunidade de emprego com igualdade de condições. Onde a pessoa é julgada por idade, histórico, raça, educação ou condição financeira. E à medida que você ajuda a elevar os outros para níveis mais altos, Deus recompensa você. É quando Ele nos inspira a deixar que os desafios enfrentados o torne mais forte.

E como disse até mesmo Ayrton Senna: ‘Na adversidade, uns desistem, enquanto outros batem recordes. Afinal, “você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas, se você não fizer nada, não existirão resultados.” (Mahatma Gandhi).

Até porque, nesse contexto, alegou Joseph Campbell: A caverna que você tem medo de entrar, pode guardar o tesouro que procura (sic). 

Foi quando finalmente resolvi criar a marca Lucro Certo e ajudar pessoas através de uma rede vendas, onde pudesse ajudar pessoas que perderam a vontade de sorrir, de viver, de lutar, que buscavam uma oportunidade de ser valorizadas, em busca da dignidade que foi junto com a perda de um emprego.

Está interessado? Baixe o aplicativo Dolane Patrícia, disponível para Android, ou para quem tem IOS, preencha o seu formulário pelo site dolanepatrícia.com.br, ou pelo whats 9911-3740.

Lembre-se: 

A vitória é sempre possível para a pessoa que se recusa a parar de lutar. (Napoleon Hill).


*Advogada, Juíza Arbitral, personalidade Brasileira e Personalidade da Amazônia, Pós-graduada em Direito de Família e Direito Processual Civil. Mestre em Desenvolvimento Regional da Amazônia. 


Na caminhada

Afonso Rodrigues de Oliveira*

“Não viva para que sua presença seja notada, mas para que sua falta seja sentida.” (Bob Marley) 

Talvez você esteja exagerando quando tenta marcar presença. Porque o importante mesmo é sua presença. É nela que você constrói a lembrança para o futuro. Que é quando nos lembramos e sentimos na ausência. Mas vá de mansinho. O importante é que você esteja sempre atento ao que faz. Quando estamos atentos, procuramos fazer sempre o melhor. É a construção da vida. Viva seu dia, hoje, com perseverança, amor, persistência e coragem. E tudo isso está em você. É só você saber usar. Paulinho da Viola, numa de suas músicas, nos diz: “Meu pai sempre me dizia: meu filho, tome cuidado; quando penso no futuro não esqueço meu passado.” Não esquecer o passado não significa ficar atrelado, preso, amarrado a ele. Aprendemos pensando no passado, lembrando-nos de tudo que foi importante, nele, para o nosso crescimento. Que é quando aprendemos a aprender, tanto com os acertos quanto com os erros.

Há tantas coisas simples no nosso dia a dia que nos enriquece no futuro, e que nem lhes damos atenção. Há coisas que nos parecem insignificantes, mas que podem até, um dia, no futuro, nos trazer pelo menos um minuto de boas lembranças. Aqui vai um exemplo muito simples. Antes de me sentar aqui para esse papo sonolento, assisti a uma cena. Apesar de corriqueira, ela me chamou a atenção para um comportamento animal. Eu estava na varanda, contemplando o vazio. E como de costume, lá estavam quatro quero-queros. Já comecei a sorrir, pensando por que será que eles só andam em dupla. De repente, lá vinha, pela ciclovia, um cachorro. Os pássaros se olharam e se afastaram da ciclovia, pelo menos uns quatro metros. Pararam e ficaram. O cachorro passou, olhou para os pássaros como se estive cumprimentando-os e seguiu. Os quero-queros voltaram para a grama e continuaram catando formiguinhas. 

Agora me lembrei se seria possível assistir a uma cena dessas aí em Boa Vista. E é a diferença que vai fazer com que eu me lembre da cena, no meu futuro, e comece a sorrir pra mim mesmo. Vá entrando de mansinho no seu futuro. Vá preparando momentos simples que possam fazer você se sentir feliz no futuro. E se você souber, me diga por que os quero-queros só andam em dupla.   

 Se você ainda estiver no início do dia, procure vivê-lo da melhor maneira que puder viver. E o mais importante é não ficar perdendo tempo com pensamentos e atitudes negativos ou desagradáveis. Seu futuro depende só de você. Os trancos fazem parte da caminhada. Eles nos fortalecem quando sabemos enfrentá-los. E é simples pra dedéu. Pense nisso.

*Articulista
afonso_rr@hotmail.com
99121-1460 

Opinião
fale@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Opiniao
+ Ler mais artigos de Opiniao