Por Opinião
Em 20/02/2020

Tenha uma vida longa e saudável!
Flamarion Portela *

 
Quem não sonha em ter uma vida longa e com saúde, chegar à velhice com vitalidade e qualidade de vida, podendo dedicar mais tempo à família e amigos?
Cada dia mais o cuidado com o corpo e com o estilo de vida são essenciais para se ter maior longevidade e garantir uma vida mais plena no futuro.

Recebi esses dias um vídeo que conta como os moradores do pequeno povoado de Ogimi, em Okinawa, no Japão, conseguem passar dos 100 anos de idade esbanjando saúde e disposição.

Os espanhóis Hector Garcia e Francesc Miralles foram até o povoado e registraram sua experiência no livro "Ikigai – Viva bem até aos cem", revelando os segredos que descobriram junto aos anciãos da aldeia.

O Ikigai, que é "motivo para se levantar todos os dias de manhã", certamente contribui para essa vida tão longeva, mas os japoneses nos dão outros dez ensinamentos, os quais reproduzo aqui para o amigo leitor.

1- Mantenha-se ativo! Enquanto a saúde permite os japoneses continuam trabalhando em atividades que lhe façam bem e lhe tragam conforto.

O fim da vida "oficial" laboral não deve nos impedir de "fazer coisas que tenham valor" e "se dedicar a um hobby", dando forma ao nosso pequeno mundo.

2 - A calma deve imperar. O estresse é uma das maiores causas do envelhecimento. A pressa, segundo os autores, é "inversamente proporcional à qualidade de vida".

3 - Não coma até ficar cheio. Além da alimentação saudável e do baixo consumo de sal, há outro fator que contribui para a boa saúde deles: o hábito de parar de comer quando estão 80% satisfeitos.

4 - Tenha bons amigos. Amigos verdadeiros são as melhores coisas que podemos ter na vida. São como remédios que nos ajudam a esquecer as preocupações e nos apoiam nos momentos mais conturbados das nossas vidas.

5 - Esteja próximo da natureza. "Fomos feitos para nos fundirmos com a natureza", garantem os autores. E precisamos estar em contato direto com ela regularmente, a fim de recarregar as "baterias".

6 - Sorria. Maemuki é uma expressão japonesa que significa olhar para frente, ser positivo em relação a tudo que acontece à nossa volta. Não há mal que dure para sempre, não há tristeza que não finde.

7- Faça exercícios físicos. Desde crianças, os japoneses são incentivados a praticar atividades físicas nas escolas e esse hábito se estende até a vida adulta e terceira idade.

8 - Seja grato pelo que tem. Além do costumeiro agradecimento antes e depois das refeições, os habitantes de Okinawa sabem a importância de "ser grato", por isso, costumam reservar um momento do dia para agradecer as bênçãos que recebem. 

9- Viva o momento. No Japão existe um provérbio que diz: "Ashita wa ashita. Kyo wa kyo". Ou seja, "Amanhã é amanhã. Hoje é hoje". Viver o momento presente com intensidade, nos permitindo experimentar coisas novas, sempre que possível, deve ser prioridade em nossas vidas.

10 - Siga o seu Ikigai. Ter uma razão para sair da cama todas as manhãs é indispensável para sermos felizes. Dar um sentido à nossa vida nos dá motivação para continuar vivendo com alegria e intensidade, mesmo após a aposentadoria. Mas, para isso acontecer é preciso olhar profundamente para dentro de si. Só assim você conseguirá encontrar o seu Ikigai, o seu propósito de vida.
 
*Ex-governador de Roraima


SAÚDE EM RORAIMA: PRA CURAR A CORRUPÇÃO, SÓ COM INTERVENÇÃO E CHOQUE DE GESTÃO 

Luis Cláudio de Jesus Silva*

A notícia da exoneração do secretário de saúde pelo governador Denarium, é apenas mais um capítulo da novela patrocinada pela endêmica corrupção que há muito tempo, como um câncer incurável e nunca terminal, corrói os recursos destinados a saúde, maltrata e mata os roraimenses e financia a constante dança das cadeiras com a nomeação de secretários que logo são defenestrados ou por já terem enchido os bolsos ou por desagradarem os vermes que devoram a dignidade daqueles que, infelizmente, precisam do sistema de saúde em Roraima. Não estou defendendo o ex-secretário, nunca nem o vi, pousou aqui de paraquedas, dizem que empurrado do avião de Bolsonaro. Antes já tinha trabalhando em Roraima e, me parece que não deixara boa impressão profissional, mas, mesmo assim, teve o nome referendado por Denarium. Essa constante troca de secretários deixa evidente que o empresário está completamente perdido como aprendiz de gestor público. Está nítida a incapacidade moral de governar com seriedade e competência, características essenciais dos bons gestores. Só isso explica o fato de, em 13 meses de mandato, 04 secretários e mais de uma dezena de adjuntos, terem perdido o cargo. O último, só durou 43 dias e, ao ser exonerado, além de deixar a secretaria acéfala, saiu insinuando que o motivo da sua queda teria sido a decisão de auditar os processos licitatórios e outras contratações, formalizados nos últimos anos, ai incluídos o período de seus antecessores recentes. Por outro lado, descaradamente, o governador tenta justificar sua atitude como rotina administrativa. Porém, e infelizmente, a única rotina nesse governo é a troca sistêmica de secretários de saúde e a falta de critérios sérios para escolha de titulares para a pasta. Sendo ou não verdade a justificativa do ex-secretário, o que importa é que a saúde no atual governo continua negligenciada e talvez a única saída seja a intervenção federal e um choque de gestão que inicie os trabalhos com uma dedetização, identificando, prendendo e exterminando as ratazanas e baratas que vivem devorando os recursos públicos destinados a saúde.

Antes da nomeação do recém-exonerado, cogitava-se a indicação de um elemento, segundo os bastidores da política e da imprensa, apadrinhado pelo presidente do legislativo. Se não houver uma intervenção federal, provavelmente o próximo secretário será o tal apadrinhado, o qual já foi preso sob acusação de desvio de recursos públicos em licitações na Funasa e afastado do cargo de secretário de saúde de Boa Vista pelo TCE. Um belo curriculum para cliente do sistema prisional. Ou seja, sem intervenção federal, vão nomear mais uma raposa para cuidar do galinheiro.

Estou me esforçando para acreditar que a CPI da Saúde, instalada na Assembleia Legislativa, irá apontar a origem dos problemas na SESAU. No entanto, me parece que nessa CPI onde os deputados são os investigadores, é como uma vacina de vírus vivo, já vencida, que além de não imunizar, contamina o paciente. Por outro lado, por estar dentro do esgoto de onde brotam as ratazanas e baratas, serão sempre desestimulados a receitar um remédio que os extermine. Sei que existe, mas é difícil identificar quem não esteja envolvido ou não seja conivente. Mais proveitoso seria se repetissem Jim Jones e, mais uma vez, os membros do ‘Templo do Povo’ ingerissem cianeto.

O problema não é falta de recursos, a pasta da saúde abocanha mais de um bilhão de reais só de recursos do Estado. O problema não é falta de mão de obra, se não fosse a qualificação e comprometimento dos servidores da saúde, que mesmo diante de tanto desrespeito, mesmo tendo que conviver com falta de condições mínimas de trabalho, agem como heróis, se desdobrando para prestar um serviço que, pelo menos, amenize a dor e sofrimento daqueles que tanto precisam. O que falta é capacidade de gestão, respeito ao erário, valorização dos servidores e coragem para desmantelar a máfia que se instalou na SESAU. Não esperem que quem causou e ou se beneficia da corrupção, atue para combatê-la, isso talvez explique a omissão silenciosa e cega dos órgãos estaduais de fiscalização (MPE, TCE, ALE). Sem intervenção federal, continuaremos padecendo atolados na areia movediça da corrupção.

*Professor universitário, Doutor em Administração. luisclaudiojs@gmail.com


Vamos refletir

Afonso Rodrigues de Oliveira*

“A vida sem reflexão não vale a vida ser vivida.” (Sócrates)

Então vamos refletir sobre o que queremos e devemos viver. Não estejamos valorizando nossas vidas, atualmente. Concordo com os que dizem que o ser humano valoriza mais a morte do que a vida. Se você refletir sobre isso, vai se chocar. Mas é melhor o choque do que o desastre. Vamos valorizar o que temos de melhor que é nossa vida. 

Estou enrolando porque estou querendo fugir do assunto que está me provocando. Recentemente, lendo o Alcântara Machado, li essa coisa gostosa, que nos leva a uma reflexão: “Italiano grita; Brasileiro fala; Viva o Brasil; E a bandeira da Itália.” Na época do Alcântara Machado, a coisa era bem diferente, mas a mesma coisa. Sempre valorizamos mais o exterior. Sempre estivemos por detrás da porta esperando que o estrangeiro fizesse, para que o imitássemos. E a coisa foi degringolando e empurrando nossa educação para o fundo do poço. Que é onde estamos. Continuo enrolando porque você pode pensar que estou querendo ser ou me apresentar como um intelectual. Corta essa. Estou apenas preocupado com a nossa Educação que está ficando com letra minúscula. 

Você já percebeu que o idioma Inglês está mais valorizado no Brasil do que o idioma Português? Falar o Português errado está comum. Ninguém está nem aí. Mas se você pronunciar uma palavra em Inglês, errado, você está ferrado. Sobretudo num teste para o emprego. Falo sério. O que se fala em português errado na nossa comunicação televisiva não tá no gibi. Há um zilhão de erros que já são considerados comuns. Mas que podem prejudicar nossos adolescentes nos seus exames.

Bem recentemente ouvimos de uma apresentadora famosa, no encerramento do programa: “Boa tarde, bom fim de semana e na segunda-feira estamos aqui, de volta”. Prestou atenção? Isso pode até nem ser considerado importante, mas mais de 1 milhão de adolescentes ouviu esse absurdo natural. E é o que vai ficar na cabeça do garoto e da garota, sem se importarem com a gramática portuguesa. Pode até lhe parecer bobagem minha, mas não é. Reflita sobre isso e procure fazer com que seu filho preste mais atenção a escorregões como esse, que podem fazê-lo cair no poço aberto do descaso. 

Não devemos viver a vida sem reflexões. Estas fazem parte da vida. Esteja sempre atento ao que pode lhe prejudicar no dia a dia, sem que você perceba. Estamos vivendo um mundo diferente, e com ele nos tornamos diferentes. E o Victor Hugo já disse: “Devemos ser o que não somos, mas sem deixar de ser o que somos.” E só conseguiremos isso refletindo sobre a vida que vivemos. Pense nisso.

*Artculista
afonso_rr@hotmail.com
99121-1460     

     

Opinião
fale@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Opiniao
+ Ler mais artigos de Opiniao