Opinião - Folha de Boa Vista
Por Opinião
Em 01/07/2022

Seja Luz

Debhora Gondim

"Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus". (Mateus 5: 14-16)

Jesus ao ensinar as bem-aventuranças ou sermão do monte, como é mais conhecido, expos como deve ser o caráter do seu discípulo. Fazendo uso de metáfora. Nesta passagem usa a luz, para mostrar a influencia do verdadeiro cristão no mundo. Nossa influencia no mundo depende do nosso caráter. Se nosso eu está sendo moldada a imagem de Cristo.

Em João 1: 4,5 e 9 nos mostra que Jesus é a Luz do mundo, que Ele é quem nos ilumina. Só há luz em nós se estivermos em Cristo, se permanecermos Nele, pois sem Ele nada somos e nada podemos fazer de bom (João 15:4 e 5). Somos apenas refletores que ilumina através da Luz de Cristo. Não temos luz própria. Esta expressão cola em mim que tu brilhas é furada. A expressão deveria ser: cola em Jesus que tu brilhas.

Em Lucas 2:32 Simeão cheio do Espirito Santo aponta que Jesus é a Luz para revelação. Sem Jesus não teríamos o evangelho, se a nossa fé não estiver depositada em Jesus como nosso único e suficiente salvador não entenderemos os seus caminhos. Pois só discerne o que vem do Espirito Santo quem tem o Espirito e isso ocorre após a nossa entrega e confissão de que Jesus é nosso salvador e será quem governará nossas vidas a parti deste momento. Quando Ele entra em nossas vidas a treva se desfaz. E quanto mais o buscarmos mais iluminados por sua luz seremos.

João 3: 16-21

Os versículos 20 e 21 desta passagem nos revela que se temos Cristo e temos buscado por mais intimidade com Ele não teremos medo de nos aproximar mais e mais Dele, que é Luz. Pois quanto mais o conhecemos, mais ele revela quem somos, os piores dos pecadores (como Paulo se descreveu em 1 Timóteo 1:15), o que requer humildade corajosa para reconhecer e se arrepender; reconhecer que necessitamos da Sua Graça; e entendermos que seu amor por nós é incondicional. Que toda boa obra que praticamos só é possível por intermédio de Deus.

“Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus". (Mateus 5:16). Ter a Luz de Cristo nos possibilitará ser frutífero (Gálatas 5:22 e 23),  ser bem-aventurado (ser feliz)  (Mateus 5:1-10), praticar boas obras atestando a fé que temos em Cristo (Tiago 2:17 e 18). Tudo isso de forma que Deus seja Glorificado.

 "Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa.” (Mateus 5: 14 e 15). Assim como a luz refletida em um poste, ou em uma lâmpada não é posicionada em um lugar secreto, por não conseguir esconder a luz que emana deles. A Luz de Cristo em nós não pode ser contida. A Luz é mais forte do que a escuridão (Deus é tão perfeito que deixou este exemplo até na nossa fisiologia, podem observar que quando estamos no escuro do nosso quarto, por exemplo, nossa pupila se dilata e a íris relaxa de forma que entre mais luz externa e assim, enxerguemos o ambiente). Nem a noite mais escura consegue conter a Luz. (João 8:12)

 Ser Luz tem duas finalidades:

1. Produzir luz em meio as Trevas = Pratica das boas obras (1 Timóteo 6:18; Efésios 2:10);

2. Impedir a escuridão = Propagação do evangelho (Marcos 16:15 Mateus 28: 15-21).

Ser Luz é: (Mateus 5:1 -10); (Gálatas 5:22 e 23)

Depender de Deus em tudo, ser guiado por sua vontade (5: 3);

Ter coração quebrantado (5: 4);

Ser humilde (5:5);

Ter desejo, disciplina de buscar conhecer mais a Deus (5:6);

Ser misericordioso (5:7);

Ser puro de coração, andar em Santidade (5:8);

Ser pacificador (5:9);

Se alegrar mesmo em meio a perseguição, pois entende que passar por isso por estar em Cristo é motivo de gratidão (5:10);

Ter amabilidade, amando como Jesus ama, inclusive, os inimigos (5: 22);

Ter a alegria mesmo em meio a circunstancias ruins (5:22);

Ter bondade (5:22);

Ser fiel (5:22);

Ter paciência, incluindo ao esperarmos em Deus as respostas das nossas petições (5:22);

Ter Mansidão, que é não tentar agir com o censo de justiça própria, abrir mão dos direitos que achamos que temos e entregar tudo a Deus, em confiança. (5:23);

Ter domínio próprio (5:23).

*Tudo isso não vem de nós, mas do operar do Espirito Santo ao andarmos na luz de Cristo.

O padrão é alto, eu sei. Por isso, só é possível se estivermos em Cristo. Se negarmos a nós mesmos todos os dias, esvaziarmos de nós mesmos e deixar que Jesus ilumine tudo em nós, dissipando as trevas que ainda habita em nós. Andemos na Luz (1 João 2: 1-11). Que a luz de Cristo resplandeça através de nós ao andarmos em obediência a sua Palavra, ao buscarmos Ele em sua Palavra e na oração (Salmos 119:105). Pois a Luz de Cristo é manifesta em nossas atitudes praticas. Mas do que falarmos é vivermos. Se amamos a Deus o obedeceremos (1 João 2:3).

Por fim, diante de tudo isso qual será a sua resposta a Deus? Vai andar na Luz ou vai continuar escondida em escuridão? Que nós possamos refletir e pedir a Deus que nos converta ao seu caminho, tendo um novo nascimento e sendo guiados pelo Espírito Santo a andarmos na Luz de Cristo. Demonstrando frutos de arrependimento (Mateus 3:8).

Teóloga e Professora

Benefícios da osteopatia na gravidez


As mulheres passam por constantes transformações durante o período gestacional de nove meses, que podem vir acompanhadas de algumas dores e sintomas nada confortáveis proporcionadas pela sobrecarga que várias partes do corpo passam a sofrer, como lombar, quadril, joelho, coluna, entre outras.

Com o objetivo de promover harmonia e equilíbrio entre todas as partes do corpo, a osteopatia é uma das recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) para mulheres que buscam, sem a utilização de medicamentos, o alívio e melhora dos desconfortos presentes na gestação.

Utilizando-se de técnicas específicas para cada fase da gravidez, o profissional osteopata, além de auxiliar na melhora da mobilidade, dores e circulação sanguínea da mãe, possibilita benefícios para o bebê, que se desenvolverá melhor no útero e prepara a mulher para o parto normal.

Todo o processo focará na extinção e prevenção de qualquer tipo de dores e inflamações oriundas dessas alterações corporais, trabalhando de forma completa e uniforme, em todas as partes do organismo, desde a nuca, barriga, coluna, até as pernas e pés.

A eficácia no tratamento é tão alta que o SUS (Serviço Único de Saúde) oferece de forma gratuita a osteopatia desde 2017, dentro de seus serviços de terapias complementares, as chamadas PICs (Práticas Integrativas Complementares).

Indicada para mulheres que estão a partir do terceiro mês de gravidez, nada impede que a consulta e início da osteopatia se inicie antes, desde que autorizado pelo médico obstetra que fará o pré-natal.

Nesse estágio inicial, o acompanhamento do profissional visa conhecer de forma mais aprofundada todo o histórico da paciente para depois começar a identificar e trabalhar os pontos necessários que possam apresentar maiores riscos de desconfortos da mesma.

Além das alterações hormonais e físicas que o organismo de uma pessoa grávida enfrenta, existe a necessidade de cuidados específicos e particulares nessa fase, de modo que o osteopata agirá na origem do problema para propiciar o bem-estar e bom funcionamento do corpo feminino conforme as reações e transformações ocorridas nas semanas seguintes.

Entre o quarto e o sexto mês de gravidez é o momento que requer mais cuidado com a mulher, aumentando a probabilidade e a incidência de dores e incômodos, como náuseas e distúrbios de sono. Nesse período é onde se definirá a frequência do tratamento, de acordo com cada caso.

O osteopata ajudará no relaxamento, melhora na circulação e sistemas constituídos do corpo humano. Além do progresso benéfico para a mãe, a técnica servirá para que a criança se desenvolva e cresça melhor dentro do útero.

No último trimestre, na reta final da gestação, quando o bebê está mais pesado, redobra-se o cuidado e o profissional dará especial atenção a trabalhos específicos na região da bacia e períneo. O resultado visa evitar possíveis lesões no cóccix e ajudar no conforto, relaxamento e elasticidade dos músculos e tecidos, para facilitar a saída do neném.

Após o nascimento, é importante o acompanhamento pós-parto (puerpério), pois é comum o surgimento de dores devido ao esforço usado na hora de dar à luz. Em caso do parto ter sido por cesárea, a osteopatia também trabalhará as cicatrizes remanescentes, evitando problemas posteriores que possam surgir.

*Luis Henrique Zafalon é fisioterapeuta especialista em osteopatia, professor e palestrante

Não se intimide com ela

Afonso Rodrigues de Oliveira

“Bendita crise que vai me ensinar o que é verdadeiramente importante”. (Mirna Grzich)

O ser humano é assim mesmo. Fica maior parte de sua vida preocupado com as crises. Elas são tantas que não conseguimos identificá-las. São apenas crises e nada mais. Os meios de comunicação, por exemplo, vivem alimentando as crises e nos adoecendo com o pavor. Não sei por que ainda temos que ficar os dias todos assistindo a notícias sobre o número de mortes com a crise. Ela já está registrada e vai continuar matando gente por toda a vida, daqui para a frente. A malária continua matando desde o início do século passado. Ela e todas as outras.

Até o coitado do macaco está entrando na fila, sem merecer o castigo. Está aparecendo mais uma doença que, com certeza, vai se tornar uma crise. E o pior é que lhe puseram o apelido de macaco. Imagina quando o macaco estiver com capacidade de analisar, como ele vai se sentir em relação ao ser humano. Vai confirmar que nós, seres humanos, somos os animais mais monstruosos sobre a Terra. Mas vamos falar de nós, não macacos, apenas parecidos.

Vamos nos valorizar no que somos. Não sabemos como se mede uma eternidade, mas sabemos que estamos aqui, sobre esta Terra, há vinte e uma eternidades. Tempo suficiente para termos progredido na caminhada de progresso a regresso. A verdade é que chegamos aqui, ficamos e não conseguimos sair, porque não evoluímos o suficiente. E a maior dificuldade para o ser humano é evoluir. Sobretudo quando se trata da evolução racional. Ainda vivemos à mercê da decisão dos outros. Ainda não somos capazes. Ainda não aprendemos a acreditar em nós mesmos, para sermos o que realmente somos. Só quando entendermos que temos dentro de nós mesmos a força de que necessitamos para sermos seres racionais, seremos realmente donos de nós mesmos. Enquanto não nos valorizarmos no que somos continuaremos sendo títeres de falsos salvadores. E por isso teremos que ficar as vidas todas, independentemente de quantas já vivemos, encarando crises que não seriam mais do que mudanças climáticas. Pode rir, se quiser. Tanto melhor, porque um dia acordaremos para viver a vida. Porque até agora só vivemos na vida, e não a vida.

Acalme-se, reflita e pense em você mesmo, mas como você é e não como você pensa que é. Porque sabemos que somos o que pensamos, mas nem sempre somos o que pensamos que somos. Valorize-se crendo mais em você mesmo ou mesma. “O reino de Deus está dentro de nós”. Nós é que não nos valorizamos para saber usar e desfrutar o poder que temos. Converse com o seu subconsciente. Ele ensina como encarar crises. Pense nisso.

afonso_rr@hotmail.com

99121-1460

Opinião
fale@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Opiniao
+ Ler mais artigos de Opiniao