Por Parabólica
Em 15/01/2021

Bom dia,

Hoje é sexta-feira (15.01). Nesta semana um cidadão roraimense que foi ao aeroporto internacional Eduardo Gomes, em Manaus, para pegar um voo para Boa Vista, assistiu uma cena que lhe deixou perplexo. Várias pessoas tentavam comprar passagens nos balcões das companhias aéreas para sair da capital amazonense a qualquer custo. Quando eram informados de que não existia mais vagas para o local primeiramente escolhido, as pessoas, de todas as idades, pediam para comprar passagem para qualquer lugar do país, desde que ficassem longe do caos que se instalou na capital do Amazonas por conta da segunda onda da pandemia da Covid19. E de fato, em Manaus, as estatísticas e as narrativas são assustadoras tanto em relação aos números de mortos e infectados; quanto o colapso geral nos unidades hospitalares daquela cidade.

A situação está tão fora de controle, e da capacidade do governos, estadual amazonense e municipal manauara, de darem respostas ao caos, que o governo federal deslocou o ministro da Saúde, Eduardo Pazzuelo, para providenciar as condições mínimas para evitar mais mortes naquele estado. As condições desesperadoras em Manaus já ganharam repercussão até mesmo fora do Brasil, e até mesmo o ditador Nicolas Maduro, que não consegue estancar a miséria que grassa entre os venezuelanos, mandou seu ministro das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, oferecer oxigênio para o governador amazonense Wilson Lima. Tomara que essa oferta de concretize, como diz o velho provérbio chines: não importa se os gatos são pardos, desde que sejam gatos.

AQUI

O gás fornecido para hospitais roraimenses vem na sua totalidade de Manaus. Ora, se a produção de lá, não está sendo suficiente para atender a demanda dos hospitais e outras unidades, com absoluta certeza não virá gás para Roraima, o que prenuncia muito em breve que a situação aqui também colapsará, e muita gente vai morrer sufocada por conta das consequências advindas da Covid19. E o que muita gente está se perguntando é se o governo estadual e a Prefeitura Municipal de Boa Vista, estão cientes desse perigo iminente, e que providências estão tomando para evitá-lo? Será que não poderiam pedir que os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) que estão trazendo gás para Manaus, fizessem uma perna para deixar um pouco aqui em Boa Vista?

PUBLICIDADE 1

Fontes da Parabólica bem situadas na Câmara Municipal de Boa Vista (CMBV), dão conta da possibilidade dos vereadores aprovarem na próxima semana a Lei Orçamentária Anual do município para o exercício fiscal de 2021. Boa Vista e Maceió são as duas únicas capitais de estados brasileiros que até hoje trabalham sem o  orçamento. As mesmas fontes garantem que apesar de não ter sido indicado qualquer vereador para relatar a LOA, algumas rubricas do orçamento já estão sob olhares críticos de alguns edis, entre elas, a verba que está sendo proposta para a Secretaria Municipal de Comunicação Social e para a Fetec.

PUBLICIDADE 2

Vereadores que já deram uma olhada na proposta orçamentária enviada pela ex-prefeita Teresa Surtia (MDB) dizem que está exagerada a verba destinada à propaganda institucional da prefeitura. Alegam, esses vereadores, que nos oito últimos anos as empresas de comunicação ligadas à família do ex-senador Romero Jucá (MDB) receberam um quinhão das verbas publicitárias muito além de suas respectivas audiências. Levantamentos feitos junto a fontes de dentro da PMBV confirmam essas suspeitas dos vereadores.

 PUBLICIDADE 3

Fontes ligadas ao novo prefeito boa-vistense, Arthur Henriques (MDB) dizem que a nova administração vai utilizar critérios técnicos na distribuição da verba relativa à propaganda institucional. Alegam essas fontes, que ao cortar a verba destinada à Secretaria Municipal de Comunicação Social, os vereadores estariam prejudicando outros veículos de comunicação, e não só, as empresas da família de Jucá. Na verdade, o que os vereadores poderiam fazer seria exercer a fiscalização rigorosa contra esse privilégio que vem sendo dado há muitos anos. Todo mundo sabe disso.

DISPUTA

E um importante cabo-eleitoral do prefeito Arthur Henrique ligou para a Parabólica informando que depois da eleição sequer conseguiu falar com o novo gestor municipal boa-vistense. “Embora não tenha conseguido falar com ele já fui procurado por correligionários dos que mandam concretamente na PMBV que me prometeram intermediar junto ao prefeito para conseguir me colocar em algum posto na nova administração. Só que recusei a ajuda. Eu sei que eles já estão amarrando as coisas para a eleição de 2022. E quero ficar longe disso”, disse.

FILA

A Parabólica de hoje termina com o relato de um leitor, que teve uma irmã com quadro de saúde agravado pela Covid19: “Minha irmã é idosa (73 anos), diabética, obesa e tem pressão alta. Teve seu quadro de saúde agravado, com necessidade de internação para receber oxigenação. Ao chegar no Hospital Geral de Roraima (HGR) não tinha leito disponível para pacientes feminino com Covid19, e ficou numa maca a espera de médicos e leito. Só depois a intervenção de médicos amigos, e devido a morte de um paciente que estava na UTI, surgiu uma vaga naquela unidade, e minha irmã que teve o quadro agravado ainda mais, foi internada na UTI. Agora está nas mãos de Deus e de alguns abnegados médicos e enfermeiros”. Esta serve de motivo para reflexão de todos os leitores neste final de semana.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica