Por Parabólica
Em 07/06/2019

Bom dia,

A divulgação de um vídeo onde aparece um paciente do Hospital Geral de Roraima (HGR) com um dos braços em claro processo infeccioso e aparente estado de putrefação, internado em ambiente claramente insalubre – entre outras coisas, infestado de moscas –, é um claro exemplo de que o Brasil precisa urgentemente de uma lei que puna com rigor os administradores públicos que não cumpram com suas obrigações básicas.

Há situações que não justificam, em hipótese alguma, aquela retratada no vídeo, com aquele jovem homem na iminente possibilidade deperder totalmente um dos braços; e quem garante que não perderá até a vida. Quem deu os motivos – diretos ou indiretos – para que nosso principal hospital chegasse naquela situação medonha? Como aconteceu noutro dia, depois da morte de uma senhora que a família atribuiu como causa a negligência no HGR, o governador Antonio Denarium (PSL) chamou a imprensa e disse que iria mandar apurar a responsabilidade, insinuando que ela seria do corpo de enfermagem.

De pronto, a fala do governador foi rebatida pelo presidente do sindicato da categoria, Melquisedek Menezes, ao revelar as precárias condições de trabalho que o governo estadual oferece nos seus hospitais, maternidades e outros estabelecimentos de saúde, aos servidores daqueles equipamentos de saúde. E ficou nisso, apesar de ter no meio das discussões a perda de uma vida humana.

Sobre esse episódio mais recente – eles acontecem em profusão – as autoridades que dirigem a saúde pública estadual virão com a velha cantinália de que faltam recursos por conta da administração passada que deixou o estado endividado. Alguém ainda acredita nisso? Seguramente só os apaninguados. Todos sabemos que produtos de higiene e limpeza custam muito pouco, e o que falta mesmo é gestão; e a certeza de que ninguém será punido pela omissão e o descaso que têm ceifado tantas vidas.

Se os responsáveis, dentro de uma rede hierárquica que vai do chefe do setor e chega ao governador, fossem punidos exemplarmente com multa pecuniária, perda da função e até alguns meses de prisão, isso seguramente não aconteceria com tanta frequência.

REINÍCIO

O governador Antonio Denarium mandou distribuir convites para uma solenidade que será realizada hoje, sexta-feira, 07.06, para a assinatura da Ordem de Serviço (OS) da obra da caixa d’água do bairro Cidade Satélite. Na verdade é o reinício daquela obra que foi paralisada ainda no governo do falecido governador Anchieta Júnior (PSDB). A empresa escolhida para concluí-la foi a LB Construções, do empresário Luiz Brito, candidato a deputado estadual na eleição de 2018, pelo PSL do governador.

COMEÇOU

Se ainda havia dúvida de que o processo eleitoral para a escolha do (a) novo (a) prefeito (a) de Boa Vista, cuja votação dar-se-á em primeiro turno no dia 04/10/20 e em segundo turno no dia 25/10/20, essa dúvida acabou ontem por conta da entrevista coletiva à imprensa local, da atual prefeita boa-vistense, Teresa Surita (MDB). Ela disse, com todas as letras, que a Prefeitura de Boa Vista foi literalmente cortada do mapa das emendas de deputados e senadores do Orçamento Geral da União, deste ano de 2019, por conta de decisão atribuída à bancada federal do estado. Teresa disse que essa discriminação é devida aos interesses dos grupos políticos na eleição municipal de Boa Vista em 2020.

ALIADO 1

Na entrevista, a prefeita Teresa Surita disse que o Orçamento Geral da União (OGU) para 2019 contemplava uma emenda de bancada no valor de R$ 30 milhões destinados a obras de infraestrutura em Boa Vista. Em março, segundo Teresa, os parlamentares federais foram chamados pela Secretária de Orçamento do Ministério da Economia para discutir ajustes nas emendas face à queda nas receitas do Governo Federal. Ainda segundo a alcaide boa-vistense, os técnicos do Ministério da Economia sugeriram um corte daquela emenda de R$ 30 milhões para R$ 24 milhões. Contra todas as expectativas, os parlamentares federais – só dois não assinaram: o Senador Mecias de Jesus (PRB) e o Deputado Otaci Nascimento (SD) –, firmaram um documento autorizando o corte total da emenda.

ALIADO 2

Dentre os deputados federais eleitos no último pleito, apenas um deles, Haroldo Cathedral (PSD), pertencia ao grupo político da prefeita Teresa Surita. O deputado tem seu nome cogitado como eventual candidato ao posto de Teresa na eleição do próximo ano. Seria ele um dos nomes a que se referiu Teresa quando disse que alguns dos parlamentares que ajudaram a retirar a totalidade dos recursos destinados à prefeitura de Boa Vista, são citados como interessados em sucedê-la? E se o deputado Haroldo Cathedral for mesmo candidato, terá ele o apoio da atual prefeita, que não pode ser candidata à reeleição? Tudo indica que não.

VISITA

Parte da diretoria da Câmara de Comércio Brasil-Guiana, que tem à frente o empresário e ex-deputado federal Remídio Monai, visitou ontem, quinta-feira, 06.06, a redação da Folha. Acompanharam o presidente, seu vice Eduardo Oestreicher, Thiago Pires de Melo (1º Secretário), além da empresária Sulamires Ferreira Araújo (Diretora). Eles falaram sobre as perspectivas muito grandes de conseguirem, com ajuda da classe política local e do governo federal brasileiro, destravar as relações, especialmente comerciais, entre os dois países. Eles já conseguiram fazer com que as autoridades federais da fronteira trabalhem em horários coincidentes.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
EDILSON DAS GRAÇAS DUARTE disse: Em 07/06/2019 às 15:02:40

"Eu gostaria de saber o que a população de Boa Vista tem a ver com a briga política deles. Os Senhores senadores e deputados deveriam trazer recursos para a PMBV independentemente de quem estiver no poder!! Falte de respeito com os moradores de Boa Vista. "

SANTOS disse: Em 07/06/2019 às 08:44:32

"- Há uma citação, bíblica inclusive, que afirma: A SEMEADURA É LIVRE, MAS A COLHEITA É OBRIGATÓRIA. - Ninguém colhe o que não semeou e Teresa Surita, apesar de ser considerada uma das melhores Prefeitas que Boa Vista já teve, não pode furtar-se às consequências da rejeição ao grupo político a que se aliou. - Nem precisa(m) ser mencionado(s) o(s) nome(s) do(s) político(s) que o povo roraimense quer ver longe da política local e nacional, tamanho seu(s) envolvimento(s) nos mais escabrosos escândalos de desvios de recursos públicos, prontamente (ou cinicamente) negados, na grande maioria com indícios e/ou evidências de suas veracidades. - Assim, nossa prefeita estará fadada ao ostracismo, consequência das escolhas que fez. Carne sem osso, somente após o trauma da desossa."

Cruel disse: Em 07/06/2019 às 08:12:13

"Como disse o ex-secretário de saúde: "Enquanto forem permitidas empresas de deputados estaduais, federais e senadores vendendo serviços dentro da secretaria; enquanto forem permitidos uma cooperativa distribuindo plantões a quem não trabalha; enquanto forem permitidas famílias com poder político vendendo serviços dentro da secretaria; enquanto forem permitidos médicos concursados vendendo serviços para a secretaria; enquanto forem permitidos judicializar procedimentos para beneficiar um grupo de pessoas; haverá corrupção no governo." Quem seriam esses políticos? "

Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica