Por Parabólica
Em 14/06/2019

Bom dia,

A cobrança já foi feita neste espaço da Parabólica, mas vale à pena insistir. A degradação a olhos vistos da qualidade de vida, especialmente em Boa Vista, dos roraimenses, com a cidade tomada por moradores de rua; de pedintes espalhados por todos os cantos da Capital; com a violência praticada por migrantes venezuelanos crescendo rapidamente, é a prova maior que a Operação Acolhida, coordenada pelo Exército Brasileiro, precisa de mudanças rápidas, tanto da metodologia quanto da operacionalidade.

O governo federal de Jair Bolsonaro precisa mostrar que não é mero prolongamento do governo de Michel Temer (MDB). Deixar que as condições de vida da população roraimense cheguem a um colapso social sem nada fazer é uma omissão criminosa. Os governos locais, sozinhos, não têm a menor condição de enfrentar esse problema.  

REAÇÃO

Ao lado de seu colega de bancada Chico Rodrigues (DEM), o senador Telmário Mota (PROS) reagiu fortemente contra a carona que o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, deu para o ex-senador Romero Jucá. O ministro utilizou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), ontem, quarta-feira (12.06), para vir a Boa Vista prestigiar um seminário sobre a política da Prefeitura Municipal de Boa Vista (PMBV) para crianças de 0 a 6 anos. Telmário, depois de utilizar adjetivos nada lisonjeiros a Jucá, disse que o ex-senador não ocupa qualquer cargo público que o qualifique a utilizar aviões da FAB. Osmar Terra, Teresa Surita e Romero Jucá são do MDB.

ELEITORES

Ainda ao lado de Chico Rodrigues, Telmário Mota disse que falava também em nome dos eleitores do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), de Roraima, que o ouviram dizer que durante a campanha, que se fosse eleito, Jucá não entraria no seu gabinete nem pela porta da cozinha. Na verdade, o ex-senador não está na cozinha, mas na sala de visitas, tanto do governo federal quanto do governo do estado, que também é do PSL.

NEGOU

Telmário lembrou ainda que a Força Aérea Brasileira negara a cessão de um avião para levá-lo, juntamente com o senador Chico Rodrigues e o senador baiano Jacques Wagner (PT), de Brasília à Caracas para tratar com ao governo de Nicolás Maduro a reabertura da fronteira entre o Brasil e a Venezuela, assim como o reatamento do fornecimento da energia de Guri para Roraima. Em compensação, fecha os olhos para a utilização de pessoas sem nenhuma vinculação com a administração federal. Será que ele tem razão?

VELHA POLÍTICA

Quando se refere ao seu relacionamento com os parlamentares e os partidos, o presidente da República Jair Bolsonaro sempre diz que no seu governo não há espaço para a velha política do “toma lá, dá cá”. E cita que a diferença na composição do seu ministério e o dos governos anteriores, especialmente de Michel Temer (MDB), é que os ministérios deixariam de pertencer a partidos. Segundo essa nova política, todos os ministérios serviriam a todos os parlamentares, independente da filiação partidária. Será?

NÃO CONVIDOU

Ontem, ao criticar a carona que Osmar Terra (MDB), do Ministério do Desenvolvimento Social, deu ao notório ex-senador Romero Jucá (MDB), o senador Telmário Mota lembrou que, diferentemente do que ocorre normalmente quando um ministro visita um estado, nenhum parlamentar federal de Roraima foi convidado a acompanhá-lo na visita a Boa Vista. Mota lembrou que no Senado Federal, Chico Rodrigues e Mecias de Jesus são fiéis escudeiros do governo de Jair Bolsonaro e foram ignorados. Resultado das últimas eleições, nenhum parlamentar, dos 11 da bancada federal de Roraima, é do MDB. Foi o povo quem quis.

TRANSPARÊNCIA

A Promotoria de Justiça da Comarca de Bonfim expediu as recomendações administrativas nº 003/2019 e 004/2019 para a Prefeitura e Câmara Municipal de Normandia, recomendando que ambas adotem medidas de transparência e repasse de informações. Entre as orientações feitas pela promotora de justiça substituta, Renata Borici Nardi, está a de que os gestores atendam a todos os pedidos de informação e extração de cópias para qualquer cidadão ou associação, além de publicar documentos online. Especificamente à Prefeitura de Normandia, foi pedido que a gestão municipal adotasse no prazo de 90 dias a correta implantação atualizada do Portal da Transparência. Que bom se isso também fosse feito a todos os órgãos da administração.

MUDANÇA

Já faz algum tempo, mas pela importância do cargo vale à pena informar. Houve mudança na Coordenação Regional de Roraima da Fundação Nacional do Índio (FUNAI). Conforme publicação do dia 05/06, quarta-feira, do Diário Oficial da União (DOU), através da Portaria Nº 746/19, o então presidente da FUNAI, general Franklimberg Freitas, nomeou Sérgio Roberto Vianna Rodrigues de Mattos para exercer o cargo em comissão de Coordenador Regional da FUNAI em Roraima. O general Franklimberg Freitas já não é mais presidente da FUNAI.

GENERAIS

Mais uma vez o presidente da República surpreende os brasileiros e as brasileiras com relação a sua liderança inconteste dentro do governo. Quando todo mundo imaginava que os generais tinham força total em seu governo, Bolsonaro demite em menos de uma semana dois deles: o general Santos Cruz, da Secretaria de Governo, e o presidente da Fundação Nacional do Índio, o general Franklimberg Freitas. É claro, no caso de Santos Cruz, dizem os analistas que existe a clara influência do filho de Bolsonaro, o vereador carioca, Carlos Bolsonaro.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Walter Ferreira disse: Em 14/06/2019 às 09:32:00

"REAÇÃO - Não esquecendo porém, sr. sen. Telmário, que o Dr. Romero Jucá é o Presidente Nacional do MDB, partido ao qual o Min. Osmar Terra é filiado. É, portanto, uma figura de projeção nacional e, com certeza, deve está ajudando o Presidente Bolsonaro nas conversações com o referido partido. E não vi o sr. fazer qualquer pronunciamento condenatório quando o então Presidente do Senado, sen. Renan Calheiros utilizou aeronave da FAB para ir à Bahia participar de uma casamento. Seja mais coerente em seus falatórios populistas."

SANTOS disse: Em 14/06/2019 às 09:15:10

"- Todos sabemos que Romero Jucá foi um Senador por diversas vezes achincalhado naquela Casa Parlamentar sendo alvo dos mais detratores adjetivos, acusado de envolvimento em incontáveis processos por corrupção, nepotismo, desvio de recursos, relações impróprias que prejudicaram o Brasil e o Estado de Roraima. nunca teve, nem terá jamais, meu voto. Tampouco votei em Telmário Mota e acredito que já está na hora desse cidadão assumir verdadeiramente seu mandato e começar a trabalhar pelo Estado que representa. Já passou da hora de descer desse palanque e ficar tipo criança mimada reclamando de quem lhe roubou o pirulito. Meu recado para o Senador Telmário é: exerça seu mandato efetivamente para o bem do Estado de Roraima. Esqueça Jucá porque o povo esqueceu, tanto que não o reelegeu. Vamos deixar de puerilidade e trabalhar com afinco."

Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica