Por Parabólica
Em 18/03/2020

Bom dia,

A biografia do ex-presidente da República José Sarney (MDB) é recheada de polêmicas, e ele está longe der ser uma unanimidade. De qualquer forma, ninguém pode duvidar de sua enorme experiência política, afinal, foram mais de seis décadas de vivência nos meandros do poder na política brasileira. Outra característica do ex-presidente é a extrema habilidade com que ele esteve sempre no epicentro da vida política nacional nos últimos cinquenta anos. Por isso, concorde ou não com ele, vale a pena ouvir o que ele fala sobre o momento político da sociedade brasileira.

Na segunda-feira (16.03), Sarney, que está prestes a completar 90 anos, concedeu uma entrevista a um canal fechado de televisão e disse que pela primeira vez ao longo de sua vida pública está pessimista quanto ao futuro próximo da pátria brasileira. O ex-presidente afirmou que o Brasil está num labirinto de muitas crises e que ninguém sabe que trilha dele pode ser seguida como saída para nossa crise. “Não consigo, pela primeira vez na vida, ver com otimismo o futuro próximo do país”, disse. É bom refletir sobre o que ele diz, mesmo que dele se discorde.

IMPROVISO 1

Uma análise preliminar sobre o conjunto das medidas anunciadas pelo governo federal brasileiro, para o enfrentamento da crise de saúde e econômica provocada pela pandemia do Covid-19, parece indicar que tudo está sendo feito de improviso, após um longo tempo durante o qual o assunto foi tratado. As medidas anunciadas quase todas estão ainda por ser detalhadas, o que leva a muita dúvida sobre o alcance de tais medidas. São regras incompletas e que não deixam claras as consequências de suas adoções.

IMPROVISO 2

Exemplo claro de medida, sobre a qual existe uma imensa dúvida sobre o alcance dela, é o adiamento pelos próximos três meses do pagamento da parcela do Simples Nacional, destinado ao governo federal. Dois pequenos empresários ouvidos pela Parabólica disseram não estar dispostos a aceitar o benefício porque não sabem como serão cobrados depois, inclusive, se haverá encargo de correção monetária ou outro tipo de encargo. O mesmo ocorre com relação ao adiamento, pelo mesmo período, do pagamento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

NATAL MAGRO

No caso da antecipação do pagamento da primeira parcela (em abril) e da segunda (em maio) do décimo terceiro salário dos aposentados, que segundo as estimativas do governo chega a R$ 23 bilhões, o que não causará aumento das despesas públicas, terá consequência no final do ano. Impactará, com certeza, o consumo, lá para o final do ano, fazendo ocorrer um Natal mais magro e também deverá impactar a taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

FECHAMENTO

Ainda no campo do improviso, o anúncio de que o presidente Jair Bolsonaro decidira fechar “parcialmente” a fronteira do Brasil com a Venezuela veio recheado de imprecisões. O fechamento, embora anunciado pelo presidente, virá através de portaria interministerial, assinada pelos ministros da Justiça e das Relações Exteriores, mas só hoje é que os detalhes serão anunciados, com a publicação dela. A única coisa que ficou esclarecida é a continuidade do movimento de mercadorias entre os dois países, porque interessa à Venezuela, como principal alternativa de abastecimento, e os comerciantes brasileiros que têm conseguido bom lucro com a crise no país vizinho.

CONTRÁRIA

Fontes da Parabólica garantem que o tratamento que o governo brasileiro vem dando à venda de mercadorias e equipamentos para a Venezuela não agrada ao governo interino de Juan Guaidó, que o próprio Ministério das Relações Exteriores do Brasil reconhece como legítimo. Assessores de Guaidó entendem que esse comércio bastante intenso entre os dois países só alimenta a permanência de Nicolás Maduro e seus mais de dois mil generais no governo venezuelano. As mesmas fontes indicam que essa insatisfação já chegou ao governo brasileiro, o que não impediu o presidente Bolsonaro de manter aberta a fronteira ao movimento de mercadorias.

RÁPIDAS

A Assembleia Legislativa do Estado (ALE) deve votar, e aprovar hoje, sem qualquer discussão, um Projeto de Lei (PL) que permitirá que magistrados roraimenses convertam em pecúnia (dinheiro) férias que por venturam não queiram gozar. Servidores do Tribunal de Justiça não concordam com a iniciativa. ### O governo da República Cooperativa da Guiana fechou o aeroporto de Georgetown para voos internacionais. ### A Parabólica informou: o governador Antonio Denarium tem confortável maioria no plenário da ALE: ontem, o regimento da instituição foi alterado por votação, com larga vantagem (17 a 2), para indicar o deputado estadual Marcelo Cabral (MDB) como novo líder do governo. ### A Parabólica não tem qualquer intenção de alarmar a população, mas fontes confiáveis dizem que é muito maior que cinco o número de pacientes isolados no HGR, sob suspeita de contaminação com o Novo Coronavírus. ### Tem gente que não consegue entender o mundo em que vive. Exemplo? Em qualquer lugar do mundo, quando a procura por um produto aumenta, no curto prazo, aumenta o preço da mercadoria.    

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
"Parabólica 06/04/2020..."
06/04/2020 às 06:54
+ Ler mais artigos de Parabólica